• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.16.2018.tde-22062017-154110
Documento
Autor
Nome completo
Rogerio Marcondes Machado
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Azevedo, Ricardo Marques de (Presidente)
Belluzzo, Ana Maria de Moraes
Kosovski, Lidia
Mostaço, Edelcio
Wisnik, Guilherme Teixeira
Título em português
Flávio Império teatro e arquitetura 1960-1977: as relações interdisciplinares
Palavras-chave em português
Arquitetura moderna
Pop arte
Teatro épico
Tropicalismo
Resumo em português
Tendo como hipótese a de que as teorias teatrais podem ser utilizadas para a análise e para o estímulo da produção de arquitetura e urbanismo configura-se, nesta tese, um campo interdisciplinar cujo foco é a produção do arquiteto e cenógrafo Flávio Império(1935-1985). Império é um importante elo entre o teatro e a arquitetura vanguardistas produzidas em São Paulo, especialmente durante o período em que foi professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP); por esse motivo adota-se esse período como o recorte temporal desta pesquisa. Em São Paulo, o engajamento político dos arquitetos e dos artistas do teatro, ao longo da década de 1960, os levaram a desenvolver linguagens artísticas bastantes distintas, apesar de compartilharem objetivos políticos e sociais similares. A análise da produção arquitetônica e cenográfica de Império, complementada com a de outros artistas próximos ao seu contexto, permite descrever as convergências e divergências entre a linguagem arquitetônica brutalista, como defendida por Vilanova Artigas (1915-1985), arquiteto e professor da FAU-USP, e o teatro épico brechtiano valorizado pelos grupos Teatro de Arena e Teatro Oficina, junto aos quais Império trabalhou intensamente. O atrito entre estas duas linguagens (a arquitetônica e a teatral) manifesta-se na produção realizada por Império junto com os arquitetos Sérgio Ferro (1938) e Rodrigo Lefèvre (1938-1984), em que o pensamento utópico e desenvolvimentista, característico do brutalismo paulistano, confrontava-se com as propostas realistas e de exploração do cotidiano, defendidas por Bertolt Brecht (1898-1956). O retrocesso democrático produzido pelo Golpe Civil-militar de 1964 e pela consolidação da ditadura como Ato Institucional n.5 (AI-5) em 1968, colocam à prova estas distintas opções artísticas. A arquitetura reage reforçando a autonomia do seu campo disciplinar e artístico, enquanto que o teatro, em sentido oposto, coloca em cheque a pertinência das estratégias políticas e artísticas enrijecidas, e isso se pode observar na produção Tropicalista, intensa em muitos campos artísticos, mas não no ambiente cultural da FAU-USP. Enquanto o teatro, e as artes plásticas, exploraram os aspectos rituais, imagéticos e corporais da produção cultural, questionando o status do objeto artístico, os arquitetos mantiveram-se fiéis à espacialidade e à temporalidade abstrata e impessoal do modernismo. Estas questões são aqui desenvolvidas e analisadas tendo como referência as ideias teatrais influentes naquele período - partilhadas por Império - e foram utilizadas como ferramenta crítica desta produção arquitetônica e urbanística.
Título em inglês
Flávio Império theater and architecture 1960-1977- the interdisciplinary relations
Palavras-chave em inglês
Epic theater
Modern architecture
Pop art
Tropicalism
Resumo em inglês
Adopting the hypothesis that theatrical theories can be used to analyze and stimulate the production of architecture and urbanism, this thesis set up an interdisciplinary field focusing on the production of the architect and set designer Flávio Império (1935-1985). Império is an important link between the avant-garde theater and architecture produced in São Paulo, especially during the period when he was professor at the School of Architecture and Urbanism at USP - University of São Paulo (FAU-USP); for that reason this period is adopted as the temporal cut of this research. In São Paulo, the political engagement of the architects and the theater artists throughout the 1960s led them to develop some rather distinct artistic languages, in spite of sharing similar social and political goals. The analysis of the architectural and scenographic production of Império, complemented by the analysis of the other artists close to his context, allows us to describe the convergences and divergences between the brutalist architectural language, as adopted by Vilanova Artigas (1915-1985),architect and professor at FAU- USP, and the brechtian epic theater valued by the groups Teatro de Arena and Teatro Oficina, where Império worked intensively. The friction between these two languages (architectural and theatrical) is manifested in the production carried out by Império along with the architects Sérgio Ferro (1938) and Rodrigo Lefèvre (1938-1984), in which utopian and developmentalist thinking - characteristic of the brutalist architecture produced in São Paulo - were confronted with the realist and exploitative proposals of daily life defended by Bertolt Brecht (1898-1956). The democratic retrogression produced by the1964 civil-military coup and the consolidation of the dictatorship with the Ato Institucional n.5(AI-5) in 1968 put these different artistic options to the test. Architecture reacts by reinforcing the autonomy of its disciplinary and artistic field, while the theater, in an opposite sense, puts in check the pertinence of stiffened political and artistic strategies, which can be observed in the Tropicalist production - intense in several artistic fields, but not in the cultural environment of FAU-USP. Whereas theater and the visual arts explored the ritual, imagetic, and corporeal aspects of cultural production, questioning the status of the artistic object, architects remained faithful to the abstract and impersonal spatiality and temporality of modernism. These questions are developed and analyzed here, with reference to the theatrical ideas that were influential in that period - shared by Império - which were used as a critical tool of this architectural and urbanistic production.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.