• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2007.tde-08032007-142028
Documento
Autor
Nome completo
Luana da Silva Botelho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2006
Orientador
Banca examinadora
Menten, Jose Otavio Machado (Presidente)
Machado, José da Cruz
Novembre, Ana Dionisia da Luz Coelho
Título em português
Fungos associados às sementes de ipê-amarelo (Tabebuia serratifolia), ipê-roxo (Tabebuia impetiginosa), aroeira-pimenteira (Schinus terebinthifolius) e aroeira-salsa (Schinus molle): incidência, efeitos na germinação, transmissão para plântulas e controle
Palavras-chave em português
Aroeira
Fungicidas
Fungos fitopatogênicos
Germinação de sementes
Ipê
Patogenicidade
Resumo em português
Os objetivos deste trabalho foram detectar e identificar os fungos presentes em amostras de sementes de ipê-amarelo (Tabebuia serratifolia), ipê-roxo (Tabebuia impetiginosa), aroeira-pimenteira (Schinus terebinthifolius) e aroeira-salsa (Schinus molle), coletadas em diferentes localidades (Piracicaba-SP, Mogi-Guaçu-SP, Rio das Pedras-SP, Ijaci-MG, Itumirim-MG e Lavras-MG) uma parte das amostras foram submetidas à assepsia e a outra não; verificar o efeito desses fungos na germinação dessas sementes; avaliar a transmissão de fungos das sementes para as plântulas; avaliar a patogenicidade de Pestalotiopsis sp. em mudas de aroeira-pimenteira e comparar o efeito de diferentes fungicidas (captam, carbendazim+tiram e carboxim+tiram) na incidência dos fungos e na germinação. Constatou-se que os fungos mais frequentes e em maior incidência encontrados associados às sementes, tanto de ipê-amarelo quanto de ipê-roxo, foram Cladosporium sp., Alternaria alternata, Epicoccum sp., Phoma sp., Geotrichum sp., Penicillium sp., Trichothecium sp., Phomopsis sp., Drechslera sp., Aspergillus spp., Curvularia sp. e Fusarium spp. De maneira geral, a assepsia proporcionou uma redução drástica de todos os fungos, em ambas espécies. Não houve diferença significativa na porcentagem de plântulas normais, entre as amostras, porém o tratamento com hipoclorito de sódio, reduziu a germinação em 64%. Na transmissão observou-se, em média, 17% e 10% de plântulas com sintomas, nas amostras sem assepsia e com assepsia, respectivamente. Os fungos mais freqüentes transmitidos pelas sementes de ipê foram: Alternaria alternata., Fusarium spp., Aspergillus spp., Phoma sp. e Phomopsis sp. Em relação às espécies de aroeira, os fungos quantificados foram Cladosporium sp., Alternaria alternata, Aspergillus spp., Pestalotiopsis sp., Penicillium sp., Fusarium spp., Epicoccum sp., Nigrospora sp., Curvularia sp., Drechslera sp., Trichoderma sp., Myrothecium sp. e Phoma sp. A assepsia reduziu ou manteve a incidência dos fungos, exceto para Pestalotiopsis sp. e Aspergillus spp. que aumentaram em algumas amostras de sementes de aroeira-pimenteira. Não houve diferença estatística da germinação das com e sem assepsia e entre amostras; para aroeira-salsa não verificou-se germinação. Foi confirmada a transmissão, principalmente dos fungos Cladosporium sp., Aspergillus spp. e Pestalotiopsis sp. Em mudas de aroeira-pimenteira verificou-se a patogenicidade de Pestalotiopsis sp. No tratamento de sementes com fungicidas, todos, de uma maneira geral, mostram resultados satisfatórios no controle de todos os fungos detectados, tanto para ipê quanto para aroeira. Captam apresentou resultado satisfatório principalmente em sementes de ipê, onde não foi verificado efeito fitotóxico em relação aos demais fungicidas comparados. Porém, o uso de copolímero de poliéter e silicone, um espalhante adesivo utilizado para facilitar a distribuição do produto, interferiu de forma negativa nos resultados de germinação de sementes de ipê; para aroeira não foi verificado este efeito. Torna-se necessário comparar diferentes doses e produtos para não só controlar fungos associados às sementes mas evitar problemas durante a germinação das mesmas e garantir a produção de mudas sadias e vigorosas em viveiros.
Título em inglês
Associated fungi to ipê-amarelo seeds (Tabebuia serratifolia), ipê-roxo (Tabebuia impetiginosa), aroeira-pimenteira (Schinus terebinthifolius) and aroeira-salsa (Schinus molle): incidence, germination effects, seedling transmission and control.
Palavras-chave em inglês
Aroeira
Fungicide
Ipê
Pathogenicity
Pathogenicity fungi
Seeds germination
Resumo em inglês
The objectives of this work were to detect and to identify the fungi present in samples of native forest seeds of ipê-amarelo (Tabebuia serratifolia), ipê-roxo (Tabebuia impetiginosa), aroeira-pimenteira (Schinus terebinthifolius) and aroeira-salsa (Schinus molle), collected at different places (Piracicaba-SP, Mogí-Guaçu-SP, Rio das Pedras-SP, Ijaci-MG, Itunirim-MG and Lavras-MG), submiting some parts of the asepsis and the other no; to verify the effect of these fungi in the germination of these seeds; to evaluate the transmission of seed fungi associated to seedlings; to evaluate the patogenicity of Pestalotiopsis sp. in aroeira-pimenteira seedlings and to compare the effect of different fungicides (captan, carbendaxim+tiram and carboxim+tiram) in the fungi incidence and germination. The results showed that the most incident and frequent fungi found associated to the seeds of ipê-amarelo and ipê-roxo were Cladosporium sp., Alternaria alternata, Epicoccum sp., Phoma sp., Geotrichum sp., Penicillium sp., Trichothecium sp., Phomopsis sp., Drechslera sp., Aspergillus spp., Curvularia sp. and Fusarium spp. In general, the asepsis provided a drastic reduction of all fungi, in both species. There was no significantive difference in the normal seedling percentage, independent of the sample, however the treatment with sodium hipoclorite, in the asepsis, reduced the germination in 64%. In the transmission was observed, on average, 17% and 10% of seedlings with symptoms, in the samples without asepsis and with asepsis, respectively. The most frequent fungi transmitted by ipê seeds were: Alternaria alternata., Fusarium spp., Aspergillus spp., Phoma sp. e Phomopsis sp.. In relation to aroeira species, the quantified fungi were: Cladosporium sp., Alternaria alternata, Aspergillus spp., Pestalotiopsis sp., Penicillium sp., Fusarium spp., Epicoccum sp., Nigrospora sp., Curvularia sp., Drechslera sp., Trichoderma sp., Myrothecium sp. e Phoma sp.. The The asepsis reduced or maintained the fungi incidence, except for Pestalotiopsis sp. and Aspergillus spp. That increased in some aroeira-pimenteira seeds. The germination results showed that there was no statistical difference in relation to seeds with and without asepsis and among samples. The transmission was confirmed, mainly of the fungi Cladosporium sp., Aspergillus spp. e Pestalotiopsis sp.. In aroeira-pimenteira seedlings the patogenicity of Pestalotiospsis sp. was verified. In the seeds treatment with fungicides, all, in a general way, showed satisfactory results in the control of all detected fungi, as much for ipê as for aroeira. Captan presented satisfactory result principally in ipê seeds, where fitotoxic effect had not been verified in relation to the other compared fungicides. However, the use of copolímero of polyeter and silicon, an adhesive dispersed, used to facilitate the product distribution, negatively interfered on the germination results; for aroeira this effect had not been verified in the germination. To compare different doses, products not only to control fungi associated to the seeds but to avoid problems during the germination of the same ones and to guarantee the production of healthy seedlings and vigorous in nurseries becomes necessary.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
LuanaBotelho.pdf (620.87 Kbytes)
Data de Publicação
2007-03-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.