• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.25.2000.tde-11012001-163239
Documento
Autor
Nome completo
Maria Fernanda Borro Bijella
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2000
Orientador
Banca examinadora
Vono, Bernardo Gonzalez (Presidente)
Silva, Salete Moura Bonifacio da
Souza Junior, Mario Honorato da Silva e
Título em português
Avaliação "in vitro" da microinfiltração marginal em restaurações classe II, confeccionadas com um cimento de ionômero de vidro modificado por resina, uma resina composta "semicondensável" e uma resina composta "condensável".
Palavras-chave em português
cimentos de ionômero de vidro
microinfiltração marginal
resinas compostas
Resumo em português
Avaliou-se in vitro a microinfiltração marginal em restaurações classe II, realizadas com o cimento de ionômero de vidro modificado por resina Vitremer, a resina composta "semicondensável" Ariston pHc e a resina composta "condensável" P-60, com o propósito de verificar a influência da ciclagem térmica para estes materiais, como também dois métodos de análise da penetração do corante. Para tanto, 60 pré-molares, receberam cavidades classe II proximais, com a parede cervical localizada 1mm abaixo da junção cemento-esmalte. Os espécimes foram divididos em 3 grupos de 20 dentes cada. O grupo I foi restaurado com Vitremer, o grupo II com Ariston pHc e o grupo III com P-60. Após a restauração, os espécimes foram acondicionados em recipientes plásticos com água deionizada por 24 horas a 37°C. Decorrido esse período as restaurações receberam acabamento e polimento. Enquanto metade de cada grupo sofreu processo de termociclagem com 500 ciclos nas temperaturas de 5°C e 55°C, em banhos de 15 segundos cada, a outra metade permaneceu acondicionada em recipientes plásticos com água deionizada a 37°C. Após o período de teste, todos os espécimes foram imersos em solução de fucsina básica a 0,5% por 24 horas a 37°C, sendo em seguida lavados abundantemente em água corrente durante 24 horas. Para análise da microinfiltração os dentes foram incluídos em resina plástica autopolimerizável e seccionados no sentido mesio-distal, sofrendo uma média de quatro cortes cada dente. Para cada corte, foram obtidas duas imagens para serem analisadas através de um software denominado Imagetools. Os resultados foram avaliados através do teste estatístico de Análise de Variância a dois critérios (2-way ANOVA) e o teste de Tukey para comparações múltiplas entre os materiais, em nível de significância de 5%. Os resultados demonstraram que todos os grupos testados apresentaram microinfiltração marginal, sendo que o cimento de ionômero de vidro modificado por resina Vitremer apresentou resultados sempre melhores, vindo a seguir a resina composta "condensável" P-60 e por último a resina composta "semicondensável" Ariston pHc. Não houve diferença estatisticamente significante no uso ou não da termociclagem para estes materiais. Quando avaliou-se os métodos de análise de penetração do corante, o método através da máxima infiltração parece ser o melhor para detectar a extensão da microinfiltração.
Título em inglês
In vitro evaluation of marginal microleakage in class II restorations, made with a glass ionomer cement modified through resin Vitremer, "semicondensable" composite resin Ariston pHc and "condensable" composite resin P-60.
Palavras-chave em inglês
composite resin
glass ionomer cement
marginal microleakage
Resumo em inglês
It was the purpose of this work to assess in vitro marginal microleakage in class II restorations, made with a glass ionomer cement modified through resin Vitremer, "semicondensable" composite resin Ariston pHc and "condensable" composite resin P-60, pretending to verify the influence of thermocycling upon these materials, as well as of the performance of two methods for dye penetration analysis. Thus, 60 premolars received proximal class II cavities, with cervical wall situated above cement/enamel junction. The specimens were divided in three groups with 20 teeth each. Group I was restored with Vitremer, Group II with Ariston pHc and Group III with P-60. Following restoration, specimens were stored in plastic containers with deionized water for 24 hours under 37ºC. After this time period restorations were finished and polished. While half the group suffered a thermocycling process with 500 cycles under temperatures of 5ºC and 55ºC, in baths of 15 seconds each, the other half remained stored in plastic containers with deionized water under 37ºC. After testing period, all specimens have been immersed into a 0.5% basic fuchsin solution for 24 hours under 37ºC, being next thoroughly washed in running water for 24 hours. For microleakage analysis, teeth were embedded in autopolimerizing plastic resin and sectioned in a mesiodistal sense, each tooth suffering a mean of four sections. For each section two images were obtained for the analysis through a software called Imagetools. Results have been examined through a Variance Analysis statistical test through two criteria (2-way ANOVA) and Tukey test for multiple comparisons between materials, at a 5% significance level. Results showed that all tested groups presented marginal microleakage, glass ionomer cement modified with resin Vitremer always presenting the best results, followed by "condensable" composite resin P-60 and coming last "semicondensable" composite resin Ariston pHc. There was no statiscally significant difference between the use and non-use of thermocycling for these materials. When methods for dye penetration analyses were assessed the method of maximum leakage seems to be the best one for detecting microleakage extension.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
bijella.pdf (2.09 Mbytes)
Data de Publicação
2001-01-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.