• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2013.tde-09122013-143015
Documento
Autor
Nome completo
Marcela Malvini Pimenta
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Reche Junior, Archivaldo (Presidente)
Lucas, Silvia Regina Ricci
Silva, Ricardo Duarte
Título em português
Ocorrência de cálculo renal e/ou ureteral em gatos com doença renal crônica atendidos no Hospital Veterinário da Universidade de São Paulo
Palavras-chave em português
Cálculo renal
Cálculo ureteral
Doença renal crônica
Gatos
Resumo em português
Mais do que uma realidade na clínica de felinos, os cálculos renais em gatos tornaram-se motivo de grande preocupação para a especialidade. Em contraste aos cálculos de estruvita encontrados frequentemente na vesícula urinária, os cálculos de oxalato de cálcio (CaOx), localizados em rins e ou ureteres passaram a compor um novo perfil da urolitíase. Foi realizado um estudo clínico transversal com 96 gatos com o objetivo de determinar a ocorrência de cálculos de origem renal (nefrolitíase e ureterolitíase) em gatos portadores de DRC e uma possível associação entre essas duas doenças. Destes pacientes, 24 foram excluídos por não atenderem os critérios necessários para classificação entre os grupos. Assim, 72 gatos portadores de DRC foram divididos em dois grupos, DRC com evidências de nefrolitíase e ou ureterolitíase (n=47), e DRC sem evidências de nefrolitíase e ou ureterolitíase (n=25). Os grupos mostraram homogeneidade em relação à classificação da DRC segundo os estágios propostos pela IRIS - International Renal Interest Society (p= 0,5613), como também em relação à idade (p=0,274). Contudo, os gatos classificados no estágio II da DRC foram os mais representados em ambos os grupos. Apesar disso, os pacientes portadores de nefrolitíase e ou ureterolitíase apresentaram maiores indícios de lesão renal, demarcados por uma diferença estatisticamente relevante da densidade urinária (p= 0,013) e do dimensionamento renal. O tamanho do rim direito e esquerdo diferiu estatisticamente entre os dois grupos. No que tange ao seu comprimento em relação ao plano longitudinal, o tamanho do rim direito foi de 3,25cm e 3,61cm entre os gatos com cálculo e sem cálculo respectivamente (p= 0,009). De forma semelhante, houve diferença entre os grupos em relação ao tamanho do rim esquerdo (p=0,048), em que o volume médio do grupo com cálculo foi de 3,21 cm e do grupo sem cálculo 3,69 cm. O paratormônio intacto (PTHi) foi avaliado em todos os animais, assim como as concentrações plasmáticas de cálcio total, cálcio iônico, fósforo e potássio. Não houve evidências de diferença entre os grupos para nenhum desses parâmetros. Entretanto, as medianas dos valores de cálcio ionizado foram próximas ao limite superior da normalidade nos dois grupos (1,39 mmol/ L). As proporções entre os grupos em relação à concentração de bicarbonato sanguíneo (HCO3-) foram distintas (p=0,037), entretanto, sem significado clínico. A creatinina urinária, assim como a razão cálcio: creatinina urinária e a fração de excreção urinária de cálcio (FECa) mostraram-se alteradas entre os grupos, com valores de p=0,039, p=0,037 e p=0,043, respectivamente. Apesar da ocorrência de bacteriúria ter sido um fator comum aos gatos com cálculo e sem cálculo (p=0,162), a confirmação de infecção por meio de cultura urinária ocorreu em apenas 4/47 gatos do grupo com cálculo e 2/25 gatos do grupo sem cálculo (p=1,00). Além disso, foi mensurada a pressão arterial, que se manteve inalterada diante a comparação entre o grupo com DRC e a presença de nefrolitíase e ou ureterolitíase e o grupo com DRC sem evidências de nefrolitíase e ou ureterolitíase. Houve forte evidência de que os gatos alimentados apenas por dieta seca apresentaram maior tendência a formar cálculo (p=0,052). Outros 23 gatos desprovidos de DRC e de cálculo compuseram um grupo complementar, possibilitando o aprofundamento deste estudo. Os resultados obtidos reforçam a alta prevalência de nefrolitíase e ureterolitíase em gatos com DRC. Independente de constituir uma causa ou consequência da DRC, os gatos portadores de cálculo apresentaram indícios de maior comprometimento renal.
Título em inglês
Nephrolithiasis and/or ureterolithiasis occurrence in cats with chronic kidney disease attended at the Veterinary Hospital of the University of São Paulo
Palavras-chave em inglês
Cats
Kidney chronic disease
Nephrolithiasis
Ureterolithiasis
Resumo em inglês
Kidney stone in cats have become a major concern in feline practice. Calcium oxalate stone (CaOx) located in the kidneys and/or ureters started to compose a new profile of urolithiasis in contrast to struvite stones often found in the urinary bladder. A cross-sectional clinical study with 96 cats was performed in order to determine the occurrence of renal origin lithiasis (nephrolithiasis and ureterolithiasis) in cats with CKD and a possible association between them. Twenty-four of these patients did not meet the classification criteria and were excluded. Cats with CKD (n = 72) were divided into two groups, CKD with evidence of nephrolithiasis or ureterolithiasis (n = 47) and CKD whithout evidence of nephrolithiasis or ureterolithiasis (n = 25). Homogeneity was observed regarding the classification of CKD according to the stages proposed by IRIS - International Renal Interest Society (p = 0.5613), also noted in relation to age (p = 0.274). Cats classified as CKD stage two were overrepresented in both groups. The size of the left and right kidney and urinary gravity (p = 0.013) was marked by a significant statistically difference between the two groups. In terms of lengh size, according to longitudinal plane, the right kidney with lithiasis mesuread 3.25 cm and 3.61 cm without lithiasis (p = 0.009). The same size relation was noticed for the left kidney (p = 0.048), where the avarage volume observed was 3.21cm for the calculi group and 3,69 cm for the group without calculi. The intact parathyroid hormone (PTHi) was assessed in all animals, as for total calcium, ionized calcium, phosphorus and potassium plasma concentrations. No difference were found for any of these parameters between the two groups. However, the ionized calcium median values were near the normal upper limit in both groups (1.39 mmol/L). Bicarbonate blood concentration (HCO3-) evaluated in both groups were different (P = 0.037), but without any clinical significance. Urinary creatinine, calcium: creatinine ratios and calcium urinary fractional excretion (FEca) were altered between groups, with p = 0.039, p = 0.037 and p = 0.043, respectively. Bacteriuria was a common factor in cats with calculi and without calculi (p = 0.162), however, infection was confirmed by urine culture in only 4/47 cats with calculi and 2/25 cats without calculi (p = 1,00). Arterial blood pressure was also performed and remained unchanged when compared between both groups. There are strong evidence that cats fed with only dry food showed higher tendency to form calculi (p = 0.052). Another group of 23 cats free from CKD and calculi composed a complementary group, enabling further study. The results of this study support the high prevalence of nephrolithiasis and ureterolithiasis in cats with CKD. Either a cause or consequence of CKD, cats with calculi have an increased evidence of kidney damage.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-08-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.