• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2003.tde-23062004-122649
Documento
Autor
Nome completo
Volnei do Lago
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Pirassununga, 2003
Orientador
Banca examinadora
Moretti, Anibal de Sant Anna (Presidente)
Franceschini, Paulo Henrique
Lima, Felix Ribeiro de
Título em português
Estudo dos efeitos combinados de gonadotrofinas e flushing em marrãs à puberdade
Palavras-chave em português
flushing
gonadotrofinas
marrãs
puberdade
sincronização do cio
Resumo em português
O objetivo do estudo realizado no Laboratório de Pesquisa em Suínos, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo, Pirassununga – SP, foi verificar os efeitos combinados de gonadotrofinas exógenas, (eCG e LH) e flushing sobre a duração e dispersão da manifestação do primeiro e segundo estros, ciclicidade das fêmeas, número de ovulações, viabilidade embrionária e freqüência de cistos ovarianos. Foram utilizadas 72 marrãs pré-púberes da linhagem Pen Ar Lan NAIMA®, com idade média de 157,49±5,01 dias, e 96,65±7,70kgs de peso, distribuidas em quatro tratamentos, em arranjo fatorial, com e sem flushing , e com e sem hormônio. A ração utilizada continha 16% de PB e 3.286,73 kcal/kg ME. A partir do 7º dia do primeiro estro, induzido com hormônio, as fêmeas do tratamento com flushing receberam 50% de incremento da mesma ração. No 16º dia, após o primeiro estro, as marrãs no tratamento hormonal receberam aplicação de 600 UI de eCG (Novormon®) e 2,5 mg de LH (Lutropin®), 72 horas após. Todas as marrãs foram expostas ao macho duas vezes ao dia, a partir do 10º dia e inseminadas ao segundo estro com sêmem heterospérmico contendo 4 x 109 espermatozóides. Ao abate, realizado no 5º dia após a inseminação, os genitais foram colhidos para exame dos ovários e coleta dos embriões. Não se observou interação entre os fatores. Os efeitos analisados em separado, não evidenciaram diferença significativa no Número de ovulações (14,28±5,06 vs 13,47±5,57 com e sem Flushing e 14,60±5,78 vs 13,23±4,83 com e sem Hormônio, respectivamente, P>0,05), na freqüência de cistos ovarianos (22,86% vs 11,11%, com e sem Flushing e 15,15% vs 18,42%, com e sem Hormônio, respectivamente,. P>0,05), na Manifestação do 2º estro (85,71% vs 91,43% com e sem Flushing e 90,63% vs 86,84% com e sem Hormônio, respectivamente, P>0,05), no Peso Final (115,35±8,23 vs 111,56±8,30kg, com e sem Hormônio, respectivamente, P>0,05), na Espessura de toucinho (10,0±2,0 vs 10,2±1,8mm com e sem Hormônio, respectivamente, P>0,05), e na Duração dos estros (57,68±20,02 vs 59,68±14,76 horas, com e sem Hormônio e 57,75±14,99 vs 59,62±19,43 horas, com e sem Flushing, respectivamente, P>0,05). Constatou-se diferença significativa na Viabilidade embrionária (11,55±4,81 vs 8,50±5,32 embriões viáveis, com e sem Flushing e 8,39±5,66 vs 11,25±4,58 embriões viáveis, com e sem Hormônio, respectivamente P=0,02), indicando valor superior para o tratamento com Flushing e inferior no grupo com Hormônio. No Peso final (117,48±9,82 vs 109,28±7,57kg, com e sem Flushing, respectivamente, P=0,0001) e na Espessura de toucinho (10,7±2,2 vs 9,5±1,9kg, com e sem Flushing, respectivamente, P=0,03) o valor superior ficou para o grupo com Flushing. Concluiu-se no estudo a não interação dos efeitos, entre os fatores Hormônio e Flushing . O uso das gonadotrofinas (eCG e LH) reduziu a dispersão de manifestação do segundo estro, sendo efetiva a sua sincronização. O emprego do Flushing no primeiro ciclo estral em marrãs influenciou positivamente a viabilidade embrionária e na associação do eCG e LH mais Flushing não notou-se efeito interativo, identificando-se diminuição da viabilidade embrionária, pela ação hormonal.
Título em inglês
Combined effects of gonadotropin and flushing in pubertal gilts
Palavras-chave em inglês
flushing
estrous synchronization
gilts
gonadotropins
puberty
Resumo em inglês
The objective of this study, held at the Swine Research Laboratory of the School of Veterinary Medicine and Zootechnology of the Univ. of São Paulo in Pirassununga, São Paulo, was to verify the combined effects of exogenic gonadotropin (eCG and LH) and flushing on the duration and dispersion of the manifestation of initial and second estruses, cyclicity of females, number of ovulations, embryonic viability, and frequency of ovarian cysts. Used for the experiment were 72 pubertal gilts of Pen Ar Lan NAIMA® lineage, with an average age of 157.49±5.01 days, and weight of 96.65±7.70kg. They were distributed in four treatments in a factorial arrangement, with and without flushing, and with and without hormone treatment. The feed used contained 16% CP and 3,286.73 kcal/kg ME. Starting on the seven day of the first estrus, induced with homone, the females with flushing treament received a 50% increase in the amount of the same type feed that they had been receiving. On the sixteenth day of the first estrus the gilts that received hormone treatment were given 600 UI of eCG (Novormon®) and 2.5 mg of LH (Lutopin®), 72 hours later. All the gilts were exposed to boar twice at day, starting on the tenth day and inseminated during the second estrus with heterospermic semen containing 4 x 109 spermatozoon. At slaughter on the fifth day after insemination, the genitals were removed to examine the ovaries and collect the embryos. Interaction between the factors were not observed. The effects that were analyzed separately did not show significant differences in the number of ovulations (14.28±5.06 vs 13.47±5.57 with and without flushing, and 14.60±5.78 vs 13.23±4.83 with and without hormones, respectively, P>0.05), in the frequency of ovarian cysts (22.86% vs 11.11%, with and without flushing and 15.15% vs 18.42% with and without hormones, respectively, P>0.05), during the second estrus (85.71% vs 91.43% with and without flushing and 90.63% vs 86.84% with and without hormones respectively, P>0.05), at final weight (115.35 ± 8.23 vs 111.56 ± 8.30kg, with and without hormones, respectively, P>0.05), in the backfat (10.0±2.0 vs 10.2±1.8mm with and without hormones, respectively, P>0.05), and in the duration of the estruses (57.68±20.02 vs 59.68±14.76 hours, with and without hormones and 57.75±14.99 vs 59.62±19.43 hours, with and without flushing, respectively, P>0.05). A significant difference was found in embryonic viability (11.55±4.81 vs 8.50±5.32 viable embryos, with and without flushing and 8.39±5.66 vs 11.25±4.58 viable embryos with and without hormones, respectively P=0.02), which indicated higher numbers when treated with flushing and lower numbers when treated with hormones. At the final weight (117.48±9.82kg vs. 109.28±7.57kg with and without flushing respectively, P=0.0001) and in the backfat (10.7±12.2 vs 9.5±1.9kg, with and without flushing, respectively, P=0.03) flushing resulted in a higher number. It is concluded in this study that there is a lack of interactive effects between treaments with hormones and flushing. Utilization of gonadotropins (eCG e LH) reduced the dispersion of the second estrus within an effective synchronization. The utilization of flushing in the first estrous cycle in gilts gave positive results as regards to embryonic viability. The association of eCG and LH, plus flushing did not show an interactive effect, and a reduction was identified in embryonic viability based the action of hormones.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Volnei_Lago.pdf (585.44 Kbytes)
Data de Publicação
2005-06-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.