• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.82.2009.tde-05052010-094335
Documento
Autor
Nome completo
Ana Cristina Basso
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Carlos, 2009
Orientador
Banca examinadora
Pizzolitto, Elisabeth Loshchagin (Presidente)
Bernardi, Adilson Cesar Abreu
Silva, Orivaldo Lopes da
Título em português
Aderência bacteriana: estudo in vitro de superfície de aço inoxidável e liga de titânio-alumínio-vanádio de uso ortopédico
Palavras-chave em português
Aço inoxidável
Aderência bacteriana
Staphylococcus aureus
Staphylococcus epidermidis
Ti-6Al-4V
Resumo em português
O uso de metais na fabricação de implantes ortopédicos iniciou-se nas primeiras décadas do século XX. O aumento do uso de biomateriais implantáveis aumentam também os casos de infecção. A colonização da superfície do biomaterial pode ter início no momento da inserção do corpo estranho no organismo e geralmente é causada por microrganismos da microbiota da pele ou região adjacente ao implante. Este estudo teve por objetivo avaliar por métodos microbiológicos e microscópio eletrônico de varredura (MEV), a aderência bacteriana à superfície de aço inoxidável e liga de titânio de uso médico, bem como a molhabilidade da superfície destes metais. As bactérias usadas foram Staphylococcus epidermidis ATCC 12228 e Staphylococcus aureus ATCC 25923. Os discos de aço inoxidável (15,0 mm de diâmetro x 2,0 mm de espessura) e de liga de titânio (12,0 mm de diâmetro x 2,0 mm de espessura) foram inseridos, asséptica e separadamente, em tubos contendo 15,0 mL de caldo Mueller Hinton e 200,0 'mü'L de suspensão bacteriana da ordem de '10 POT.8' UFC/mL. Cada bactéria foi estudada individualmente. Os tubos foram incubados por 1, 6, 24, 48 e 72 horas sob agitação a 37 graus Celsius. Após os períodos de incubação, os discos foram retirados do caldo de cultura e submetidos ao banho de ultrassom em 5,0 mL de solução fisiológica 0,85% esterilizada. Deste líquido, foram realizadas diluições da ordem de '10 POT.-1' a '10 POT.-4' para a quantificação de células viáveis. Os valores foram expressos em UFC/mL. Para S. epidermidis sobre a liga de titânio, o número de células viáveis foi em 1 hora: 7,20 x '10 POT.4'; 6 horas: 3,90 x '10 POT.6'; 24 horas: 3,80 x '10 POT.6'; 48 horas: 9,70 x '10 POT.6' e 72 horas: 1,00 x '10 POT.7'. Sobre o aço inoxidável, o número de células viáveis foi em 1 hora: 3,00 x '10 POT.3'; 6 horas: 2,90 x '10 POT.6'; 24 horas: 3,20 x '10 POT.6'; 48 horas: 1,41 x '10 POT.7' e 72 horas: 1,88 x '10 POT.7'. Para S. aureus ) sobre a liga de titânio, o número de células viáveis foi em 1 hora: 2,00 x '10 POT.3'; 6 horas: 1,00 x '10 POT.4'; 24 horas: 3,10 x '10 POT.4'; 48 horas: 4,30 x '10 POT.4' e 72 horas: 5,80 x '10 POT.3'. Sobre o aço inoxidável, o número de células viáveis foi em 1 hora: 6,00 x '10 POT.3'; 6 horas: 2,00 x '10 POT.3'; 24 horas: 1,50 x '10 POT.4'; 48 horas: 3,20 x '10 POT.5' e 72 horas: 6,00 x '10 POT.3'. Ambas as superfícies metálicas foram caracterizadas como de média molhabilidade, onde a liga de titânio teve média '+ OU -' desvio padrão de 39,016 '+ OU -' 11,267 e o aço inoxidável 58,083 '+ OU -' 7,165. Tanto o S. aureus quanto o S. epidermidis aderiram às superfícies dos biomateriais estudados, como foi observado por meio de MEV. Com base nos resultados é possível concluir que os dois microrganismos são capazes de aderir a superfícies metálicas. Isto aumenta a preocupação quanto à patogênese das infecções relacionadas a implantes ortopédicos, uma vez que esses microrganismos estão presentes na pele humana e oferecem o risco de reações inflamatórias e infecção, promovendo a perda do implante para efetivar a cura.
Título em inglês
Bacterial adherence: an in vitro study of stainless steel and titanium-aluminium-vanadium alloy surfaces of orthopedic use
Palavras-chave em inglês
Bacterial adherence
Stainless steel
Staphylococcus aureus
Staphylococcus epidermidis
Ti-6Al-4V
Resumo em inglês
The utilization of metals in the manufacture of orthopedic implants started in first decades of twentieth century. The increased use of implantable biomaterials increased also infection cases. Biomaterial surface colonization can start at the moment of foreign body insertion in the organism and is usually caused by microorganisms of skin microbiota or adjacent region to the implant. This study aimed to evaluate microbiological methods and scanning electron microscopy (SEM), the bacterial adhesion to surface of stainless steel and titanium alloy of medical use, as well as the surface wetability of these metals. The used bacteria were Staphylococcus epidermidis ATCC 12228 and Staphylococcus aureus ATCC 25923. The stainless steel (15,0 mm diameter x 2,0 mm thick) and titanium alloy (12,0 mm diameter x 2,0 mm thick) discs were inserted, aseptic and individually, into tubes containing 15,0 mL Mueller Hinton broth and 200,0 'mü'L of bacterial suspension with '10 POT.8' CFU/mL concentration. Each bacterium was individually studied. The tubes were incubated for 1, 6, 24, 48 and 72 hours under agitation at 37 Celsius degrees. After incubation periods, the discs were removed from culture broth and submitted to the ultrasound bath in 5,0 mL of sterile saline. From this liquid were realized dilutions of '10 POT.-1' to '10 POT.-4' to quantify the viable cells. Values were expressed in CFU/mL. S. epidermidis over titanium alloy viable cells number was in 1 hour: 7,20 x '10POT.4'; 6 hours: 3,90 x '10 POT.6'; 24 hours: 3,80 x '10 POT.6'; 48 hours: 9,70 x '10 POT.6' and 72 hours: 1,00 x '10 POT.7'. Over stainless steel viable cells number was in 1 hour: 3,00 x '10 POT.3'; 6 hours: 2,90 x '10 POT.6'; 24 hours: 3,20 x '10 POT.6'; 48 hours: 1,41 x '10 POT.7' and 72 hours: 1,88 x '10 POT.7'. To S. aureus over titanium alloy viable cells number was in 1 hour: 2,00 x '10 POT.3'; 6 hours: 1,00 x '10 POT.4'; 24 hours: 3,10 x '10 POT.4'; 48 hours: 4,30 x '10 POT.4' and 72 hours: 5,80 x '10 POT.3' and over stainless steel viable cells number was in 1 hour: 6,00 x '10 POT.3'; 6 hours: 2,00 x '10 POT.3'; 24 hours: 1,50 x '10 POT.4'; 48 hours: 3,20 x '10 POT.5' and 72 hours: 6,00 x '10 POT.3'. Both metal surfaces were characterized as medium wetability, where the contact angle of titanium alloy was mean '+ OU -' standard deviation 39,016 '+ OU -' 11,267 and stainless steel 58,083 '+ OU -' 7,165. Both S. aureus as S. epidermidis adhered to surfaces of biomaterials studied, as observed by SEM. Based on the results we concluded that two microorganisms are able to adhere to metal surfaces. This increases the concern about the pathogenesis of infections related to orthopedic implants, since these microorganisms are present in human skin and provide the risk of infection and inflammatory reactions, furthering implant loss to effective cure.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-09-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.