• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2018.tde-17042018-154801
Documento
Autor
Nome completo
Irís Palma Lopes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Lara, Lucia Alves da Silva (Presidente)
Kogure, Gislaine Satyko
Pinto, Cristina Laguna Benetti
Tourinho Filho, Hugo
Título em português
Efeitos do treinamento físico aeróbio sobre a função sexual em mulheres com síndrome dos ovários policísticos: ensaio clínico controlado
Palavras-chave em português
Ansiedade e depressão; Composição corporal; Função sexual; Hiperandrogenismo; Qualidade de vida; Sexualidade; Síndrome dos ovários policísticos; Trein
Resumo em português
Introdução: A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é uma doença que acomete de 5 a 10% das mulheres. A SOP tem sido relacionada em alguns estudos à disfunção sexual, ao aumento da ansiedade e depressão e à redução da qualidade de vida. Essas alterações podem estar relacionadas às alterações fenotípicas da SOP como o aumento do peso e das circunferências de quadril e cintura resultantes do hiperandrogenismo. A alteração no estilo de vida, principalmente envolvendo a prática de exercícios físicos, tem sido relevante na melhora das condições de saúde. Até o momento, há poucos estudos avaliando os efeitos do treinamento físico aeróbio sobre a função sexual em mulheres com SOP. Objetivo: Avaliar o efeito do treinamento físico aeróbico na função sexual de mulheres com a Síndrome dos Ovários Policísticos. Métodos: Trata-se de um ensaio clínico controlado com alocação aleatória e randomização estratificada pelo índice de massa corporal (IMC) em 3 grupos paralelos: grupo treinamento aeróbio contínuo (GAC), grupo treinamento aeróbio intermitente (GAI) e grupo controle sem treinamento (GC), sendo GAC com 23 voluntárias, o GAI com 22 voluntárias e o GC com 24 voluntárias. As avaliações ocorreram antes e após o período de 16 semanas de intervenção do treinamento físico aeróbio ou de observação no grupo controle. Foi realizada dosagem plasmática de testosterona, antes e após a intervenção. A função sexual, o risco de ansiedade e depressão e a qualidade de vida foram avaliados respectivamente, por meio dos questionários validados para o Português: Índice de Função Sexual Feminina (IFSF), Escala de Ansiedade e Depressão Hospitalar (HAD), e Questionário de Qualidade de Vida - SF-36. Resultados: Houve diferença significante na RCQ no grupo GAI (p = 0.047) e redução nos níveis de testosterona nos grupos GAC (p < 0.01) e GAI (p = 0.04). Na avaliação do IFSF no GC não houve qualquer alteração antes e após as 16 semanas. Contudo no GAC ocorreu aumento nos escores IFSF total (p = 0.048), satisfação (p = 0.049) e dor (p = 0.03). No GAI foram observados aumentos nos escores: IFSF total (p < 0.01), desejo (p < 0.01), excitação (p < 0.01), lubrificação (p < 0.01), orgasmo (p < 0.01) e satisfação (p = 0.02). Já na avaliação do questionário HAD observou- se diminuição tanto na ansiedade (p = 0.01) e (p < 0.01), quanto na depressão (p < 0.01) e (p = 0.02) nos grupos GAC e GAI respectivamente. Com relação ao SF-36 no GAC foram identificados aumento do escores: aspectos físicos (p = 0.01); estado geral de saúde (p = 0.02); vitalidade (p < 0.01); aspectos sociais (p < 0.01); aspectos emocionais (p = 0.03) e saúde mental (p < 0.01). No GAI houve elevação dos escores: capacidade funcional (p < 0.01); estado geral de saúde (p < 0.01); vitalidade (p < 0.01); aspectos sociais (p < 0.01); aspectos emocionais (p = 0.03) e saúde mental (p < 0.01). Conclusão: Ambos os protocolos de treinamento físico aeróbio foram eficazes na melhora da função sexual, ansiedade e depressão e qualidade de vida, observando maior efetividade no treinamento físico aeróbio intermitente.
Título em inglês
Effects of aerobic exercise training on sexual function in women with polycystic ovary syndrome: a randomized clinical trial
Palavras-chave em inglês
Aerobic training; Anxiety and depression; Body composition; Hyperandrogenism; Polycystic ovarian syndrome; Quality of life; Sexual function
Sexuality
Resumo em inglês
Introduction: Polycystic Ovarian Syndrome (PCOS) is a disease that affects 5 to 10% of women. PCOS has been linked in some studies to sexual dysfunction, increased anxiety and depression, and reduced quality of life. These changes may be related to phenotypic changes in PCOS such as increased weight and hip and waist circumferences resulting from hyperandrogenism. The change in lifestyle, mainly involving the practice of physical exercises, has been relevant in improving health conditions. To date, there are few studies evaluating the effects of aerobic exercise training on sexual function in women with PCOS. Objective: To evaluate the effect of aerobic physical training on the sexual function of women with Polycystic Ovarian Syndrome. Methods: This is a controlled clinical trial with random allocation and randomization stratified by body mass index (BMI) in 3 parallel groups: continuous aerobic training group (GAC), intermittent aerobic training group (GAI) and control group without training (GC), GAC with 23 volunteers, GAI with 22 volunteers and GC with 24 volunteers. Evaluations occurred before and after the 16-week intervention period of aerobic or observational physical training in the control group. Testosterone plasma levels were measured before and after the intervention. Sexual function, risk of anxiety and depression, and quality of life were evaluated, respectively, using validated questionnaires for Portuguese: Female Sexual Function Index (IFSF), Hospital Anxiety and Depression Scale (HAD), and Questionnaire Quality of Life - SF-36. Results: There was a significant difference in WHR in the GAI group (p = 0.047) and reduction in testosterone levels in the groups GAC (p <0.01) and GAI (p = 0.04). In the evaluation of IFSF in the CG there was no change before and after 16 weeks. However, in GAC, there was an increase in total IFSF (p = 0.048), satisfaction (p = 0.049) and pain (p = 0.03). GAI showed increases in scores: total IFSF (p <0.01), desire (p <0.01), excitation (p <0.01), lubrication (p <0.01), orgasm (p <0.01) and satisfaction (p = 0.02). In the evaluation of the HAD questionnaire, both anxiety (p = 0.01) and (p <0.01) and depression (p <0.01) and (p = 0.02) in the GAC and GAI groups respectively. Regarding the SF-36 in the GAC was identified increase of the scores: physical aspects (p = 0.01); general health status (p = 0.02); vitality (p <0.01); social aspects (p <0.01); emotional aspects (p = 0.03) and mental health (p <0.01). In GAI there was elevation of the scores: functional capacity (p <0.01); general health status (p <0.01); vitality (p <0.01); social aspects (p <0.01); emotional aspects (p = 0.03) and mental health (p <0.01). Conclusion: Both aerobic physical training protocols were effective in improving sexual function, anxiety and depression and quality of life, observing greater effectiveness in intermittent aerobic physical training.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-06-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.