• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2004.tde-05102006-101403
Documento
Autor
Nome completo
André Luis Valentini Marinheiro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2003
Orientador
Banca examinadora
Vieira, Elisabeth Meloni (Presidente)
Almeida, Ana Maria de
Schraiber, Lilia Blima
Título em português
"Violência doméstica: prevalência entre mulheres usuárias de um serviço de saúde de Ribeirão Preto-SP"
Palavras-chave em português
gênero
violência doméstica
Resumo em português
No Brasil, o número de estudos sobre violência doméstica contra a mulher, perpetrada pelo companheiro, ainda é escasso. Neste país, como em outros, este problema já foi apontado como sendo de saúde pública, devido suas consequências. Estas consequências não são restritas à saúde física, sexual e mental da mulher, mas também inclui problemas da dinâmica familiar, atingindo a sociedade em geral. Este estudo avalia a prevalência de violência doméstica contra a mulher, cometida pelo companheiro ou por outras pessoas, utilizando-se de questionário aplicado no próprio domicílio da mulher. Todas as mulheres entrevistadas tinham entre 18 a 49 anos de idade na época da consulta médica e eram usuárias do serviço de saúde. A prevalência de violência doméstica perpetrada pelo companheiro alguma vez na vida, referida pelas usuárias, foi de 45,3% para qualquer tipo de violência, que foi denominada de violência geral; 41,5% das mulheres referiram violência psicológica, 26,4% violência física e 9,8% violência sexual. O estudo demonstrou associação da ocorrência de violência doméstica com algumas características apresentadas pelas usuárias como: escolaridade, estado marital, idade da primeira relação sexual, dados sócio-econômicos, vida sexual e reprodutiva e companheiro controlador, além de determinados sinais e sintomas. Destes, alguns se relacionaram com a violência: infecção ginecológica de repetição, depressão, vontade de morrer. Estes resultados, comparados com a prevalência de violência encontrada no serviço de saúde através dos registros médicos, mostraram uma grande diferença. Isto corrobora com a necessidade de tornar o problema da violência contra a mulher mais visível para os profissionais da saúde.
Título em inglês
“Domestic Violence : prevalence against women users healther center of Ribeirão Preto - SP, Brazil.”
Palavras-chave em inglês
domestic violence
gender
Resumo em inglês
In Brazil the number of studies on domestic violence against women, perpetrated by the partner, is still scarce. In this country, as well as all over the world due to its consequences, this issue has been pointed as a public health problem. These consequences are not limited to physical, sexual and mental health but they reveal problems in the family dynamics and affect society as whole. This study aimed to verify the prevalence of domestic violence against women, perpetrated by the partner or another person. A questionnaire was administered in the women’s household. All respondents have between 18 and 49 years old and were users of a specific health center. The prevalence of violence perpetrated by the partner, once in life, was reported by 45,3% of women and it was denominated general violence; 41,5% of women reported psychological violence, 26.4% physical violence and 9.8% sexual violence. The study showed that the problem of domestic violence is associated with schooling, marital status, age at first sexual intercourse, socioeconomic data, if has children, number of pregnancy and abortions, a controller partner, besides some specific signs and symptoms. Those, already related to violence, are: repeated gynecological infection, depression, suicides thoughts. Comparing the prevalence of violence among users with medical records a large difference is found.. This corroborates to the of making the issue of violence against women more visible for health professional.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
MsMarinheiroALV.pdf (442.07 Kbytes)
Data de Publicação
2006-10-09
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.