• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2015.tde-12032015-171921
Documento
Autor
Nome completo
Mariana Bossi Esteves
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2015
Orientador
Banca examinadora
Lopes, Joao Roberto Spotti (Presidente)
Coletta Filho, Helvecio Della
Prado, Simone de Souza
Título em português
Seleção de plantas hospedeiras experimentais para ensaios de transmissão da estirpe de citros de Xylella fastidiosa
Palavras-chave em português
Adequação hospedeira
Bactéria fastidiosa
Cigarrinha vetora
Clorose variegada dos citros
Plantas-teste
Resumo em português
A clorose variegada dos citros (CVC) é uma das principais doenças que afeta a citricultura brasileira, causada pela bactéria Xylella fastidiosa (Wells), que coloniza o xilema de culturas de interesse econômico, além de plantas ornamentais e daninhas, sendo transmitida por cigarrinhas (Hemiptera: Cicadellidae: Cicadellinae). A compreensão do patossistema CVC é fundamental para planejar táticas eficazes de controle da doença. Entretanto, as pesquisas sobre interações patógeno-planta-vetores são escassas, devido à falta de plantas hospedeiras adequadas para ensaios de transmissão da bactéria, visto que citros não é um bom hospedeiro experimental. Assim, nesta pesquisa objetivou-se identificar espécies herbáceas que permitam a colonização sistêmica da estirpe de X. fastidiosa de citros, e avaliar seu uso como plantas-fonte e plantas-teste (indicadoras) em testes de transmissão por Bucephalogonia xanthophis (Berg). Para tal foram escolhidas as plantas Bidens pilosa L., Catharanthus roseus L., Citrus sinensis (L.) Osbeck, Medicago sativa L., Nicotiana tabacum L., Ocimum basilicum L., Parthenium hysterophorus L., Phaseolus vulgaris L., Sida rhombifolia L. e Solanum americanum Mill, que foram inoculadas mecanicamente com isolados de X. fastidiosa de citros e posteriormente avaliadas quanto à infecção por isolamento primário e reação de cadeia da polimerase (PCR). As espécies que permitiram colonização bacteriana foram posteriormente avaliadas em experimentos de transmissão por B. xanthophis, sendo divididos em duas etapas. Na primeira delas, variaram-se as espécies de plantas-fonte para aquisição da bactéria e fixou-se C. roseus como planta-teste para inoculação. Na segunda etapa, fixou-se C. roseus como planta-fonte e variaram-se as espécies de planta-teste. Durante os experimentos de transmissão, foram avaliados dois parâmetros biológicos de B. xanthophis: mortalidade (%) e volume de honeydew excretado (medida indireta de ingestão). Entre 30 a 90 dias após a inoculação, as plantas-testes foram analisadas quanto à infecção bacteriana por meio de PCR e isolamento. As inoculações mecânicas mostraram colonização sistêmica e multiplicação de X. fastidiosa em sete espécies vegetais (B. pilosa, C. roseus, C. sinensis, M. sativa, N. tabacum, O. basilicum e S. americanum), com maiores taxas de infecção e populações bacterianas em C. roseus e N. tabacum. As espécies C. roseus, M. sativa e O. basilicum, quando usadas como plantas-fonte de X. fastidiosa, propiciaram maiores volumes de excreção e menores taxas de mortalidade (15, 20 e 20%) da cigarrinha após 48 h de acesso à aquisição da bactéria. No experimento de transmissão com variação de espécies de plantas-teste, detectou-se a inoculação pelo vetor em C. roseus, M. sativa, O. basilicum e S. americanum, com maior proporção de plantas positivas (cerca de 20%) para as duas primeiras. Dentre essas espécies, C. roseus e M. sativa são as indicadoras mais adequadas para ensaios de transmissão de X. fastidiosa por B. xanthophis, sendo a primeira também adequada como planta-fonte.
Título em inglês
Selection of experimental host plants for transmission tests of citrus strain of Xylella fastidiosa
Palavras-chave em inglês
Citrus variegated chlorosis
Fastidious bacterium
Host suitability
Sharpshooter vector
Test plants
Resumo em inglês
Citrus variegated chlorosis (CVC) is a major disease that affects the Brazilian citrus industry, caused by the xylem-limited bacterium Xylella fastidiosa (Wells), which colonizes several crop plants, ornamentals and weeds, and is transmitted by sharpshooter leafhoppers (Hemiptera: Cicadellidae: Cicadellinae). A better understanding of the CVC pathossystem is critical for developing effective tactics to control the disease. However, research on the relationships among pathogen strains, host plants and insect vectors associated with CVC is scarce, partly because of the lack of adequate host plants for transmission assays, since citrus is not a suitable experimental host for this purpose. Thus, the present study aimed to identify herbaceous plants that allow systemic colonization of citrus strains of X. fastidiosa, and evaluate them as source and test (indicator) plants in transmission assays by the sharpshooter Bucephalogonia xanthophis (Berg). Ten plant species, Bidens pilosa L., Catharanthus roseus L., Citrus sinensis (L.) Osbeck, Medicago sativa L., Nicotiana tabacum L., Ocimum basilicum L., Parthenium hysterophorus L., Phaseolus vulgaris L., Sida rhombifolia L. and Solanum americanum Mill were mechanically inoculated with citrus isolates of X. fastidiosa and then evaluated for bacterial infection by primary isolation in culture medium and polymerase chain reaction (PCR). Those plant species that allowed bacterial colonization were later evaluated in two transmission experiments by B. xanthophis, In the first experiment, different plant species were tested as source plants for bacterial acquisition and transmission to C. roseus (test plant). In the second one, C. roseus was used as a source plant and different plant species were evaluated as test (indicator) plants for bacterial inoculation. During the transmission experiments, two biological parameters of B. xanthophis were evaluated: mortality rate (%) and honeydew excretion (as an indirect measure of ingestion). Between 30 and 90 days after inoculation, the test plants were analyzed for X. fastidiosa infection by PCR and culturing. The mechanical inoculation experiments showed systemic colonization and multiplication of X. fastidiosa in seven plant species (B. pilosa, C. roseus, C. sinensis, M. sativa, N. tabacum, O. basilicum and S. americanum), with higher rates of infection and bacterial populations of C. roseus and N. tabacum. The species C. roseus, M. sativa and O. basilicum, when used as source plants of X. fastidiosa, allowed higher ingestion (honeydew excretion) rates and lower mortality (15, 20 and 20%) of B. xanthophis during the 48-h acquisition access period. In the transmission experiment with different species of test plants, X. fastidiosa inoculation by the vector was detected in C. roseus, M. sativa, O. basilicum and S. americanum, with a higher rate of infected plants (about 20%) in the former two species. Among the herbaceous plant species evaluated in this research, C. roseus and M. sativa are the most appropriate indicator hosts of X. fastidiosa infection for transmission assays by B. xanthophis, whereas the former species is also suitable as a source plant.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-04-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.