• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.11.2019.tde-13032019-181241
Documento
Autor
Nome completo
Nataly Maria Viva de Toledo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2018
Orientador
Banca examinadora
Brazaca, Solange Guidolin Canniatti (Presidente)
Silva, Paula Porrelli Moreira da
Berruezo, Gaspar Ros
Selani, Miriam Mabel
Título em inglês
Use of fruit processing by-products for the development of cookies: physicochemical, nutritional, technological and sensory aspects
Palavras-chave em inglês
Apple
Bioavailability
Caco-2
Cookie
Fiber
Melon
Mineral
Oxalate
Phytate
Pineapple
Waste
Resumo em inglês
The present study aimed at characterizing pineapple, apple and melon by-products and evaluating their potential as an ingredient for the partial substitution of wheat flour in cookie formulations. The addition of fruit by-products contributed to rise the cookies fiber content. Melon by-product was prominent for its mineral content, whereas apple by-product presented more relevant results for phenolic compounds and antioxidant capacity (DPPH and ABTS). Such behaviors reflected in the cookie formulations. Eight phenolic compounds (vanillic acid, gallic acid, sinapic acid, salicylic acid, p-coumaric acid, catechin, epicatechin and rutin) were identified and quantified by HPLC in both the by-products and cookies. Regarding the antinutritional factors and mineral bioavailability, it was observed that the addition of fruit by-products in cookies reduced the contents of phytate and oxalate and promoted changes in calcium, iron and zinc bioavailability. Facing the technological aspects, it was observed that the use of by-products interfered in the color of the cookies, making them slightly darker and also weakened the gluten formed, promoting variations in diameter and expansion factor. On the other hand, it was observed that increasing concentrations of by-products led to higher values of hardness, making the cookies firmer and crunchier. In the sensory point of view, it was verified that the cookie with 15% of pineapple by-product demonstrated the highest acceptance, followed by cookies with 15% of apple by-product, control and 15% of melon by-product. By quantitative descriptive analysis (QDA), it was found that the addition of fruit by-products altered the sensory profile of the cookies. From the results obtained, it can be concluded that the fruit by-products are potential ingredients for cookie formulation, attributing to them specific physicochemical, technological, nutritional and sensory properties which can vary according to the by-products employed.
Título em português
Aproveitamento de subprodutos do processamento de frutas para desenvolvimento de cookies: aspectos físico-químicos, nutricionais, tecnológicos e sensoriais
Palavras-chave em português
Análise de alimentos
Biscoitos
Desenvolvimento de produtos
Fibras
Minerais
Subprodutos como alimentos
Resumo em português
O presente estudo visou caracterizar subprodutos de abacaxi, maçã e melão e avaliar seu potencial como ingrediente para substituição parcial de farinha de trigo em formulações de biscoitos. A adição de subprodutos de frutas contribuiu para elevar o teor de fibras dos biscoitos. O subproduto de melão se destacou por seu conteúdo mineral, enquanto que o subproduto de maçã apresentou resultados mais relevantes para compostos fenólicos e capacidade antioxidante (DPPH e ABTS). Tais comportamentos se refletiram nas formulações de biscoitos. Oito compostos fenólicos (ácido vanílico, ácido gálico, ácido sinápico, ácido salicílico, ácido p-cumárico, catequina, epicatequina e rutina) foram identificados e quantificados por HPLC tanto nos subprodutos como nos biscoitos. Com relação aos fatores antinutricionais e biodisponibilidade mineral, observou-se que a adição de subprodutos de frutas em biscoitos diminuiu os teores de fitato e oxalato e promoveu mudanças na biodisponibilidade de cálcio, ferro e zinco. Frente aos aspectos tecnológicos, observou-se que o uso de subprodutos interferiu na cor dos biscoitos, tornando-os levemente mais escuros e também enfraqueceu a rede de glúten formada, promovendo variações do diâmetro e fator de expansão. Por outro lado, observou-se que quanto maior a concentração de subprodutos, maiores foram os valores de dureza (textura), sendo as amostras consideradas mais firmes e crocantes. Do ponto de vista sensorial, verificou-se que o biscoito com 15% de subproduto de abacaxi foi o que demonstrou maior aceitação, seguido pelos cookies com 15% de subproduto de maçã, controle e 15% de subproduto de melão. Por meio de análise descritiva quantitativa (ADQ), observou-se que a adição de subprodutos de frutas alterou o perfil sensorial dos biscoitos. A partir dos resultados obtidos, concluiu-se que os subprodutos de frutas se apresentam como potenciais ingredientes para formulações de cookies, atribuindo-lhes propriedades físico-químicas, tecnológicas, nutricionais e sensoriais específicas as quais podem variar de acordo com o subproduto empregado.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-03-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.