• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.25.2008.tde-02042009-094629
Documento
Autor
Nome completo
Ariane Cristina Sampaio Rissatto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2008
Orientador
Banca examinadora
Feniman, Mariza Ribeiro (Presidente)
Fernandes, Joao Candido
Lopes, Andréa Cintra
Título em português
Aplicabilidade do Teste de Habilidade de Atenção Auditiva Sustentada - THAAS em campo livre em crianças de sete anos
Palavras-chave em português
atenção
audição
criança
nível de alerta
Resumo em português
A atenção é uma função neuropsicológica básica que está subjacente a todos os processos cognitivos. Pode ser definida como a capacidade do indivíduo selecionar e focalizar seus processos mentais em algum aspecto do ambiente interno ou externo, respondendo predominantemente aos estímulos que lhe são significativos e inibindo respostas aos demais estímulos. Considerando que ao longo de anos de trabalho clínico tem-se observado pacientes, em sua grande maioria crianças, com muitas queixas escolares, sem quaisquer alterações auditivas, a atenção tem se mostrado uma habilidade de grande importância. A existência de uma deficiência auditiva por si só compromete o desenvolvimento normal de uma criança, uma vez que a privação sensorial pode gerar alterações em diversas habilidades auditivas, incluindo a atenção. Desta forma, este trabalho tem por objetivo comparar o desempenho de crianças no Teste da Habilidade de Atenção Auditiva Sustentada - THAAS (FENIMAN, 2004), no que se refere às diferentes formas de aplicação (com fones auriculares e em campo livre), ao gênero e, à ordem de aplicação, visando, assim, avaliar esta importante habilidade em crianças usuárias de AASI e IC e àquelas que não permitem a colocação de fones para a realização do teste de modo convencional. Fizeram parte do estudo 40 crianças, com idade de sete anos, divididas em dois grupos, o grupo um (G1) e o grupo dois (G2), compostos de 20 crianças cada um, sendo que a aplicação do THAAS no G1 se deu primeiramente com fones auriculares e em seguida em campo livre e no G2 o processo foi o inverso. O processo de avaliação constituiu-se em: aplicação de um questionário específico, bateria de testes auditivos, incluindo audiometria tonal e audiometria em campo livre e aplicação do THAAS. Os resultados demonstraram não haver diferença estatisticamente significativa quanto ao gênero, na comparação entre os grupos para THAAS com fones, o G1 teve desempenho estatisticamente significativo para os erros de desatenção e para o total de erros (p=0,021615 e p=0,013393 respectivamente); na comparação dos grupos em campo o G2 teve desempenho significativo estatisticamente apenas para o decréscimo de vigilância (p=0,021615); na comparação entre fone e campo para o G1, o desempenho das crianças para o campo foi significativo para os erros de desatenção (p=0,00024), total de erros (p=0,000238) e decréscimo de vigilância (p=0,020526) e, na comparação entre fone e campo para o G2, a diferença foi estatisticamente significativa para os erros de impulsividade (p=0,000174). Com isso, pode ser observado que a diferença encontrada entre as duas formas de aplicação nos grupos deveu-se à ordem de aplicação, ou seja, como foi aplicado primeiramente e como o teste foi aplicado pela segunda vez, sendo este o determinante para o desempenho, devido, possivelmente, ao efeito de aprendizagem do teste. A pesquisa demonstrou ser viável a aplicação do THAAS em Campo Livre para casos em que não é possível a realização convencional com fones auriculares, podendo ser adotado os mesmos valores normativos usados para o modo convencional de avaliação.
Título em inglês
Applicability of sustained auditory attention ability test in free field in sevenyear old children
Palavras-chave em inglês
arousal
attention
child
hearing
Resumo em inglês
Attention is a basic neuropsychological function subjacent to all cognitive processes. It can be defined as the ability of one to select and focus its mental processes in either inner or outer aspect, responding specially to meaningful stimulus or inhibiting the answer to other ones. Given that in many years of clinical work it has been observed that patients, especially children, have complained about their school performance without any auditory alteration, attention has been considered as very significant. Hearing loss compromises the regular development of a child since sensorial privation can alter several auditory abilities including attention. Thus, this study aims to compare children performance in Sustained Auditory Attention Ability Test SAAAT (FENIMAN, 2004), on the various ways of application (with earphones in free field), on the gender, application sequence aiming to assess this important ability in children using AASI and IC and on those who do not accept ear phones to perform the test in a standard way. 40 children, with 7 years old were divided into two groups: G1- and G2 with 20 children each. The SAAAT in G1 was applied firstly with wear phones and later in free field; in G2 the process was inverted. The evaluation process consisted of one specific questionnaire, a battery of auditory tests including tonal audiometry and audiometry in free field and SAAAT application. Results showed there was no significant difference in gender compared to the other groups for THAAS with earphones. G1 had statistically significant performance for inattention mistakes and total of errors (p=0.021615 e p=0.013393 respectively); When compared the groups in field, G2 had statistically significant performance just for vigilance decrease (p=0.021615); comparing the earphone and campo G1 had significant performance regarding inattention and vigilance decrease (p=0.020526) and in the same comparison with G2the difference was statistically significant for impulsivity mistakes (p=0.000174). Therefore, the difference observed between the two ways of application on the groups was due to the sequence of application, how it was applied on the first and second times. It was the determining factor to the performance given the learning effect of the test. This research showed the application of THAAS in free field is viable for cases which the standard application with earphones is not possible with the same normative values used for the standard way of assessment.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-04-02
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • Feniman, MR, et al. Aplicabilidade do teste da habilidade de atenção auditiva sustentada - THAAS em campo livre [doi:10.7162/S1809-48722012000200017]. @rquivos internacionais de otorrinolaringologia [online], 2012, vol. 16, p. 269-277.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.