• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Thèse de Habilitation à Diriger des Recherches
DOI
10.11606/T.44.2016.tde-26042016-153524
Document
Auteur
Nom complet
Antonio Carlos Rocha Campos
Adresse Mail
Unité de l'USP
Domain de Connaissance
Date de Soutenance
Editeur
São Paulo, 1969
Titre en portugais
Moluscos e braquiópodes eogondvânicos do Brasil e Argentina
Mots-clés en portugais
Brasil
Fósseis
Mollusca
Resumé en portugais
Descrevem-se e revisam-se bivalves, gastrópodes e braquiópodes gondvânicos do subgrupo Itararé (Grupo Tubarão), de três localidades da Bacia do Paraná, em Teixeira Soares, PR, Capivari, SP e Bela Vista, SC, e de bivalves das Sierras Australes da Província de Buenos Aires, Argentina. Em Teixeira Soares, PR, os fósseis foram coletados na parte superior do Subgrupo Itararé (Rocha-Campos, 1967a) onde ocorrem também elementos da Flora de Glossopteris, diamictitos e camadas de carvão. Em Capivari, SP, os fósseis pertencem à parte média da seção do Subgrupo Itararé do vale do rio Tietê, intercalados entre ritmitos semelhantes a "varvitos", com clastos dispersos, e diamictitos. Associação com rochas interpretadas como de origem glacial da parte superior do Subgrupo Itararé, também ocorre em Bela Vista, SC. A "fauna de Eurydesma" da Argentina ocorre na Formação Bonete (Grupo Pillahuincó) que passa, inferiormente, por transição, à Formação Sauce Grande, que inclui vários diamictitos. Na fauna do Subgrupo Itararé são descritas quatro espécies novas de bivalves: Volsellina australis e Leiopteria paranaensis, Sanguinolites brasiliensis e Anthroconeilo itararensis. Entre os gastrópodes descreve-se uma espécie nova de Moulonia, Mourlonia baitacensis. Crurithyris aff. planoconvexa (Shumard) da fauna de Capivari, SP e C. rouxou (Oliveira) do "Folhelho Passinho" de Teixeira Soares, PR (Almeida, 1945) foram incluídas entre a Attenuatella Stehli, a primeira correspondendo a uma espécie nova, A. paulistana. Um espécime de Teixeira Soares foi identificado como Notospirifer sp. Trata-se do primeiro registro desses esperiferóides na América do Sul. Na fauna do Grupo Pillahuincó várias emendas são propostas às determinações de Harrington (1955). Stutchburia ? argentinensis Harrington parece corresponder às Myonia. Allorisma inflectoventris Harrington e Schizodus cycloliratus Harrington foram incluídas, respectivamente, entre as Astartila ? e Myonia. Leiopteria bonaerensis Harrington é colocada na sinonímia de Leiopteria dutoiti Harrington e Aphanaia ? orbirugata Harrington é reinterpretada como pertencente às Atomodesma, Vacunella camachoi sp. nov. e Deltopecten harrintoni sp. nov. são descritas na fauna das Sierras Australes. Tanto a fauna do Grupo Tubarão e, especialmente, a do Grupo Pillahuincó incluem gêneros considerados característicos da província austral, durante o Neopaleozóico, associados a formas mais cosmopolitas. As faunas do Subgrupo Itararé de Teixeira Soares, PR e da Formação Bonete revelam certa afinidade, não só pelo caráter "gondvânico" dos bivalves presentes, como também, pela inclusão de gêneros comuns e similaridade, ao nível específico entre Leiopteria paranaensis e L. dutoiti e Myonia ? sp. a e Myonia ? argentinensis. Allorisma barringtoni Thomas e Aviculopecten multiscalptus Thomas, originalmente descritas da fauna da Formação amotape (Grupo Tarma), do norte do Peru (Thomas, 1928; Chronic, 1953), foram identificadas em Teixeira Soares e indicam certa afinidade entre as duas faunas. Com relação à idade, excluindo-se gêneros longevos, as formas reconhecidas, como também, a posição estratigráfica dos fósseis, indica idade geral permiana para a parte média e superior do Subgrupo Itararé. Idade permiana, possivelmente eopermiana, é confirmada para a fauna da Formação Bonete. Do ponto de vista paleogeográfico, as afinidades entre a fauna e o subgrupo Itararé e as do Peru e Argentina sugerem ligação entre a Bacia do Paraná e a área andina durante o Neopaleozóico, concordantemente com estudo de fácies e paleogeografia dos depósitos glaciais permo-carboníferos da Bacia do Paraná e outras regiões da América do Sul (Rocha-Campos, 1967a; Rocha-Campos et al., 1969; Frakes e Crowell, 1968).
Titre en anglais
Not available
Mots-clés en anglais
Not available
Resumé en anglais
Not available
 
AVERTISSEMENT - Regarde ce document est soumise à votre acceptation des conditions d'utilisation suivantes:
Ce document est uniquement à des fins privées pour la recherche et l'enseignement. Reproduction à des fins commerciales est interdite. Cette droits couvrent l'ensemble des données sur ce document ainsi que son contenu. Toute utilisation ou de copie de ce document, en totalité ou en partie, doit inclure le nom de l'auteur.
Date de Publication
2016-07-07
 
AVERTISSEMENT: Apprenez ce que sont des œvres dérivées cliquant ici.
Tous droits de la thèse/dissertation appartiennent aux auteurs
CeTI-SC/STI
Bibliothèque Numérique de Thèses et Mémoires de l'USP. Copyright © 2001-2021. Tous droits réservés.