• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.11.2006.tde-10032006-171411
Documento
Autor
Nome completo
Rita de Fátima Alves Luengo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2005
Orientador
Banca examinadora
Jacomino, Angelo Pedro (Presidente)
Calbo, Adonai Gimenes
Kluge, Ricardo Alfredo
Moretti, Celso Luiz
Mourão Filho, Francisco de Assis Alves
Título em português
Dimensionamento de embalagens para comercialização de hortaliças e frutas no Brasil
Palavras-chave em português
comércio agrícola
embalagem de alimento
frutas
hortaliças
logística (administração)
perdas agrícola
pós-colheita
Resumo em português
O elevado índice de perdas pós-colheita que ocorre no Brasil impede que 20 a 30 % das hortaliças e frutas produzidas e que saem do campo cheguem ao consumidor final. Embalagens adequadas para a comercialização podem contribuir para reduzir essas perdas. Buscou-se neste trabalho dimensionar embalagens para comercialização das principais espécies de hortaliças e frutas comercializadas no Brasil, considerandose a proteção da carga, quanto a danos mecânicos, o atendimento à legislação brasileira, a adequação de logística e o atendimento a critérios ergonômicos para proteger a saúde do operador. Calculou-se a altura potencial de embalagens para as principais hortaliças e frutas de formato arredondado, em sua maioria. A definição da altura baseou-se na compressão que cada produto pode suportar sem que ocorram danos mecânicos, altura esta estimada a partir de medidas efetuadas com a técnica de aplanação. Depois foi calculada a altura para embalagens de hortaliças folhosas com metodologia apropriada ao formato e comercialização em maços ou planta inteira. A mesma metodologia foi usada para pimentão, hortaliça igualmente deformável devido à proeminência do vazio de sua cavidade locular. O cálculo da altura máxima potencial foi a primeira dimensão das embalagens. Para a definição do comprimento e largura consideraram-se a legislação brasileira, com medidas externas paletizáveis e a otimização de frete e transporte, com conteúdos de produto preferencialmente entre 15 e 20 kg. A determinação da densidade aparente de cada uma das frutas ou hortaliças nas embalagens foi necessária para este dimensionamento. Houve desenvolvimento de metodologias específicas para alcançar o objetivo proposto, como os métodos para determinação das alturas potenciais de embalagens para frutas e hortaliças arredondadas e para hortaliças folhosas, e da balança hidrostática acoplada à embalagem, que permite medir a pressão a que os frutos ficam sujeitos com o fechamento da caixa. Além de métodos e conhecimentos biomecânicos, foram propostos novos modelos de embalagens para comercialização de hortaliças e frutas, gerando uma família de caixas constituída de tamanhos. Estes modelos possuem medidas externas de 50 cm de comprimento, 30 ou 60 cm de largura e 17,5; 23 ou 35 cm de altura. Este número reduzido de modelos é valioso para as necessidades logísticas de embalagens que se encaixem entre si, e para facilitar a composição de páletes mistos, muito freqüentes na comercialização de frutas e hortaliças no Brasil e em outros países.
Título em inglês
Package dimensioning for fruits and vegetables commercialization in Brazil
Palavras-chave em inglês
agricultural business
agricultural losses
food package
fruits
logistic
post-harvest
vegetable
Resumo em inglês
Fruits and vegetables post-harvest losses levels of 20 to 30% occur in Brazil. Correct packages for fruits and vegetables commercialization can contribute to reduce these losses. The purpose of this work was to dimension packages for the main fruits and vegetables commercialized in Brazil, considering mechanical injuries protection, Brazilian package horticultural laws, logistic and worker health constraints. Initially, there were obtained the maximum allowable pile height for several horticultural products, using the flattening method and the firmometer to measure the organ turgor dependent firmness. After that, it was defined the commercialization leafy vegetables package height based on compression, with another methodology. Considering Brazilian laws, worker health constraints and transport optimization, packages have the lenght and width defined to accommodate 15 to 20 kg of product each ones. Apparent density determination for each fruit or vegetable was necessary for this dimensioning. Besides new methodology and biomechanical knowledge, it was proposed the dimensioning of new packages for the main fruits and vegetables commercialized in Brazil, a package family, with four different sizes. These models have external measures of 50 cm lenght, width 30 or 60 cm, and height 17.5, 23 or 35 cm. The reduced number of different packages is important for logistics purposes, in order the boxes can be used in homogeneous mixed pallets, which are common in fruits and vegetables commercialization retailers in Brazil and other countries.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
RitaLuengo.pdf (822.49 Kbytes)
Data de Publicação
2006-03-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.