• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2006.tde-11092006-172651
Documento
Autor
Nome completo
Maria Carolina Belo da Cunha
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2006
Orientador
Banca examinadora
Zanetti, Maria Lucia (Presidente)
Pace, Ana Emilia
Tavares, Darlene Mara dos Santos
Título em português
Qualidade do sono em diabéticos do tipo 2
Palavras-chave em português
aqualidade do sono
diabetes
Resumo em português
A privação do sono pode comprometer a saúde, uma vez que é durante o ciclo sono/vigília que são produzidos alguns hormônios que desempenham papéis vitais no funcionamento de nosso organismo. Distúrbios do sono em diabéticos do tipo 2, constituem fatores de risco para o agravamento do diabetes, pois podem interferir no controle metabólico através da síndrome da resistência à insulina. A apnéia do sono, insônia, movimentos periódicos das pernas, a higiene do sono e consumo de substâncias psicoativas são citados em estudos, porém pouco explorados. Ferramentas vêm sendo utilizadas na investigação acerca do ciclo sono/vigília, dentre eles o diário de sono, a polissonografia e o Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI). Este é composto por sete componentes, onde é avaliada a qualidade subjetiva do sono, latência do sono, duração, eficiência habitual, distúrbios do sono, uso de medicação para dormir e sonolência diurna. O presente estudo foi do tipo observacional-transversal. A qualidade do sono foi investigada em 50 diabéticos pertencentes a um Centro Educativo de Enfermagem para Adultos e Idosos. Para tal, os pacientes diabéticos do tipo 2, após assinatura do termo de consentimento, foram submetidos a uma avaliação cognitiva inicial, através do exame do estado mental, para descartar demência. Foi aplicado um instrumento que avalia a qualidade do sono, denominado Índice de Qualidade do Sono de Pittsburgh (PSQI) e um instrumento para levantar variáveis demográficas e clínicas. A maioria dos participantes era do sexo feminino, casados, com 4 anos de estudo em média, não trabalha e possui renda mensal de 2 salários mínimos. Em relação às variáveis clínicas, 38% apresentam tempo de diagnóstico de diabetes superior a dez anos, 70% são hipertensos, 36% apresentaram valores de Hemoglobina A1c>7%, 72% com nictúria, 85% IMC equivalente à obesidade e 22% usam medicação para dormir. Os componentes do PSQI foram detalhados separadamente e obtido o escore global, sendo que (26) 52% apresentaram escores que indicam qualidade do sono ruim. A relação dos escores obtidos no PSQI com algumas variáveis foi realizada, e identificamos que aqueles com tempo de diagnóstico superior a 10 anos e aqueles com hipertensão, possuíam pior qualidade do sono. A nictúria parece não ter corroborado para uma qualidade do sono ruim. Para aqueles com valores de Hemoglobina A1c >7%, a qualidade do sono foi pior. Entre os que usam medicação para dormir e os que apresentaram IMC normal, a qualidade do sono mostrou-se pior. Os achados desta investigação reforçam a relevância da temática, pois não existem instrumentos específicos para a avaliação do sono do diabético do tipo 2, informações precisas acerca das conseqüências da privação do sono em indivíduos diabéticos do tipo 2, dificultando afirmações acerca da qualidade do sono do diabético.
Título em inglês
Sleeping Quality in type 2 diabetics
Palavras-chave em inglês
diabetes
sleeping quality
Resumo em inglês
Lack of sleeping can jeopardize health, because it is during the sleeping/vigil cycle that some hormones, which perform vital roles in the functioning of our organism, are produced. Sleeping malfunctions in type 2 diabetics constitute risk factors to the aggravating of diabetes since they can interfere in the metabolic control through the insulin resistance syndrome. Sleeping apnea, insomnia, occasional leg movements, sleeping hygiene and psychoactive substances consuming are quoted in studies, but scarcely explored. Tools have been used in the sleeping/vigil cycle investigation, and among them there are the sleeping diary, polissonography and Pittsburgh Sleeping Quality Index (PSQI) This one is composed by seven components, where the subjective sleeping quality, sleeping, duration and habitual efficiency latency, sleeping malfunctions, use of sleeping pills and morning sleepiness are evaluated. The present study was observation-transversal type. Sleeping quality was carried in 50 diabetics belonging to an Educational Nursing Center for adults and the elderly. For such investigation the type 2 diabetic patients, after signing the agreement term documents, were submitted to an initial cognitive evaluation, through mental estate exam, so that dementia could be discarded. A tool to evaluate the sleeping quality called Pittsburgh Sleeping Quality Index (PSQI) and another one to bring out demographic and clinic variants were applied. The majority of the participants was feminine, married, an average of 4-year-school, non-working and with an average of 2 minimal wages. Relating to clinic variants, 38% presented diabetes diagnosis time of over 10 years, 70% are hypertensive, 36% presented Hemoglobin A1c >7% values, 72% with nycturia, 85% IMC equivalent to obesity and 22% use sleeping pills. The PSQI components were separately detailed and the global score was obtained showing that (26)52% presented scores which indicate bad sleeping quality. The scores relation obtained in the PSQI along with some variants was carried and it showed that patients with a diagnosis time over 10 years and those with hipertension have the worst sleeping quality. Nycturia doesn´t seem to be a reason for a bad sleeping quality. For those with Hemoglobin A1c values >7% presented a worse sleeping quality. Among the ones who use sleeping medicine and those who presented normal IMC, the sleeping quality was even worse. The findings of this investigation strengthen the thematic relevance because there are no specifics tools for the evaluation of the type 2 diabetics´ sleeping; precise information about the consequences of lack of sleeping in type 2 diabetic individuals, making it difficult to get an affirmation about the sleeping quality of the diabetic.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
MCB_CUNHA.pdf (325.61 Kbytes)
Data de Publicação
2006-11-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.