• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.22.2014.tde-03022015-104512
Documento
Autor
Nome completo
Cheila Maira Lelis
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2014
Orientador
Banca examinadora
Robazzi, Maria Lucia do Carmo Cruz (Presidente)
Dalri, Rita de Cássia de Marchi Barcellos
Silva, Luiz Almeida da
Título em português
Avaliação da força de preensão digital em trabalhadores de enfermagem
Palavras-chave em português
Dinamômetro
Enfermagem
Força de pinça
Saúde do trabalhador
Resumo em português
Objetivo: O presente estudo pretendeu avaliar a força de preensão digital em trabalhadores de enfermagem a fim de determinar as médias desta força e correlacionar com os fatores pessoais e ocupacionais Métodos: Estudo descritivo, correlacional, quantitativo, realizado em um hospital de ensino de Ribeirão Preto. Os sujeitos foram categorizados por meio de um questionário que abordou características pessoais e profissionais; para a mensuração da força de preensão digital foi utilizado um dinamômetro hidráulico Preston Pinch Gauge® (North Coast Medical - Estados Unidos), por meio deste foram realizadas três mensurações consecutivas para cada medida de força e utilizou-se a média destas pinças para as análises. As coletas de dados foram realizadas em 2013, este estudo recebeu a aprovação de Comitê de Ética e Pesquisa. Compuseram a amostra 41 profissionais de enfermagem do sexo feminino, que trabalhavam no período matutino. Foram realizados testes estatísticos e o nível de significância considerado foi ? = 0, 05; o programa utilizado nas análises foi a IBM SPSS (Statistical Package for Social Science) versão 22.0. Resultados: As trabalhadoras encontravam-se na faixa etária entre 21 e 60 anos; 56,1% eram casadas e 58,5% possuíam filhos; com relação ao nível de escolaridade 43,9% tinham ensino médio completo.No que diz respeito ao vínculo empregatício atual na enfermagem, 56,1% faziam seis horas semanais e 68,3% horas extras neste vinculo; 7,3% possuíam outro vínculo na área da enfermagem, porém sem realizar horas extras. Já se afastaram do trabalho por motivo de doença 63,4%; referiram sentir dor no dedo da mão 26,8%; 95,1% das trabalhadoras realizavam atividades domésticas em sua própria casa; 70,7% não praticavam atividade física; 58,5% possuíam algum tipo de atividade de lazer, foram observadas ainda doenças osteomusculares (27,3%). Os valores da médias gerais da pinças foram: 3,64 (kgf) polpa-a-polpa,3,85 (kgf), trípode; 6,08(kgf) lateral.Conclusão: Mesmo que não se tenha identificado uma porcentagem alta em relação a carga horária de trabalho associada as horas extras e o duplo vínculo, as variáveis independentes identificadas, influenciaram o desempenho dos testes de preensão de pinça, consequentemente, na diminuição bilateral das forças de preensão das pinças digitais estudadas. Entre as categorias profissionais e as médias de pinça houve correlação positiva e significativa, destacando pinças polpa-a-polpa (mão dominante). A força de preensão digital pode ser um indicador para determinar a função da mão e poder ser usada para indicar o grau de disfunção da extremidade superior acometida, não se pode afirmar que existam alterações relacionadas aos membros superiores das trabalhadoras de enfermagem, mesmo tendo em vista que a literatura infere que muitas das patologias associadas ao membro superior têm como alguns de seus sintomas iniciais a diminuição da força de pinças, fraqueza e dor nos dedos. Seria necessário agregar aos dados avaliados de preensão de digitais mais avaliações, como as clinicas, motoras e sensitivas. Diante do incipiente número de investigações relacionadas à força de preensão digital entre estas trabalhadoras, este estudo pretendeu contribuir na prevenção do desenvolvimento de disfunções ocupacionais, com a sugestão de inserção desta avaliação nos exames médicos admissionais, periódicos, de retorno ao trabalho e demissionais
Título em inglês
Assessment of digital grip strength in nursing professionals
Palavras-chave em inglês
Dynamometer
Nursing
Occupational health
Pinch strength
Resumo em inglês
Objective: This study aimed to evaluate the digital grip strength of nursing staff in order to determine the averages of this strength and correlate it to personal and occupational factors. Methods: Descriptive, co-relational, quantitative study carried out at a teaching hospital in Ribeirão Preto. Subjects were categorised by means of a questionnaire which addressed personal and professional characteristics; for the measurement of digital grip strength the hydraulic dynamometer Preston Pinch Gauge® (North Coast Medical - the United States) was used, with which three consecutive readings were made for each strength measurement and the mean of the pinches was used for the analysis. Data collection was performed in 2013 and this study was approved by the Research and Ethics Committee. 41 female nursing staff members composed the samples, all of whom worked in the morning. Statistical tests were made and the significance level considered was ? = 0.05; the program used for the analysis was IBM SPSS (Statistical Package for Social Science) version 22.0. Results: The workers were aged between 21 and 60 years; 56.1% were married and 58.5% had children; regarding the level of education 43.9% were high- school graduates. Concerning the current nursing employment relationship 56.1% worked six hours per week and 68.3% overtime in such relationship; 7.3% had other nursing labour bonds although not working overtime. 63.4% were away from work due to health complications; 26.8% indicated to suffer from finger pain; 95.1% of the workers performed household chores in their own houses; 70.7% did not do any physical activity; 58.5% had some kind of leisure activity, and osteomuscular conditions were still observed (27.3%). General mean values found were: 3.64 (kgf) pulp to pulp, 3.85 (kgf) three points and 6.08 (kgf) lateral pinch. Conclusion: Although there was not an identification of a higher percentage related to the working hours associated to overtime and double labour bond, the independent variables identified affected the pinch grip test performance, consequently reducing bilaterally the digital pinch grip strengths analysed. There was positive and significant correlation between the professional categories and the pinch means, highlighting pulp to pulp pinch(dominant hand). Digital grip strength can be an indicator to determine hand function and can be used to demonstrate the level of dysfunction of the affected upper limb ends, but it cannot be stated that there are alterations related to the upper limbs of nursing staff, even considering that the literature infers that many pathologies associated to the upper limbs present the reduction of pinch strength and finger weakness and pain as some of their initial symptoms. It would be necessary to add more evaluations to the already analysed data on digital grip, such as clinical, motor and sensitive evaluations. Before the incipient number of investigations related to the digital grip force among these workers, this study intended to contribute to the prevention of the development of occupational dysfunctions, suggesting the further introduction of this evaluation to admission, periodic, return to work and discharge medical examinations
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
CHEILAMAIRALELIS.pdf (4.74 Mbytes)
Data de Publicação
2015-04-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.