• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2006.tde-15012007-172932
Documento
Autor
Nome completo
Juliana Villela Bueno
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2006
Orientador
Banca examinadora
Nakano, Ana Marcia Spano (Presidente)
Ferreira, Cristine Homsi Jorge
Ymayo, Marcos Roberto
Título em português
Avaliação da intensidade e característica da dor no trabalho de parto e a ação do misoprostol
Palavras-chave em português
dor
misoprostol
parto
Resumo em português
O uso do misoprostol tem se tornado um procedimento de rotina nos casos de indução do trabalho de parto (TP), pelo seu efeito relaxante sobre o músculo liso do colo, alterando a estrutura do colágeno, particularmente nos casos de pós-datismo. O objetivo deste estudo observacional e comparativo foi avaliar os efeitos do uso do misoprostol no TP em relação à intensidade e à característica da dor manifestada pelas parturientes. Participaram do estudo 40 parturientes, 20 fizeram parte do grupo com indicação de indução do TP com uso de misoprostol, e 20 fizeram parte do grupo de evolução espontânea, todas assistidas em uma maternidade que atende clientela SUS na cidade de Ribeirão Preto-SP. Os grupos foram formados por indicação clínica, atendendo ao protocolo da instituição para resolução da gravidez, e pelos critérios de inclusão. O estudo foi desenvolvido em duas fases. A primeira (fase latente do TP - FLTP), com a participação apenas do grupo I (misoprostol), e a segunda fase (fase ativa do TP - FATP), com ambos os grupos, para comparar a dor manifestada pelas parturientes. A dor foi avaliada por meio dos instrumentos: Diagrama do corpo (DC) para identificação das regiões dolorosas; Estimação de categorias/ ordenação das posições dos descritores de dor (DD) e Escala Analógica Visual (VAS). Para a análise do DC e DD, foram considerados a freqüência e o percentual. Para a VAS, foram calculados a média aritmética, a mediana, o desvio-padrão, o mínimo e o máximo. Na análise comparativa, foram utilizados teste Mann-Whitney, teste Quiquadrado (? 0,05) e análise de Variância (ANOVA) com medidas repetidas. Na FLTP, a maioria das parturientes (grupo I) referiu dor na região pubiana; a lista de 15 descritores da dor não se mostrou adequada a este momento do TP; a mensuração da intensidade da dor pela VAS, após a primeira manifestação de dor na FLTP, revelou padrão de dor ascendente, o que corrobora para o efetivo efeito do misoprostol em ativar as contrações uterinas. Na FATP, a localização da dor para ambos os grupos foi nas regiões: pubiana, inguinal, quadril anterior e sacra. A qualificação da dor, por meio dos descritores, para ambos os grupos, apresenta similaridades, visto que a maioria das parturientes de cada grupo a descreve como sensitiva. Outra semelhança é a predominância de descritores de qualidade afetiva, entre os cinco primeiros classificados. Na mensuração da intensidade da dor, pela VAS, os resultados sugerem que a intensidade da dor se apresenta ascendente para ambos os grupos. A mensuração de maiores intensidades de dor às contrações uterinas para o grupo II está relacionada a um maior número de contrações uterinas apresentadas por este grupo. Diante desses achados, não é possível afirmar que o misoprostol manifeste na parturiente maiores intensidades de dor durante o TP, comparativamente à dor manifestada em um TP de evolução espontânea, conforme suposto no início deste estudo.
Título em inglês
Evaluation of intensity and characteristics of labor pain and action of the misoprostol
Palavras-chave em inglês
labor
misoprostol
pain
Resumo em inglês
The misoprostol is been used as a drug of routine in cases of induce labor, because it has a relaxing effect in muscles and it alters collagen structures, specially in cases of post dactism. Based on empiric observations in our practice, in where we observed that women submitted to this drug reffered more indexes of pain during labor, the effects of the misoprostol use are our object of investigation. The objective of this observational and comparative study was to evaluated the effects of misoprostol and the intensity of pain. Forty patients participated in this study, 20 had indication to labor induction with misoprostol, and 20 had spontaneous labor. All of them were from the same maternity cover by SUS in Ribeirão Preto city. All of them were from the same maternity cover by SUS. Groups were established following clinical conditions for institution delivery protocols and also inclusion criteria of that. The study has two phases: the first phase (latent phase of labor obstetric - LPLD) in which only group I (misoprostol) was included, and the second phase (active phase of labor obstetric- APLD), to compare pain in both groups. The pain was evaluated by using instruments: body diagram (BD) in order to identify regions of pain, estimation of categories/ positions of descriptors of pain (DD) and visual analogical scale (VAS). To analyze BD and DD, it was considered the frequency and percentage. For the VAS were calculated arithmetic media, median, standard deviation, minimum and maximum. In comparative analyses it was used Mann Whitney and Chi ?Square test and ANOVA with repetitive measures. On LPLD most of women (group I) refers pain on pubis region; the list of 15 descriptors was not adequate in this phase; after the first pain signal, the VAS on LPLD showed that pain has an ascendant model, what reveal that misoprostol active uterine contractions. On APLD, the pain local for both groups was on pubis region, also on: ignal, hype, sacral. The qualification of pain is very similar for both groups, because most of the patients describe it as sensitive. Another aspect very similar in both group was the affective adjective in the first 5 descriptors. In measuring the pain intensity using VAS, the results suggest that the intensity of pain is ascendant for both groups. The higher scores for group II is associated to a bigger number of uterine contractions. In front of thise results is not possible to say that misoprostol induces higher levels of pain in women during labor as we supposed in the beginning of this study.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2007-01-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.