• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2004.tde-05112004-142653
Documento
Autor
Nome completo
Lia Ferraz de Arruda
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2004
Orientador
Banca examinadora
Oetterer, Marilia (Presidente)
Arce, Marisa Aparecida Bismara Regitano D
Viegas, Elisabete Maria Macedo
Título em português
Aproveitamento do resíduo do beneficiamento da Tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) para obtenção de silagem e óleo como subprodutos.
Palavras-chave em português
óleo de peixe
resíduo animal
silagem
subproduto animal
tilápia-do-Nilo
Resumo em português
Um terço da captura mundial de pescado não é empregada para o consumo direto na alimentação humana, seguindo para elaboração de rações ou é desperdiçada como resíduo. O ideal seria utilizar a matéria-prima em toda a sua extensão e recuperar os subprodutos, evitando a própria formação do resíduo. Com os objetivos de aumentar a receita e a eficiência de produção da indústria e, conseqüentemente, minimizar os problemas ambientais e de sanidade, provenientes do resíduo de pescado, procedeu-se à elaboração da silagem química do resíduo de beneficiamento da tilápia. A tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) é hoje a espécie mais popular no Brasil. A tilápia é cultivada em 22 estados brasileiros e a sua produção anual está entre 30 e 40 mil t. A tilápia foi uma das primeiras espécies oriundas da aqüicultura a ser beneficiada, sendo atualmente comercializada na forma de filés congelados, tecnologia emergente, porém com rendimento de cerca de 30%. Com isso, há necessidade de se transformar o resíduo gerado com o beneficiamento do filé em subprodutos, diminuindo o impacto ambiental. A silagem foi elaborada após homogeneização em cutter e acidificação da biomassa com 3% de ácido fórmico: propiônico, 1:1, adição do antioxidante BHT e manutenção do pH ao redor de 4,0. Foram realizadas análises para determinação da umidade, proteína, lipídios e cinza. Os aminoácidos foram examinados em auto analisador após hidrólise ácida, à exceção do triptofano determinado por colorimetria. A silagem de tilápias apresentou teores semelhantes ou maiores aos preconizados pelo padrão da FAO para todos os aminoácidos essenciais, com exceção do triptofano. Os valores mais elevados encontrados foram para o ácido glutâmico, leucina e lisina. Os resultados indicam uma possível utilização da silagem, preparada a partir do resíduo de processamento da Tilápia-do-Nilo, como fonte proteíca na formulação de ração para peixes. Entretanto, para o aproveitamento da silagem é necessário que se estabeleçam técnicas para remoção do óleo presente com a finalidade de aumentar a estabilidade do produto e seu valor comercial. A oxidação dos lipídios presentes pode causar a formação de peróxidos que podem complexar as proteínas com conseqüente destruição dos aminoácidos. O presente trabalho buscou, também, estabelecer a melhor via de extração do óleo presente na silagem ácida de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus), bem como caracterizar o óleo obtido. A fração lipídica foi extraída por três métodos de extração, a saber, centrifugação (3500 × G/30 min), Soxhlet (AOAC,1990) e Bligh & Dyer (1969). Os resultados para rendimento e índice de peróxido foram, respectivamente, 65,53% e 0,00 mEq/1000g de O2, 44,27% e 25,00 mEq/1000g de O2, 46,87% e 0,00 mEq/1000g de O2. O óleo de tilápia contém, em mg/100g, 28,60; 16,30 e 3,10 dos ácidos oléico, linoléico e linolênico, respectivamente. A centrifugação demonstrou ser a melhor metodologia de extração, por preservar as características físico-químicas do óleo e propiciar maior rendimento. O conteúdo de lipídios na silagem de tilápias, com base na matéria úmida é de 3,99 g/100g, com a retirada da fração lipídica através da centrifugação, restou na amostra apenas 1,54 g/100g de lipídios, o que é considerado um nível aceitável para inclusão em rações para animais.
Título em inglês
Utilization of fish waste from the processing of nile tilapia (Oreochromis niloticus) to obtain fish silage and fish oil as by-products.
Palavras-chave em inglês
animal by-product
animal residue
fish oil
Nile tilapia
silage
Resumo em inglês
One third of the world fishing produce is not directly applied in human consumption. Instead, it is used in the elaboration of feed or wasted as residue. It would be ideal to use the raw material thoroughly and to recover by-products, preventing the generation of residues. With the objectives of increasing the income and the production of the industry, as well as minimizing environmental and health problems from fish residues, chemical silage from Tilapia processing residues was produced. The Nile tilapia (Oreochromis niloticus) is the most popular species in Brazil today. Tilapia is cultivated in 22 Brazilian states and its annual production is between 30 and 40 thousand tons. Tilapia was one of the first aquaculture species to be processed after harvesting, being currently commercialized in the form of frozen fillets, however, with a yield of about 30%. Thus, there is a need for transforming the residues generated by the fillet processing into by-products, minimizing the environmental impact. The silage was elaborated after cutter-homogenization and acidification of the biomass with 3% formic acid: propionic, 1:1, addition of antioxidant BHT and maintenance of pH at about 4.0. Analyses for the determination of the moisture, protein, lipids and ash were carried out. The amino acids were examined in an auto analyzer after acid hydrolysis, except for the triptophane which was determined through colorimetry. The tilapia silage presented contents that were similar to or higher than the FAO standards for all essential amino acids, except for the triptophane. The highest values found were for lysine and leucine. The results indicate a possible use of the silage prepared from the Nile tilapia processing residue as a proteic source in the manufacturing of fish feed. However For the use of the silage, oil-removing techniques are necessary in order to increase the stability of the product as well as its commercial value. Lipid oxidation may cause peroxide formation, which can produce complex proteins with a consequent destruction of amino acids. The present work tried to determine the best form of extracting the oil from the acid silage of Nile tilapia (Oreochromis niloticus) and to caracterize the silage oil. The lipid fraction was extracted by three extraction methods: centrifugation (3500 × G·30 min-1), Soxhlet (AOAC, 1990) and Bligh & Dyer (1969). The results for yield and peroxide value were, respectively, 65.53% and 0.00 mEq·1000g-1 of O2, 44.27% and 25.00 mEq·1000g-1of O2, 46.87% and 0.00 mEq·1000g-1 of O2. The lipid fraction showed 28,60; 16,30 and 3,10mg·1000g-1 of oleic, linoleic and linolenic acids, respectively. Centrifugation proved to be the best extraction methodology due to the preservation of the physical-chemical characteristics of the oil and greater yield. The lipid content of the tilapia silage, on a fresh matter basis, was 3.99g·100g-1. With the removal of the lipid fraction by centrifugation, only 1.54 g·100g-1of lipids could be found in the sample, which is considered an acceptable level for its inclusion in animal feed.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
lia.pdf (829.33 Kbytes)
Data de Publicação
2004-11-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.