• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2007.tde-05062007-134450
Documento
Autor
Nome completo
Carolina Mathias Moreira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2007
Orientador
Banca examinadora
Batista, João Luis Ferreira (Presidente)
Martins, Fernando Roberto
Rodrigues, Ricardo Ribeiro
Título em português
Avaliação de métodos fitossociológicos através de simulações de amostragens numa parcela permanente de cerradão, na Estação Ecológica de Assis, SP
Palavras-chave em português
Amostragem
Áreas de conservação
Cerrado
Comunidades vegetais
Ecossistemas florestais
Plantas raras
Resumo em português
Existem vários métodos empregados em estudos fitossociológicos e muitos trabalhos já se propuseram a avaliar o desempenho desses métodos. O primeiro e mais utilizado é o método de parcelas, que sempre é referido nos trabalhos como o melhor e por isso definido como base para comparação com os demais. Por esse motivo, nunca foi avaliado isoladamente. Com o presente trabalho tem-se a oportunidade de avaliar o próprio método de parcelas, comparando seus resultados com os valores paramétricos, uma vez que foi feito um censo da área amostrada e a população estatística é conhecida sem erro amostral. Os dados são de uma parcela permanente instalada em uma área de cerradão (Estação Ecológica de Assis, SP). A parcela possui 10,24 ha e todos seus indivíduos com CAP ≥ 15 cm foram marcados, georreferenciados, medidos e identificados. Foi feita uma tabela de fitossociologia para a parcela que, por se tratar de um censo, representa os valores paramétricos. Foram geradas simulações de levantamentos fitossociológicos por amostragens sistemáticas para quatro tamanhos de parcela quadrada, sendo 10 x 10 m, 20 x 20 m, 50 x 50 m e 100 x 100 m, todas com área total amostrada de 1 ha. Para a parcela de 10 x 10 m foram simuladas mais três intensidades amostrais: 75, 50 e 25 parcelas. Para cada situação de amostragem foram simuladas 1.000 amostras e para cada uma dessas amostras foi elaborada uma tabela de fitossociologia. Foi avaliado o viés das etimativas de densidade e dominância, e a alteração da posição das espécies na tabela de fitossociologia. Foi avaliada também a influência da distribuição espacial das espécies nas etimativas. Por fim, foram feitas algumas análises de atributos de comunidade que são viáveis à partir de levantamentos fitossociológicos, como densidade, área basal, curva de acumulação de espécies, número de espécies amostradas e proporção de espécies e indivíduos por classe de densidade. O método de parcelas de 10 x 10 m foi o que apresentou menor viés para as estimativas, e também menor variação na posição das espécies na tabela de fitossociologia, mas mesmo assim há um alto viés para espécies de baixa densidade e uma grande alteração na posição das espécies na tabela de fitossociologia. Com relação à distribuição espacial, espécies com densidades intermediárias têm suas estimativas mais influenciadas pela distribuição espacial do que aquelas com baixa densidade - que sempre apresentarão viés - e aquelas com alta densidade - que não apresentam viés devido ao alto número de invivíduos na amostra. As análises de tributos de comunidade mostraram que esses atributos podem ser bem estimados, levando-se em consideração apenas detalhes usuais da escolha de método para qualquer amostragem, como o número de unidades amostrais, seu tamanho e sua distribuição pela área de estudo.
Título em inglês
Phytosociological methodologies evaluation using sampling simulations in a permanet plot at the Assis Ecological Station, SP
Palavras-chave em inglês
Conservation areas
Forest ecosystems
Rare plants
Sampling
Savannah
Vegetal communities
Resumo em inglês
Many methodologies are available for phytosociological studies, and many attempts have been made to evaluate them. The most commonly used method employs sample plots. This technique is always referred to in the literature as the basic approach and, as such, is usually defined as the benchmark to which the other methods are compared. For this reason, it has never been evaluated on its own. This work presents the opportunity to evaluate the plot method itself and compare its results with the parametric values available from a full census of a sampling area in which the complete population data is known and contains no sampling error. Data was taken from a permanent plot located in an area of forested savannah (Assis Ecological Station, SP, Brazil), that comprises an area of 10.24 ha, and all trees over 15 cm girth at breat hight were marked, georeferenced, measured and identified. Phytosociological measures were computed with the values of density and basal area for each species in the census and represent the parametric values. Simulations were made of phytosociological surveys by sistematic sampling with four square plot sizes (10 x 10 m, 20 x 20 m, 50 x 50 m, and 100 x 100 m). Additionally, three sampling intensities were simulated for the 10x10m plots (75, 50, and 25 plots). One thousand simulated surveys were performed for each sampling situation, and for each of these surveys phytosociological measures were computed. The bias in the estimates of both density and dominance was evaluated, as well as change in species importance. The influence of spatial pattern on the estimation of phytosociological measures was also evaluated. At last, some analysis of community attributes, that are feasible with phytosociological measures were made, such as density, basal area, species acummulation curves, number of species sampled and propotion of species and individuals per density group. The 10 x 10 m sample plots showed the lowest overall bias and the lowest variation in species importance, but even in this method were observed high bias and high variation. About the spatial distribution, species with very low density showed very large bias, indenpendently of spatial pattern. Spatial pattern had a clear influence on the estimates of intermediate density species, where species with more clustered pattern showed more skewed distribution. And for the species with high density, spatial pattern does not seem to play an importante role. The community attributes analysed can be well estimated with phytosociolocical measures, just taking into consideration some usual methodological details, such as sampling size and plot distributions within the study area.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
CarolinaMoreira.pdf (1.72 Mbytes)
Data de Publicação
2007-06-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.