• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.23.2013.tde-28052013-193821
Documento
Autor
Nome completo
Ana Carolina Junqueira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Deboni, Maria Cristina Zindel (Presidente)
Lotufo, Mônica Andrade
Nogueira, Fernando Neves
Título em português
O efeito da música no estresse de pacientes adultos durante cirurgias odontológicas: estudo randomizado, caso-controle e multiparamétrico
Palavras-chave em português
Ansiedade
Estresse
Exodontia
Hipertensão
Música
Resumo em português
O tratamento odontológico está associado a episódios de grande ansiedade, estresse e muitas vezes de fobia. Para a maioria dos pacientes um dos mais estressantes procedimentos na área odontológica é a terapêutica cirúrgica. Alterações metabólicas, neurohormonais e do sistema imune tem sido implicadas com a resposta ao estresse. A música é empregada em muitos tratamentos na área médica para o controle do estresse e da ansiedade. Existem vários estudos avaliando os efeitos da música no trans e no pós-operatório de diversas intervenções cirúrgicas e em outros tratamentos de pacientes com diversos distúrbios neuropsicológicos. Entretanto não há na literatura ensaios clínicos randomizados padronizados que avaliem os efeitos fisiológicos da música durante um atendimento cirúrgico odontológico em adultos. Objetivo desta pesquisa foi o de verificar se a música pode influenciar os níveis pressóricos arteriais, a frequência, a saturação de oxigênio, os níveis de dor e o consumo de analgésicos no pós-operatório de indivíduos adultos que sofreram exodontias sob anestesia local. Foram selecionados na amostra final 57 pacientes, 21 masculinos e 36 femininos, que atenderam a critérios de inclusão específicos e distribuídos em dois grupos. Grupo C (controle) apresentando média de pressão arterial 120:80 mmHg ou 120:80 mmHg mas sem diagnóstico ou tratamento para hipertensão. Grupo H (Hipertensos) apresentando na consulta inicial média pressórica 120:80 mmHg com diagnóstico e sob tratamento médico para hipertensão. Um questionário quanto ao grau de ansiedade pré-operatória foi aplicado a todos os pacientes. Randomicamente, os indivíduos foram alocados em dois subgrupos: Cm (n=30) que sofreram intervenção musical 20 minutos pré-anestesia, durante a exodontia e 20 minutos pós-cirurgia e Sm (n=27) que não sofreram intervenção musical. A pressão arterial, a frequência cardíaca e a saturação de oxigênio foram monitoradas nos momentos pré-operatório imediato, pré-anestesia, trans-cirúrgico e pós-operatório. No pós-operatório imediato todos receberam medicação analgésica e foram orientados a preencher um diário para aferição do nível de dor pós-operatória por meio de uma escala analógica visual. A quantidade de analgésico consumido também foi anotada. Os dados obtidos foram submetidos aos Testes de Mann-Whitney e Friedman, considerando um nível de significância de 5%. Os resultados mostraram que a amostra final foi mista e estava equilibrada quanto à idade, altura, peso corporal e níveis pressóricos na consulta inicial. Para a frequência cardíaca nos Grupos Hipertensos e Controle houve diferença estatisticamente significante principalmente nos hipertensos sendo que o menor valor da frequência cardíaca foi após o término da cirurgia (p=0,002). Houve diferença mais expressiva dentro do subgrupo Cm (p<0,001) no momento 4 do que no Grupo Sm (p=0,016). Não houve diferença estatisticamente significante considerando as variáveis pressóricas entre os subgrupos entre os momentos. Não houve diferença estatística entre os subgrupos Cm e Sm considerando as variáveis saturação de oxigênio, níveis de ansiedade, dor e consumo de analgésicos. É possível concluir que música pode auxiliar no controle do estresse agudo de cirurgias odontológicas de pacientes adultos moderadamente ansiosos.
Título em inglês
Effects of music intervention in the anxiety of adults during oral surgery : an randomized, case-control and multiparametric study
Palavras-chave em inglês
Anxiety
Hypertension
Music
Stress
Tooth extraction
Resumo em inglês
Dental treatment is associated with episodes of high anxiety, stress and phobia. The necessity of surgery represents for most patients one of the most stressful procedure. Acute stress that may arise during a simple or complicated extraction of erupted teeth as well as in installing dental implants often leads to abandonment of treatment by patients or the need for sedation or anxiolytic medications. Metabolic, neurohormonal and immune systems have been implicated in the stress response and have been observed in relation to surgical procedures. There is no literature on randomized controlled trials to evaluate multiparametric physiological effects of music therapy during a surgical dental treatment. The purpose was to verify the physiological effect of music therapy on arterial blood pressure, heart rate, oxygen saturation, postoperative pain level and analgesic consumption in adults undergoing dental extractions under local anesthesy. 57 patients composed the final sample, 21 male and 36 female, attended specific inclusion criteria and were distributed in Group C (control) presenting at initial interview mean blood pressure 120:80 mmHg or 120:80mmHg but without diagnose or medication for hypertension. Group H (hypertensives) presenting mean blood pressure 120:80 mmHg with diagnose and medication for hypertension. An anxiety level questionary was applied preoperatively for all the patients. Patients were randomly allocated in two subgroups: Cm (n=30) when individuals underwent music intervention for 20 minutes pre-anesthesy, during dental extraction and 20 minutes after the end of surgery and Sm (n=27) where patients underwent the same procedures without music intervention. Blood pressure, heart rate and oxygen saturation were measured at four different moments: immediate preoperative, pre-anesthesia, perioperative and postoperative. At postoperative immediate period all receive analgesic medication and were instructed to fill in a diary to access pain level by an visual analogical scale and to report amount of analgesic consumption. Data were submitted to Mann-Whitney and Friedman Tests considering 5% of significance. The results showed that the final sample were of both genders and were balanced regarding age, height, weight and mean blood pressure at the initial interview. Considering heart rate there was significant difference between hypertensives and control especially in hypertensives at 20 minutes after the end of surgery (p=0,002). There was an expressive difference at the Cm subgroup (p<0,001) at 20 minutes after the end of surgery comparatively to the Sm' subgroup (0,016). There was no statistically difference between blood pressure among subgroups during the four moments of the investigation. There was no difference between Cm and Sm' regarding oxygen saturation, anxiety, postoperative pain level and analgesic intake. It is possible to conclude that music can help in the control of stress of oral surgery procedures in adults moderately anxious.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-07-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.