• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.18.2016.tde-03062016-101420
Documento
Autor
Nome completo
Thalita Fernandes da Fonte
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Carlos, 2004
Orientador
Banca examinadora
Calil Junior, Carlito (Presidente)
Dias, Antonio Alves
Prata, Dener Gonçalves
Título em português
Pontes protendidas de Eucalipto citriodora
Palavras-chave em português
Pontes de madeira
Pontes em placa
Pontes protendidas
Protensão transversal
Superestruturas de pontes
Resumo em português
O conceito de pontes de madeira em tabuleiro laminado protendido surgiu na década de 70, no Canadá, como forma de reabilitação para tabuleiros laminados pregados. Diversas pesquisas foram desenvolvidas para verificar o desempenho estrutural e a durabilidade do sistema, e estes estudos comprovaram a eficácia do método. Devido ao enorme déficit de pequenas e médias pontes em todo o seu território, o Brasil tem buscado cada vez mais materiais e tecnologias alternativas economicamente competitivas para sua construção. Partindo de pesquisas desenvolvidas em outros países, desde 1993 começaram a ser desenvolvidas pesquisas nacionais para verificar a viabilidade em se utilizar madeiras brasileiras para construção de pontes, e a resposta, mais uma vez, foi positiva. Este trabalho tem como objetivos o estudo teórico e experimental das pontes de eucalipto protendidas transversalmente, através do projeto e construção da primeira ponte protendida de madeira da América do Sul. Por meio de provas de carga, foi avaliado o desempenho da ponte e a influência dos guarda-rodas e defensas na rigidez do tabuleiro. Os resultados mostram que o sistema protendido de eucalipto é uma ótima alternativa para o Brasil.
Título em inglês
Pre-stressed timber bridge of Eucalyptus citriodora
Palavras-chave em inglês
Bridges in decks
Bridges superestructures
Pre-stressed timber bridges
Timber bridges
Transversal pre-stressed
Resumo em inglês
The concept of pre-stressed laminated timber bridges come from 70s, in Canada, as an alternative for the rehabilitation of damaged nailed laminated timber decks. Many researches were developed to verify the structural performance and the durability of the system, which corroborated the system's high efficience. Because of a great deficit in short-span and medium-span bridges in Brazil, the country has searched more and more competitive materials and technologies for their construction. Based on studies developed in other countries, since 1993 Brazil has developed studies to verify the viability of using brazilian woods to build such bridges, and the answer was positive. The present work aims to investigate the project and behavior of transversally pre-stressed timber bridges of eucalyptus, through the project and construction of the first stress-laminated timber bridge in South America. The bridge performance was evaluated as well as the influence of the guard-rail system in the deck stiffness, across proof loading. The results showed that this system is a good alternative for bridge construction in Brazil.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-06-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.