• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2011.tde-13032012-161024
Documento
Autor
Nome completo
Maria Luísa de Lima Landman
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Maiorka, Paulo César (Presidente)
Baccarin, Raquel Yvonne Arantes
Gomes, Cristina de Oliveira Massoco Salles
Título em português
Expressão de marcadores imunoistoquímicos em neoplasias melanocíticas de equinos por microarranjo de tecidos
Palavras-chave em português
Equinos
Imunoistoquímica
Microarranjo de Tecidos
Neoplasias Melanocíticas
Pigmentação
Resumo em português
O objetivo deste estudo foi verificar o comportamento morfológico e a expressão das proteínas S-100, Melan-A, HMB-45, Ki-67, PCNA e p53, em 25 neoplasias melanocíticas de equinos. Informações clínicas (gênero, raça, pelagem, idade e localização da lesão) e morfológicas (características celulares, pigmentares, nucleares, de nucléolo, de melanófagos, presença de invasão e necrose) dos animais foram coletadas. Para a expressão das proteínas por imunoistoquímica foi confeccionado um bloco de microarranjo de tecidos das amostras teciduais, juntamente com os controles positivos das reações. A avaliação da expressão das proteínas S100, HMB-45 e Melan-A foi baseada em um escore, e a das proteínas Ki-67, PCNA e p53 foi feita por contagem de células. Animais SRD (16/25, 64%), de raça Lusitana (6/25, 24%), Árabe (2/25, 8%) e Sueca (1/25, 4%) fizeram parte deste estudo, todos tordilhos e a maioria machos (18/25, 72%). A idade dos animais variou de 4 a 24 anos (média de 13 anos). A região perianal (13/25, 52%) foi a que mais apresentou neoplasias. Na análise morfológica houve predomínio de neoplasias com celularidade moderada (52%) e intensa (40%), distribuição difusa e em feixes (52%), ausência de figuras de mitose (96,0%) e predomínio de células epitelióides e fusiformes no mesmo tumor (80%). A atipia nuclear era discreta (48%) e moderada (44%), com núcleos de formato arredondado e alongado em um mesmo tumor (76%) e cromatina dispersa (60%). Os nucléolos eram múltiplos e, em sua maioria, proeminentes (88%). Observou-se predomínio de células tumorais de pigmentação intensa (68%), distribuição difusa e localização em derme (100%). A maioria dos casos apresentou alta celularidade de macrógafos (64%) e distribuição difusa (96%). Quanto à expressão de proteínas para melanócitos por imunoistoquímica, 44% dos casos apresentaram expressão moderada a forte de S100, 56% apresentaram expressão fraca de HMB-45 e 64% apresentaram expressão negativa de Melan-A. Houve positividade de 72% dos casos para pelo menos dois dos anticorpos citados acima. Os anticorpos de proliferação celular Ki-67 e PCNA tiveram média de acima. Os anticorpos de proliferação celular Ki-67 e PCNA tiveram média de positividade de 0,0005% e 15,7%, respectivamente. A análise da expressão de p53 teve média de 6,1% de positividade. Houve associação estatisticamente positiva entre a celularidade dos macrófagos com S100 e com p53. Em conclusão: 1. os dados clínicos obtidos reproduzem o comportamento biológico das neoplasias melanocíticas em equinos, exceto pela idade dos animais; 2. as neoplasias equinas se assemelham a nevos azuis celulares em humanos e melanocitomas em cães; 3. o microarranjo de tecidos mostrou-se uma maneira econômica, rápida e com menos variáveis técnicas; 4. a utilização de um painel de anticorpos de melanócitos é pertinente na diferenciação entre tumores melanocíticos e não melanocíticos, reproduzindo o painel diagnóstico utilizado em literatura humana e canina; 5. o índice de proliferação celular encontrado sugere que os dois anticorpos (Ki-67 e PCNA) podem ser usados na contagem de células em atividade mitótica e 6. a proteína p53 tem maior relação com a parada do ciclo celular que a observada em outros estudos em equinos, podendo indicar um comportamento biológico diferente do apresentado em cães e humanos.
Título em inglês
Expression of immunohistochemical biomarkers in equine melanocytic neoplasms using tissue microarray
Palavras-chave em inglês
Equine
Immunohistochemistry
Melanocytic neoplasms
Pigmentation
Tissue Microarray
Resumo em inglês
The aim of this study was to evaluate the morphological behavior, and expression of the following proteins: S-100, Melan-A, HMB-45, Ki-67, PCNA and p53, in 25 equine melanocytic neoplasms. Clinical (gender, breed, coat color, age and lesions location) and morphological (cellular, pigment, nuclear, nucleoli, melanophages, invasion and necrosis) data were collected. A tissue microarray block, embedded in paraffin, with equine tissue samples and positive controls, was elaborated for protein expression through immunohistochemistry. The evaluation of S100, HMB-45 and Melan-A was based on a score, and for Ki-67, PCNA and p53 it was based on cellular count. Breeds were: Mixed breed (16/25, 64%), Lusitano (6/25, 24%), Arab (2/25, 8%) and Swedich (1/25, 4%). All animals were gray and the majority males (18/25, 72%). Age varied from 4 to 24 years old (mean=13 years). The perianal region (13/25, 52%) was the most common location. Morphological analysis have shown neoplasms with predominantly moderate (52%) and intense (40%) cellularity, diffuse and fascicles distribution (52%), no mitoses figures (96%) and predominance of epithelioid and spindle cells in the same tumor (80%). There was discrete (48%) and moderate (44%) nuclear atypia, round and elongated nucleus in the same tumor (76%), and disperse chromatin (60%). Nucleoli were multiple and prominent in the majority of cases (88%). Tumor cells with diffuse and intense pigmentation, with dermal location (100%) were predominant. High cellularity of macrophages (64%) with diffuse distribution (96%) was mostly seen. The protein expression for melanocytes have shown 44% of moderate to strong expression for S100 protein, 56% of weak expression for HMB-45 protein and 64% of negative expression for Melan-A protein. It was found positivity for more than two antibodies in 72% of equine melanocytic neoplasms. The proliferation antibodies Ki-67 and PCNA had mean positivity of 0,0005% and 15,7%, respectively. The p53 expression had mean positivity of 6,1%. Macrophages cellularity was statistically associated with S100 and p53. In conclusion: 1. clinical data obtain reproduce the biological behavior of equine Macrophages celllularity was statistically associated with S100 and p53. In conclusion: 1. clinical data obtain reproduce the biological behavior of equine melanocytic neoplasms, excepting the animals age; 2. equine melanocytic neoplasms assemble to human cellular blue nevi and dogs melanocytoma; 3. the tissue microarray was shown to be an economic, rapid and less variable technique; 4. using a panel for antibodies for melanocytes is relevant to differentiate melanocytic and not melanocytic tumors, reproducing the diagnosis panel used in human and canine literature; 5. the proliferation index found suggests that both antibodies (Ki-67 and PCNA) could be used in mitotic activity cell count; and 6. p53 protein has more relation with cellular cycle stop than in other equine studies, probably indicating a different biological behavior than the presented in humans and dogs.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-09-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.