• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2014.tde-06022015-181543
Documento
Autor
Nome completo
Deise Petean Bonutti
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2014
Orientador
Banca examinadora
Scochi, Carmen Gracinda Silvan (Presidente)
Castral, Thaíla Corrêa
Leite, Adriana Moraes
Título em português
Dimensionamento dos procedimentos dolorosos e interveções para alívio da dor aguda em prematuros
Palavras-chave em português
Dor aguda
Enfermagem Neonatal
Manejo da dor
Prematuro
Resumo em português
Com o desenvolvimento tecnológico, cada vez mais, os neonatos têm sido expostos a procedimentos dolorosos. Atualmente, existem várias intervenções farmacológicas e não farmacológicas para o alívio da dor. Há escassez de estudos sobre a a exposição à dor dos recém-nascidos e as práticas para o seu manejo nas unidades neonatais brasileiras. Este estudo descritivo exploratório teve como objetivo dimensionar a exposição a procedimentos dolorosos de recém-nascidos pré-termo e as intervenções farmacológicas e não farmacológicas utilizadas para o alívio da dor, durante os primeiros 14 dias de vida em unidades neonatais de um hospital universitário de Ribeirão Preto - SP. Participaram do estudo 89 prematuros, após obtenção do consentimento livre e esclarecido dos responsáveis. Foi adicionado um questionário no prontuário dos neonatos para registro dos procedimentos dolorosos, intervenção analgésica, número de tentativas e profissional que realizou o procedimento. A coleta de dados foi realizada no período de outubro de 2012 a outubro de 2013. Também foi realizada busca nos prontuários dos prematuros para minimizar falha de registro e completar questionários que se encontravam incompletos. Realizada dupla digitação dos dados no Excel e para análise estatística foi utilizado o SPSS. Na análise quantitativa dos dados utilizou-se a estatística descritiva e para comparação das médias de distribuição dos procedimentos dolorosos foi testada a normalidade por meio do teste Kolmogorov-Smirnov (?=0,05), e uso de estatística paramétrica para amostras independentes e estatística paramétrica para amostras dependentes, comparando as médias de procedimentos dolorosos segundo os grupos das variáveis peso ao nascer e idade gestacional com uso do teste ANOVA oneway (?=0,05); para as variáveis sexo e uso de ventilação invasiva utilizou-se o teste t-student não pareado (?=0,05) e para a variável período de internação utilizou-se o teste t-student para duas amostras em par (?=0,05). Obtiveram-se seguintes resultados: média de peso de 1384,1 ± 615,7g; média de idade gestacional de 30,6 ± 3,1 semanas; escore de risco SNAPPE II de 25,8 ± 20,2; parto cesáreo mais frequente (65,2%); média de tempo do uso de ventilação invasiva de 5,9 ± 5,5 dias; média total do tempo de internação 56,1 ± 50,4 dias. Foram realizados 6.687 procedimentos dolorosos, 65,5% registrados no questionário e 34,5% inseridos a partir do levantamento dos prontuários. A média diária foi de 5,37 procedimentos dolorosos por prematuro; na primeira e segunda semanas de internação as médias foram de 6,56 e 4,18 procedimentos dolorosos diários por prematuro (p<0,0001). Os procedimentos mais frequentes foram as aspirações nasal ou oral (35,85%) e traqueal (17,17%). Os prematuros que ficaram em ventilação invasiva foram os mais expostos a procedimentos dolorosos (71,2%). Apenas 44,9% dos procedimentos dolorosos tiveram alguma intervenção para o alívio da dor, sendo mais utilizada a sacarose (78,21%) e analgesia contínua (19,82%). Constata-se o subtratamento da dor aguda nessas unidades neonatais, recomendando-se maior sensibilização da equipe para o uso efetivo do protocolo existente e a implantação de outros para o manejo adequado e alívio da dor dos recém-nascidos
Título em inglês
Identification of painful procedures and interventions to relieve acute pain in preterm infants
Palavras-chave em inglês
Acute pain
Infant premature
Neonatal nursing
Pain management
Resumo em inglês
Due to technological development, neonates are increasingly exposed to painful procedures. Currently, there are many pharmacological and non-pharmacological interventions to relieve pain. Few studies address the exposure of newborns to pain and practices used to manage pain in Brazilian neonatal units. This exploratory descriptive study aimed to verify exposure of preterm newborns to painful procedures and pharmacological and non-pharmacological interventions used to relieve pain in the first 14 days of life in neonatal units of a university hospital in Ribeirão Preto, SP, Brazil. A total of 89 preterm infants participated in the study after their legal guardians signed free and informed consent forms. A questionnaire was added to the neonates' medical files to record painful procedures, analgesic interventions, number of attempts, and the professional who performed the procedure. Data were collected from October 2012 to October 2013. The infants' medical files were checked to minimize missing information and incomplete questionnaires. Data were double entered in Excel and SPSS was used for the statistical analysis. Descriptive statistics was used for the quantitative analysis and the Kolmogorov-Smirnov test (?=0.05) was employed to verify normality in order to compare the means of distribution of painful procedures. Parametric statistics was used for both independent and dependent samples. The means of painful procedures were compared according to groups of variables: for birth weight and gestational age one-way ANOVA (?=0.05) was used; t- student test (?=0.05) was used for sex and use of invasive ventilation; and finally, two sample matched t-student (?=0.05) was used for the variable period of hospitalization. The results indicated average weight of 1,384.1 ± 615.7g; average gestational age of 30.6 ± 3.1 weeks; SNAPPE II risk score of 25.8 ± 20.2; C-sections were more frequent (65.2%); average time invasive ventilation was used was 5.9 ± 5.5 days; and total average of length of hospitalization of 56.1 ± 50.4 days. A total of 6,687 painful procedures were verified: 65.5% was recorded in the questionnaire and 34.5% was included after checking the medical files. The daily average of painful procedures per infant was 5.37; the averages of daily painful procedures per infant in the first and second weeks of hospitalization were 6.56 and 4.18 (p<0.0001) respectively. The most frequent procedures were nasal or oral (35.85%) and tracheal (17.17%) aspirations. The infants receiving invasive ventilations were the ones most exposed to painful procedures (71.2%). Only 44.9% of the painful procedures included some pain relief intervention and the most used were sucrose (78.21%) and continuous analgesia (19.82%). Under treatment of acute pain was observed in the neonatal units and greater sensitization of the staff for effectively using the existent protocol and implementing other measures to appropriately manage and relieve pain among newborns is recommended
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-02-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.