• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Bruno Aparecido Dantas de Araújo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Damasceno, Nágila Raquel Teixeira (Presidente)
Levy, Débora
Ravacci, Graziela Rosa
Pietro, Patrícia Faria di
Título em português
Associação dos ácidos graxos poli-insaturados da série ômega 3 com parâmetros inflamatórios e estresse oxidativo em mulheres com câncer de mama: impacto do estadiamento clínico
Palavras-chave em português
Ácidos graxos ômega-3
Estresse oxidativo
Inflamação
Neoplasias da mama
Resumo em português
Introdução: O câncer de mama (CM) correspondeu a 29,5% das neoplasias femininas em 2018, sendo que fatores relacionados ao estilo de vida, tais como alimentação podem explicar até 35% dessa neoplasia. Embora multicausal, é provável que desequilíbrio entre a ingestão de ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 promova aumento na inflamação e estresse oxidativo nas diferentes etapas do processo de carcinogênese. Objetivo: Avaliar o impacto do estadiamento tumoral clínico na associação dos ácidos graxos ômega 3 biodisponíveis no plasma e nas membranas eritrocitárias com o estresse oxidativo e a inflamação em mulheres com câncer de mama. Material e métodos: Estudo caso-controle, observacional e analítico, com 87 mulheres com CM e 100 mulheres controles selecionadas do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) no período de 2011/12. As pacientes Caso foram distribuídas, segundo estadiamento clínico (0-IIIc): EC = estadiamento IIa-IIIc. De ambos os grupos, foram obtidos dados demográficos e clínicos, avaliação antropométrica e composição corporal. Os marcadores de inflamação foram compostos pelas citocinas IL-1β, IL-6, IL-10, TNF-α e MCP-1. Ao nível plasmático avaliou-se adipocinas (leptina e adiponectina), marcadores de estresse oxidativo (TBARS, LDL (-) e 8-OHdG), assim como o conteúdo de ácidos graxos no plasma e nas membranas dos eritrócitos por cromatografia a gás. Realizou-se teste de qui-quadrado, t-student, correlação de Pearson, Mann-Whitney e regressão linear e logística e adotou-se p<0,05 para todos os testes. Resultados: Não houve diferença entre a idade nos grupos Caso e Controle, nem nos parâmetros antropométricos, com exceção da circunferência da cintura que foi maior no grupo Caso (96,2 cm versus 91,2 cm). O tempo de tabagismo nos Casos foi maior que nos Controles (20,4 anos versus 13,5 anos). Nas mulheres com CM houve predominância do subtipo tumoral ductal (79,3%) e não houve diferenças entre receptores de estrógeno, progesterona, marcador HER2 e de proliferação celular Ki67, segundo estadiamento clínico. Os Casos apresentaram maiores valores de TBARS (6,0 versus 4,7 µmol) e anticorpos anti-LDL (-) (4,6 versus 2,5 U/L) e de citocinas inflamatórias MCP-1 (357,8 versus 295,8 ng/mL) e IL-1β (2,8 versus 1,3 ng/mL). Os controles apresentaram maior concentração de IL-6 (0,9 versus 1,6 ng/mL) e IL-10 (2,8 versus 5,5 ng/mL), porém as razões entre citocinas (MCP-1, IL-1β, TNF-α, IL-6 com a IL10) dos Casos apresentaram valores maiores que os Controles. Não houve diferença entre concentrações de citocinas nos grupos segundo estadiamento. O Grupo >EC apresentou maior razão n-6/n-3 e menor concentração de DHA e maior razão linoleico/DHA incorporado nas membranas eritrocitárias. O anticorpo anti-LDL (-) se associou negativamente com tamanho tumoral, enquanto a IL-10 positivamente. Elevado conteúdo de DHA (>= 4,3%) se associou com altas concentrações de IL-10, enquanto que o EPA, DHA e a soma desses se associaram com baixa concentração de citocinas inflamatórias. Os ácidos linoleico e araquidônico apresentaram associação com altas concentrações de marcadores inflamatórios plasmáticos. Conclusão: Mulheres com diagnóstico de CM apresentaram concentrações superiores de biomarcadores inflamatórios e de estresse oxidativo quando comparadas às mulheres saudáveis. Pacientes com maior estadiamento clínico apresentaram menores concentrações de ômega-3 e maiores de ômega-6. De modo contrário, esses ácidos graxos poli-insaturados modularam parâmetros inflamatórios e oxidativos.
Título em inglês
Association of omega-3 polyunsaturated fatty acids with inflammatory parameters and oxidative stress in women with breast cancer: impact of tumor staging
Palavras-chave em inglês
Breast neoplasms
Inflammation
Omega 3 fatty acids
Oxidative stress
Resumo em inglês
Introduction: Breast cancer (BC) accounted for 29.5% of female neoplasms in 2018, and lifestyle factors such as diet may explain up to 35% of this cancer. Although multicausal, imbalance between omega-3 and omega-6 fatty acid intake is likely to promote increased inflammation and oxidative stress at different stages of the carcinogenesis process. Objective: To evaluate the impact of clinical tumor staging on the association of bioavailable omega 3 fatty acids in plasma and erythrocyte membranes with oxidative stress and inflammation in women with breast cancer. Material and methods: Case-control, observational and analytical study, with 87 women with BC and 100 control women selected from the General Hospital of Fortaleza (HGF) in 2011/12. Case patients were distributed according to clinical staging (0-IIIc): EC = staging IIa-IIIc. From both groups, demographic and clinical data, anthropometric assessment and body composition were obtained. The inflammation markers were composed of cytokines IL-1β, IL-6, IL-10, TNF-α and MCP-1. At the plasma level, adipokines (leptin and adiponectin), oxidative stress markers (TBARS, LDL (-) and 8-OHdG), as well as fatty acid content in plasma and erythrocyte membranes were evaluated by gas chromatography. Chi-square, t-student, Pearson correlation, Mann-Whitney and linear regression and logistic tests were performed and p <0.05 was adopted for all tests. Results: There was no difference between age in the Case and Control groups, nor in the anthropometric parameters, except for waist circumference which was higher in the Case group (96.2 cm versus 91.2 cm). Smoking time in Cases was longer than in Controls (20.4 years versus 13.5 years). In women with BC there was a predominance of ductal tumor subtype (79.3%) and no differences between estrogen receptors, progesterone, HER2 marker and Ki67 cell proliferation, according to clinical staging. Cases had higher values of TBARS (6.0 versus 4.7 µmol) and anti-LDL (-) antibodies (4.6 versus 2.5 U / L) and inflammatory cytokines MCP-1 (357.8 versus 295 ng / mL) and IL-1β (2.8 versus 1.3 ng / mL). Controls had a higher concentration of IL-6 (0.9 versus 1.6 ng / mL) and IL-10 (2.8 versus 5.5 ng / mL), but ratios between cytokines (MCP-1, IL-1β, TNF-α, IL-6 with IL10) shows higher values than Controls. There was no difference between cytokine concentrations in the groups according to staging. Group >EC presented higher n-6 / n-3 ratio and lower DHA concentration and higher linoleic / DHA ratio incorporated in erythrocyte membranes. Anti-LDL antibody (-) was negatively associated with tumor size, while IL-10 was positively associated. High DHA content (≥ 4.3%) was associated with high IL-10 concentrations, while EPA, DHA and their sum were associated with low concentration of inflammatory cytokines. Linoleic and arachidonic acids were associated with high concentrations of plasma inflammatory markers. Conclusion: Women diagnosed with BC had higher concentrations of inflammatory biomarkers and oxidative stress when compared to healthy women. Patients with higher clinical staging had lower omega-3 and higher omega-6 concentrations. Conversely, these polyunsaturated fatty acids modulated inflammatory and oxidative parameters.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-10-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.