• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2015.tde-04092015-163716
Documento
Autor
Nome completo
Amanda Mendes Silva Cintra
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2015
Orientador
Banca examinadora
Matumoto, Silvia (Presidente)
Andrade, Antonio dos Santos
Fortuna, Cinira Magali
Ribeiro, Daniela de Figueiredo
Título em português
As relações entre profissionais e usuários de uma unidade de saúde da família: a potência do encontro
Palavras-chave em português
Cartografia
Estratégia Saúde da Família
Relações Profissional-Paciente
Resumo em português
O objeto deste estudo foram as relações estabelecidas entre os trabalhadores e os usuários do serviço de saúde sob a perspectiva do trabalhador no contexto de uma unidade da Estratégia Saúde da Família situada na cidade de Franca, SP. Para isso foram utilizados os referenciais teóricos dos processos de trabalho em saúde, da micropolítica do processo de trabalho e da produção de subjetividade. Sabemos que o trabalho em saúde implica um espaço relacional, ou seja, para que exista esse trabalho, deve existir o outro, compreendido como alguém que possui necessidades de cuidado, e é no encontro com esse outro que há a produção de um ato de saúde. Diante dessa temática, a pesquisa teve por objetivo geral mapear e analisar as relações entre profissionais e usuários da Estratégia Saúde da Família na produção de atendimentos sob a ótica dos trabalhadores. Para responder aos objetivos do estudo, foram necessários procedimentos investigativos mais abertos e inventivos, um olhar vibrátil, sensível aos movimentos e que conseguisse captar as vibrações. Portanto, para atender a essa finalidade de estudar os processos de produção de subjetividade nas relações entre profissionais e usuários da ESF, a pesquisa fez uma aproximação ao método cartográfico, que diz respeito às estratégias das formações do desejo no campo social, aos seus movimentos e suas conexões que podem surgir de diversos lugares. O cartógrafo faz um mergulho nos afetos e sempre busca elementos para compor e complementar suas cartografias. Aqui o conhecimento é dado em processo, sendo inseparável do movimento da vida e dos afetos que a acompanham. Nesse mesmo movimento o estudo adotou a pesquisa- intervenção, que parte do princípio de que o processo de conhecer e fazer, pesquisar e intervir são inseparáveis. Aqui, as metas e os caminhos são traçados ao longo do processo a ser pesquisado, tendo como norte seu objeto e objetivo. Para a produção dos dados, foi importante estabelecer algumas ferramentas, dentre elas a observação participante, o uso do diário de bordo e a entrevista semiestruturada. Além dessas ferramentas, o estudo também contou com uma primeira fase, a exploração de campo, o que permitiu um rico diálogo com a realidade. Diante do cenário estudado, pude observar que o que mais se destaca nas relações é ainda a prevalência do modelo hegemônico de saúde, do cuidado centrado em técnicas procedimentais e protocolos em detrimento das tecnologias leves, relacionais, que possibilitam e ampliam um cuidado mais integral e de produção de vida. No estudo, também percebemos a existência de algumas instituições que estão presentes no momento do encontro trabalhador-usuário e que perpassam esse primeiro, dentre elas a instituição saúde, a enfermagem e a assistência social que, no caso, dão-se por uma faceta do controle, do seguimento de regras, e estão intensamente presentes nas relações estudadas. Por outro lado também pude captar alguns momentos em que os trabalhadores conseguiram realizar um cuidado mais ampliado, exercendo uma escuta empática e deixando para segundo plano as tecnologias duras e leve-duras, experimentando um pouco mais das tecnologias relacionais, de comunicação e escuta, colocando o usuário em evidência e tentando realizar um cuidado usuário-centrado e em suas reais necessidades. A perspectiva do estudo era a produção de vida e autonomia do usuário nos encontros. Algumas questões foram compreendidas e outras não devido à complexidade do tema ao se tratar das relações. A pesquisa também explorou apenas a perspectiva do trabalhador, ficando desconhecida a perspectiva do usuário, por isso a necessidade de novos estudos que caminhem por esse universo relacional por meio de um olhar vibrátil que consiga enxergar o que se passa entre as forças presentes nesses encontros
Título em inglês
Relations between professionals and users of a family health unity: the encounter's potency
Palavras-chave em inglês
Cartography
Family Health Strategy
Professional-Patient Relations
Resumo em inglês
The object of this study were the relations between workers and users of the health service under the worker's perspective in the context of a Family Health Strategy (ESF) unit in the city of Franca, SP. For this, the theoretical references of the work process in health, the micropolitics of the work process and the subjectivity production were used. We know that the work in health involves a relational space, in other words, for this work, there must be another one, this one, understood as someone who has care needs, and it is in the encounter with this other one that there is the production of an act of health. On this thematic, the research aimed to map and to analyze the relationships between professionals and users of the ESF in the care production from the workers' perspective. To respond the study objectives, more open and inventive investigative procedures were needed; one vibratable look, sensitive to movements that could pick up the vibrations. Therefore, to meet this purpose, of studying the subjectivity production processes in relations between professionals and users of the ESF, the research made an approach to the cartographic method, that regards to the strategies of desire formations in the social field, their movements and their connections that can arise from several places. The cartographer dives into the affections and always seeks elements to compose and complement its cartography. Here, the knowledge is given in the process, being inseparable from the movement of life and its affections. In this same movement, the study adopted the intervention research that assumes that the process of knowing and doing, and of researching and intervening, are inseparable. Thus, the goals and the paths are traced throughout the process to be searched, with its object and purpose as north. It was important to establish some tools for the data production, among them, the participative observation, the use of the on board diary and the semi-structured interview. In addition to these tools the study also included a first phase which was the field exploration, which allowed a rich dialogue with reality. Given the scenario studied, I could see that what stands out the most in relationships is still the prevalence of a hegemonic model of health care centered on technical and procedural protocols to the detriment of lightweight relational technologies, which enables and expands a more comprehensive care and of production of life. In the study we also realize that some institutions are present in the worker-user encounter, running through this first, among them, there are the institution health, nursing and social assistance that in the case emerge by a control facet of following rules and are intensely present in the studied relations. On the other hand, I could also capture moments in which workers managed to realize a broader care acting for an empathic listening and to leave in the background the hard and soft-hard technologies, experimenting relational technologies a little more, communication and listening, putting the user in evidence and trying to accomplish an user-centered care based in their real needs. The study perspective was the production of life and user autonomy in encounters. Some questions were understood and others not due to the issue's complexity when dealing with relations. The research also explored the worker's perspective only, being unknown the user's perspective, therefore, new studies are needed to walk this relational universe through a vibratable look that can see what goes on between the forces presents in those encounters
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
AmandaMSCintra.pdf (1.79 Mbytes)
Data de Publicação
2015-11-04
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • SILVA, A. M., MATUMOTO, S., e FORTUNA, Cinira Magali. Ensaio sobre a estratégia saúde da família e a sociedade mundial de controle. In V Fórum Sócio-Jurídico: Direito à Saúde e à Dignidade Humana, Franca-SP, 2013. V Fórum Sócio-Jurídico: Direito à Saúde e à Dignidade Humana.Franca - SP : UNESP-FCHS, 2013.
  • SILVA, A. M., e MATUMOTO, S. Espaços que geram encontro: a relação entre profissional e usuários da estratégia saúde da família. In 13º Congresso Paulista de Saúde Pública, São Paulo - SP, 2013. Anais do 13 Congresso Paulista de Saúde Pública - O público na Saúde Pública. A Produção do bem comum.São Paulo - SP : Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo : Associação Paulista de Saúde Pública, 2013. Resumo. Dispon?vel em: http://www.congressoapsp.com.br/anais.pdf.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.