• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.9.2022.tde-19052022-172648
Documento
Autor
Nome completo
Gustavo Henrique Oliveira da Rocha
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2022
Orientador
Banca examinadora
Farsky, Sandra Helena Poliselli (Presidente)
Gil, Cristiane Damas
Festuccia, William Tadeu Lara
Loiola, Rodrigo Azevedo
Título em português
Efeitos da interação entre anexina A1 e PPARy sobre o desenvolvimento de colite experimental
Palavras-chave em português
Anexina A1
Doença inflamatória intestinal
Macrófago
Pioglitazona
PPARy
Resumo em português
A colite ulcerativa, juntamente com a Doença de Crohn, é uma doença inflamatória intestinal (DII) de caráter crônico que atinge milhares de pessoas no mundo, reduzindo a qualidade de vida de pacientes e onerando sistemas de saúde. A farmacoterapia disponível para tratamento destas doenças é limitada e custosa e não se conhecem todas as causas que compõem sua etiologia, mas é sabido que a desregulação do processo inflamatório é essencial para a sua progressão. Fatores como a anexina A1 (AnxA1), uma proteína anti-inflamatória modulada por glicocorticoides, e o receptor ativador de proliferador de peroxissomo gamma (PPARy), um receptor nuclear que modula o metabolismo energético e a inflamação, vêm sido estudados como alvos moleculares para o controle da inflamação em DIIs. Assim, o presente trabalho investigou a correlação da AnxA1 com as ações do PPARy sobre a inflamação em um modelo de colite experimental. Para tanto, foram utilizados camundongos C57BL/6 selvagens (WT) e knockout para AnxA1 (AnxA1-/-), e também células RAW 264.7 transfectadas com shRNA para redução da expressão de AnxA1. Os camundongos foram utilizados em um modelo de colite por dextran sulfato de sódio (DSS), enquanto as células RAW 264.7 foram utilizadas em modelos de inflamação in vitro induzida por LPS (lipopolissacarídeo bacteriano). Animais e células foram tratados com pioglitazona (agonista de PPARy), bem como com bloqueadores de receptores de AnxA1, com o intuito de se verificar se a AnxA1 modula as ações anti-inflamatórias do PPAR e vice-versa. Os resultados obtidos demonstraram que: 1) pioglitazona é ineficaz para atenuação de sintomas de colite experimental em camundongos quando conduzida até o dia 10, porém é eficaz quando conduzida até o dia 6, e tal efeito é dependente de AnxA1; 2) pioglitazona atenua a inflamação induzida por LPS em células RAW 264.7, e tal efeito depende de AnxA1 endógena e independe de ações sobre receptores de AnxA1. Em conjunto, os resultados evidenciaram que pioglitazona é eficaz na atenuação da inflamação na colite experimental de forma dependente de AnxA1 endógena tanto em modelo in vivo quanto in vitro. Dessa forma, demonstramos que existe uma interação entre AnxA1 e PPARy durante o controle da inflamação na colite experimental, aumentando o embasamento de futuras pesquisas que visem verificar a eficácia terapêutica de ligantes de PPARy no tratamento de DIIs e evidenciando processos moleculares das ações destes ligantes que possam depender de AnxA1.
Título em inglês
Effects of the interaction between annexin A1 and PPARy upon development of experimental colitis
Palavras-chave em inglês
Annexin A1
Inflammatory bowel disease
Macrophage
Pioglitazone
PPARy
Resumo em inglês
Ulcerative colitis, alongside Crohns disease, is a chronic inflammatory bowel disease (IBD) which afflicts thousands of people worldwide, reducing overall quality of life and burdening health care systems. Available pharmacotherapy for treatment of these diseases is limited and cost-intensive and not all causes for their ethiology are known, but it is widely accepted that deregulation of inflammatory proccesses is essential for their progression. Factors such as annexin A1 (AnxA1), a glucocorticoid-mediated anti-inflammatory protein, and peroxisome proliferator activated receptor gamma (PPARy), a nuclear receptor which modulates energy metabolism and inflammation, have been studied as potential molecular targets for control of inflammation on IBDs. Thus, the present work investigated the correlation between AnxA1 and PPARy actions upon inflammation in a experimental colitis model. For such, wild type (WT) and AnxA1 knockout (AnxA1-/- ) C57BL/6 mice, and also RAW 264.7 cells transfected with shRNA for reduction of AnxA1 expression, were used. Mice were subjected to a dextran sodium sulfate induced (DSS) experimental colitis model, and RAW 264.7 cells were used in a lypopolysaccharide-induced (LPS) inflammation model. Animals and cells were both treated with pioglitazone (PPARy agonist), as well as with blockers of AnxA1 receptors in order to assess whether AnxA1 modulates the anti-inflammatory actions of PPARy and vice-versa. Data obtained evidenced that: 1) pioglitazone is unable to attenuate experimental colitis symptoms in mice when carried out up to day 10, but is able to do so when carried out up to day 6, and such effect is dependent of AnxA1; 2) pioglitazone attenuates inflammation induced by LPS in RAW 264.7 cells, and such effect is dependent on endogenous AnxA1, regardless of actions on AnxA1 receptors. Altogether, these findings evidenced pioglitazone is xiv able to attenuate inflammation during experimental colitis relying upon endogenous AnxA1, both in vivo and in vitro. Thus, we demonstrate there is an interaction between AnxA1 and PPARy during control of inflammation in experimental colitis, allowing future research aiming to elucidate therapeutic efficacy of PPARy ligands on treatment of IBDs to be carried out on more solid ground, better elucidating molecular proccesses related to the actions of such ligands which might rely on AnxA1.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2022-06-07
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.