• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Bruno Ferreira de Souza
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Almeida, Sergio Verjovski de (Presidente)
Kashiwabara, André Yoshiaki
Nakaya, Helder Takashi Imoto
Título em português
Análise exploratória de genes compostos predominantemente por microexons arranjados em tandem em uma coleção de anotações de genomas
Palavras-chave em português
Gene microexônico
MEG
Microexon
Resumo em português
Genes microexônicos (MEGs) apresentam uma arquitetura bastante peculiar, sendo compostos predominantemente por quatro ou mais exons simétricos bem pe- quenos dispostos em tandem (microexons Š 36 bp, com tamanhos múltiplos de 3). Eles foram descritos pela primeira vez em 2009 no platelminto parasita Schistosoma mansoni (agente etiológico da esquistossomose). Alguns desses genes apresentam evidência (de transcritômica e proteômica) de gerar diferentes isoformas de proteínas através do mecanismo de splicing alternativo. Os MEGs não apresentam homólogos fora do gênero Schistosoma. Microexons individuais já foram reportados em genes de organismos modelo e do ser humano, normalmente atuando como um hotspot de splicing alternativo, porém nestes casos apenas um único microexon por gene fora reportado. Com este pano de fundo, fizemos o seguinte questionamento: existem genes com arquitetura similar (ou seja, múltiplos microexons em tandem) em outros organismos? Desenvolvemos uma heurística capaz de detectar genes com a arquitetura dos MEGs e a aplicamos no transcritoma de S. mansoni e, além de detectar os MEGs originais, detectamos 31 novos genes. Este pipeline foi aplicado a uma coleção de anotações de genomas e detectou 494 genes distribuídos entre 125 organismos (incluindo animais, plantas, fungos e alguns eucariotos unicelulares).
Título em inglês
Exploratory analysis of genes comprised predominantly by microexons arranged in tandem in the Schistosoma mansoni annotated genome
Palavras-chave em inglês
MEG
Microexon
Microexon gene
Resumo em inglês
Microexon genes (MEGs) have an unusual architecture, composed predominantly by four or more very small tandemly disposed symmetric exons (microexons 36 bp, with exon sizes multiple of 3). They were first described in 2009 in the parasitic platyhelminth Schistosoma mansoni (etiologic agent of schistosomiasis). Some of those genes display evidence (by transcriptomics and proteomics) of generating variable protein isoforms through alternative splicing. MEGs have no homologs outside the Schistosoma genus. The presence of individual microexons has also been reported in genes of model organisms and humans, usually as a hotspot of alternative splicing, but in those cases only a single microexon per gene was observed. Within this background, we asked the following question: are there genes with similar architecture (i.e., with multiple internal microexons in tandem) in other organisms? We developed a pipeline to detect genes with the architecture of S. mansoni MEGs, applied it to an updated transcriptome mapping of the S. mansoni genome and successfully detected the original MEGs and 31 new genes. This pipeline could be applied to the collection of public data from genome annotations of other species to eventually detect new genes with multiple tandem microexons.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-04-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.