• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.9.2017.tde-10042017-102637
Documento
Autor
Nome completo
Fernanda Brunacci Della Rosa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Título em português
Avaliação do status em ferro na pré-eclâmpsia
Palavras-chave em português
Ciência de alimentos
Estresse oxidativo
Ferro
Nutrição experimental
Pré-eclampsia
Resumo em português
O objetivo deste trabalho foi avaliar o status em ferro (Fe) na pré-eclampsia (PE). Participaram deste estudo caso-controle 36 gestantes, sendo 18 diagnosticadas com OE e 18 sem complicações obstétricas ou sistêmicas (controle- CT). Foram incluídas no grupo PE mulheres com pressão arterial ≥ 140/90mmHg e proteinúria ≥ 0,3g/24h, e que não apresentavam: a) hipertensão arterial crônica; b) hipertensão gestacional; c) diabetes; d.) doenças cardíacas ou renais; e) e que não fizessem uso de suplemento contendo magnésio e que não fossem tabagistas. O sangue foi coletado das pacientes em jejum de 8 horas, para análise de concentrações de ferro sé rico, ferritina, ferro livre, hepcidina bem como hemograma e parâmetros de estresse oxidativo (catalase). Foi aplicado, também, um questionário quantitativo de freqüência alimentar validado para gestantes, para avaliação da ingestão dietética. Comparações entre grupos e correlações entre indicadores foram feitas por testes de Mann Whitney e Spearman, respectivamente. Foram encontradas diferenças de Fe sérico, hepcidina e ferritina, mas não de ferro livre entre os grupos. Houve maior atividade da catalase no grupo PE em comparação ao CT. Os resultados mostraram uma alteração na homeostase do ferro, como consequência da hipovolemia e maior atividade da enzima oxidante no grupo PE, uma provável tentativa do organismo de diminuir o efeito deletério do estresse oxidativo.
Título em inglês
Assessment of iron status in preeclampsia
Palavras-chave em inglês
Experimental nutrition
Food science
Iron
Oxidative stress
Preeclampsia
Resumo em inglês
Preeclampsia (PE) occurs in approximately 5% of prenuncies and remais a leasing cause of maternal and neonatal mortality and morbidity worldwide. Serum iron and ferritin levels were demonstrated to be significantly higher in PE and probably exacerbate oxidative stress. In this study we checked iron status and catalase activity in preeclamptic women and compared with healthy pregnancy. Blood samples were collected from 18 pregnant women diagnosed as preeclampsia and 18 normal pregnant women at Hospital das Clínicas and. Hospital e Maternidade Ipiranga in São Paulo, Brazil. Mean serum iron, ferritin, and catalase were significantly higher in PE group. Mean serum hepcidin were significantly lower in PE group. No significant differences were found among hemoglobina (Hb) concentration and labile iron plasma (LPI). These results suggest that high levels of serum ferritin and iron maybe are associated with: oxidative stress; unfavorable outcome. Any pregnant with higher concentrations of serum iron and ferritin should be further investigated for preeclampsia.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-04-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.