• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2014.tde-08012015-103617
Documento
Autor
Nome completo
Daniela Vitti Ribeiro da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2014
Orientador
Banca examinadora
Gomes-sponholz, Flávia Azevedo (Presidente)
Scherer, Zeyne Alves Pires
Silveira, Maria de Fátima de Araújo
Título em português
Morbidade materna grave: estudo qualitativo sobre a experiência de um grupo de mulheres
Palavras-chave em português
Morbidade materna grave
Representações sociais
Saúde materna
Vivência
Resumo em português
As taxas de morte materna vêm diminuindo em diversos países como resultado de esforços para atingir o Quinto Objetivo de Desenvolvimento do Milênio, o qual estipulou redução da morte materna no Brasil de 56/100.000 nascidos vivos para 16/100.000 nascidos vivos. Os estudos sobre a Morbidade Materna Grave vêm contribuir para compreensão das causas da morte materna, uma vez que se referem às mulheres que sobreviveram a graves complicações na gestação, parto ou puerpério. Neste contexto, o presente trabalho buscou conhecer e analisar as vivências, por parte de mulheres, em relação a um episódio de Morbidade Materna Grave. Utilizando o método qualitativo, foi possível compreender a vivência subjetiva das mulheres sobre a Morbidade Materna Grave. As mulheres que participaram do estudo foram identificadas durante internação decorrente do estado mórbido, sendo contatadas no hospital. Um segundo encontro foi agendado para realização de entrevista semiestruturada. Foram entrevistadas 16 mulheres que passaram por um episódio de Morbidade Materna Grave. As entrevistas foram transcritas e analisadas, segundo a análise de conteúdo. A análise das entrevistas permitiu identificar quatro temáticas: "gravidez não é doença... mas eu adoeci"; "não estou doente, isso deve ser da gravidez"; tratamento: um mal necessário; superação x alerta constante. As participantes apresentaram uma representação de saúde como ausência de doença e de saúde como algo incapacitante. Essa representação vai ao encontro da dificuldade em identificar os sintomas da morbidade em estágios iniciais, buscando auxílio apenas quando os sintomas estavam em estado avançado e interferindo na rotina das mulheres. A gestação foi representada como uma doença, uma vez que a experiência da Morbidade Materna Grave se sobressaiu à experiência da gestação. A Morbidade Materna Grave foi entendida como uma experiência negativa relacionada às dificuldades do tratamento e hospitalização. Também foi possível identificar nas falas das mulheres a presença de medo, preocupação com o feto, frustração da gravidez idealizada, trauma, mas também aprendizado e um propósito de Deus como aspectos positivos da experiência. Como consequência do evento mórbido, as mulheres relataram maior preocupação com a saúde e mudança em alguns comportamentos que possam evitar uma recaída. Diante esses achados, percebemos a importância de um acompanhamento efetivo no pré-natal e puerpério que possibilite uma maior reflexão sobre saúde e autocuidado, além de oferecer um suporte mais efetivo para as dificuldades e sequelas da Morbidade Materna Grave
Título em inglês
Severe Maternal Morbidity: a qualitative study on the experience of a group of women
Palavras-chave em inglês
Experience
Maternal health
Severe maternal morbidity
Social representations
Resumo em inglês
Maternal death rates are decreasing in many countries as a result of efforts to achieve the fifth Millennium Development Goal, which stipulates reduction of maternal death in Brazil from 56/100.000 live births to 16/100.000 live births. Studies on the Severe Maternal Morbidity helps to understand the causes of maternal death because it refers to women who have survived serious complications during pregnancy, childbirth or puerperium. In this context, the present study searched to understand and analyze the experiences of women about an episode of Severe Maternal Morbidity. By using the qualitative method, it was possible to understand the subjective experience of women about Severe Maternal Morbidity. Participants were identified and contacted during hospitalization due to a morbid state. A second meeting was scheduled to undergo semistructured interview. We interviewed 16 women who had an episode of Severe Maternal Morbidity. The interviews were transcribed and analyzed according to content analysis. The data analysis allowed us to identify four themes: "pregnancy is not a disease... but I got sick"; "I'm not sick, it must be part of the pregnancy"; treatment: a necessary evil; overcoming x constant alert. Participants represent health as absence of disease and health as something disabling. This representation meets the difficulty in identifying the symptoms of morbidity in early stages, seeking help only when symptoms were at an advanced stage and interfering in women's routine. Pregnancy was represented as a disease once the experience of Severe Maternal Morbidity overcame the experience of pregnancy. The Severe Maternal Morbidity was perceived as a negative experience related to the difficulties of treatment and hospitalization. It was also possible to identify in the women's speech the presence of fear, concern for the fetus, and frustration of idealized pregnancy, trauma, but also learning and a purpose of God as positive aspects of the experience. Because of the morbid event, women reported greater concern about health and change in some behaviors that may prevent relapse. Given these findings, we realize the importance of an effective monitoring prenatal and postpartum that provides a larger reflection on health and self-care besides offering more effective support for the difficulties and consequences of Severe Maternal Morbidity
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-01-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.