• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.17.2018.tde-22082017-145043
Documento
Autor
Nome completo
Anna Bárbara Borges de Assis
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2017
Orientador
Banca examinadora
Moraes, Leonardo Resstel Barbosa (Presidente)
Aguiar, Daniele Cristina de
Correa, Fernando Morgan de Aguiar
Nunes, Pedro Henrique Gobira
Título em português
Participação do sistema endocanabinóide no núcleo leito da estria terminal sobre respostas de ansiedade em ratos
Palavras-chave em português
Ansiedade
Endocanabinoides
Núcleo leito da estria terminal
Resposta emocional condicionada
Resumo em português
O sistema endocanabinoide é composto por ligantes endógenos, enzimas responsáveis pela síntese e degradação desses ligantes, além de receptores específicos. As duas principais moléculas endógenas, anandamida (AEA) e 2- araquidonilglicerol (2-AG), após sintetizadas, são difundidos para a fenda sináptica e agem retrogradamente em receptores canabinóides do tipo 1 e/ou 2 (CB1 e CB2, respectivamente). A ação da AEA termina após processo de internalização seguido por hidrólise através da enzima FAAH (fatty acid amid hydrolase; amidohidrolase de acidos graxos), presente no neurônio pós-sináptico. O 2-AG, por sua vez, é degradado pela MAGL (monoacilglicerol lipase), localizada pré-sinapticamente. O receptor CB1 modula negativamente a liberação de diversos neurotransmissores no sistema nervoso central. A participação dos endocanabinoides é amplamente descrita em diversas estruturas cerebrais envolvidas na expressão de respostas relacionadas aos comportamentos de ansiedade e medo, tendo seus efeitos mediados principalmente por CB1 e CB2. Entretanto, o papel dos endocanabinoides em algumas estruturas ainda não está completamente elucidado. Dentre essas, destaca-se o Núcleo Leito da Estria Terminal (NLET), uma estrutura límbica com importante papel na integração de informações associadas com controle autonômico, endócrino e comportamental durante situações aversivas. Há poucas evidências da presença e do envolvimento do sistema endocanabinoide no NLET sobre a modulação de respostas de ansiedade. Desta forma, o objetivo do presente estudo foi avaliar o envolvimento do sistema endocanabinoide presente no NLET na modulação de respostas aversivas inata e aprendida. Para isso ratos Wistar (240g - 270g) foram implantados com cânulas guia bilateralmente no NLET para administração de drogas. Foram utilizados: veículo (DMSO 10%), antagonista de receptores CB1, o AM251 nas doses de 0,1 a 0,3 nmol/100nL e um inibidor da enzima FAAH, URB597 nas doses de 0,01 e 0,1 nmol/100nL. Cinco dias após a cirurgia estereotáxica, os animais foram submetidos ao teste de resposta inata do Labirinto em cruz elevado por 5 minutos. Avaliou-se o número de entradas e o tempo gasto nos braços abertos e fechados. Dois a três dias após, os animais foram submetidos ao protocolo do medo condicionado ao contexto, realizado em 3 dias consecutivos. No dia do teste, respostas comportamentais (tempo de congelamento) e autonômicas (Pressão arterial média; Frequência cardíaca, e Temperatura cutânea da cauda) foram continuamente avaliadas durante 10 min. Nossos resultados demonstraram que o bloqueio ou ativação de receptores CB1 no NLET não alterou as respostas de medo inato. Entretanto, no medo aprendido, o antagonismo de receptores CB1 no NLET aumentou o componente comportamental e pressórico. Ainda, a inibição da FAAH no NLET, via CB1, diminuiu o componente comportamental e pressórico da resposta emocional condicionada. Desta maneira, podemos sugerir que o sistema endocanabinoide presente no NLET modula respostas de medo aprendido, sem intervir nas respostas de medo inato.
Título em inglês
Participation of endocannabinoid system in the bed nucleus of the stria terminalis on anxiety responses modulation in rats
Palavras-chave em inglês
Anxiety
Bed nucleus of the stria terminalis
Emotional conditioned response
Endocannabinoids
Resumo em inglês
The cannabinoid system is composed by two main endogenous ligands, enzymes responsible for synthesis and degradation of these ligands, and specific receptors. The two main endogenous molecules, anandamide (AEA) and 2-arachidonoylglycerol (2- AG), after synthesized post-synaptically, are released into the synaptic cleft, where they activate cannabinoid receptors type 1 and 2 (CB1 and CB2, respectively). AEA action terminates after internalization followed by enzymatic hydrolysis via FAAH (fatty acid amid hydrolase) located in the postsynaptic neuron. Meanwhile, 2-AG is degraded presynaptically by MAGL (monoacylglycerol lipase). CB1 receptor negatively modulates the release of several neurotransmitters in central nervous system. The endocannabinoid system is widely present in several brain structures involved on fear expression and anxiety-related responses, mostly mediated via CB1 and CB2 receptors. Nevertheless, the role of the endocannabinoids system role in specific brain structures is not yet completely elucidated. One structure in particular, is the Bed Nucleus of Stria Terminales (BNST), which is a limbic structure responsible for integration of autonomic, neuroendocrine and behavioral information during aversive situations. There is little evidence about the presence and involvement of endocannabinoid system in the BNST on anxiety responses modulation. Therefore, the aim of the present study was to evaluate the role of the endocannabinoid system in the BNST on the modulation of innate and learned aversive responses. Male Wistar rats (240 - 270g) were submitted to stereotaxic surgery for bilateral guide cannula implantation directed to the BNST, for drug administration. Animals received local injections of vehicle, AM251 (CB1-antagonist; 0,1 - 0,3 nmol/100nL), URB597 (an inhibitor of FAAH; 0,01 - 0,1 nmol/100nL). Five days after the stereotaxic surgery, animals were submitted to the innate response test, the elevated plus maze, for 5 minutes. The percentage of entries and time spent in open and the number of enclosed arms entries were analyzed. After two to three days, animals were submitted to the contextual fear conditioning protocol, performed in three consecutive days. On test day, behavioral (freezing) and autonomic responses (mean arterial pressure, heart rate and tail cutaneous temperature) were recorded for 10 min. Our data suggest that after CB1 receptors blocking or activation in the BNST do not promote changes in innate fear responses. However, during fear learning, CB1 receptor antagonism in the BNST increased freezing behavior and mean arterial pressure. In addition, FAAH inhibition in the BNST, via CB1, reduced freezing behavior and mean arterial pressure in the emotional conditioned response. These results suggest that endogenous cannabinoid system in the BNST can modulate defensive responses in fear learning, but not innate fear responses.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.