• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.11.2015.tde-07042015-104640
Documento
Autor
Nome completo
Victor Hugo Moura de Souza
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2015
Orientador
Banca examinadora
Inomoto, Mario Massayuki (Presidente)
Bedendo, Ivan Paulo
Soares, Pedro Luiz Martins
Título em português
Reação de hospedeiro de espécies de eucalipto a Pratylenchus brachyurus e Meloidogyne incognita
Palavras-chave em português
Eucalyptus
Meloidogyne incognita
Pratylenchus brachyurus
Resistência a fitonematoides
Resumo em português
O gênero Eucalyptus possui diversas espécies que apresentam grande valor comercial, sendo utilizado principalmente para produção de energia (carvão e lenha) e celulose-papel. Na literatura, entretanto, existem poucas informações acerca de nematoses nessa cultura. Além dessa carência e de sua importância econômica, o eucalipto é comumente cultivado em locais de alta incidência de Pratylenchus brachyurus e Meloidogyne incognita, além de ser consorciado com diversas outras culturas intolerantes, como por exemplo a soja. Dessa forma há uma necessidade de conhecer a reação das espécies de eucalipto a estes nematoides. Dito isso, o presente trabalho teve por objetivo testar a reação de algumas espécies de eucalipto a P. brachyurus e M.incognita. Foram realizados 6 experimentos, 5 envolvendo o nematoide das lesões e 1 com o nematoide de galhas. Os tratamentos foram inoculados com uma população inicial de nematoides e, após 90 dias, estimava-se o fator de reprodução (FR) e nematoides por grama de raiz (Nem/g). Adotou-se o critério baseado em Oostenbrink (1966), onde a espécie foi considerada suscetível quando apresenta FR >= 1 e resistente quando FR < 1. Dos eucaliptos testados, 6 apresentaram reação suscetível e 4 reação resistente para P. brachyurus. As espécies com maiores FR estão entre as mais utilizadas no Brasil, exceto E. saligna. Ressalta-se que estas não necessariamente são resistentes, necessitando apenas de um período maior para o estabelecimento do patógeno. Observou-se indícios de que E. saligna e E. camaldulensis sejam intolerantes a P.brachyurus. Para M. incognita raça 3 todas as espécies testadas foram resistentes. Aconselha-se a realização de experimentos com períodos superiores a 100 dias para uma correta classificação da reação de hospedeiro. O eucalipto é uma opção para aproveitamento de áreas infestadas com M. incognita raça 3, porém seu uso mostra-se um risco em áreas infestadas com P. brachyurus.
Título em inglês
Host-status of eucalyptus species to Pratylenchus brachyurus and Meloidogyne incognita
Palavras-chave em inglês
Eucalyptus
Lesion nematode
Resistance to phytonematodes
Root-knot nematode
Resumo em inglês
The Eucalyptus has several species with high commercial value and is used mainly for energy purpose (Charcoal and firewood) and paper. In the literature, however, there is little information about plant parasitic nematodes in this woody specie. In addition to this lack and its economic importance, eucalypts is also commonly cultivated in areas with high incidence of Pratylenchus brachyurus and Meloidogyne incognita, and consorted with several intolerant crops, such as soybean. Thus, there is a need to know the host status of the eucalypts species to these nematodes. With that, this work aimed to test the reaction of some Eucalyptus species to P.brachyurus and M. incognita. For this purpose six experiments were performed, five to test the lesion nematode and one to test the root-knot nematode. The treatments were inoculated and, after 90 days, it was estimated the reproduction factor (FR) and nematodes per gram of root (Nem/g). The present work adopted the criteria based on Oostenbrink (1966), where the species was considered susceptible when presenting FR >= 1 and resistant when FR < 1. Of species tested, six were susceptible hosts and four resistant host to P. brachyurus. The species with highest FR are among the most used eucalypts in Brazil, except E. saligna. It is emphasized that those species with FR < 1 are not necessarily resistant, requiring only a longer period for the pathogen establishment. There was some evidence that E. saligna and E. camaldulensis are intolerant hosts to P. brachyurus. To M. incognita Race 3 all tested species were resistant. It is advisable to perform experiments for periods longer than 100 days to a correct classification of host status. Eucalyptus is an option for utilization of areas infested with M. incognita race 3, but its use appears to be a risk in Pratylenchus brachyurus infested areas.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-04-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.