• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.8.2020.tde-26052021-190715
Documento
Autor
Nome completo
Daniella Avelaneda Origuela
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2020
Orientador
Banca examinadora
Faleiros, Álvaro Silveira (Presidente)
Gorovitz, Sabine
Pisetta, Lenita Maria Rimoli
Santos, Silvana Aguiar dos
Título em português
Interpretação comunitária e migração no Brasil
Palavras-chave em português
Imigrante
Interpretação
Interpretação Comunitária
Intérprete
Migração
Migrante
Políticas Públicas
Refugiado
Serviços Públicos
Tradução
Resumo em português
Na confluência dos campos de Migração e Estudos da Interpretação, esta pesquisa teve o objetivo de trazer à luz um campo emergente da Interpretação: a Interpretação Comunitária, também conhecida como Interpretação nos Serviços Públicos ou Mediação Intercultural, entre outros nomes. A tese contou com um apanhado teórico sobre a área, inédita em português no Brasil, questões éticas e de coordenação de trabalho do intérprete comunitário e seu papel, além de tópicos sobre o ensino de Interpretação Comunitária. A Interpretação Comunitária é o tipo de mediação linguístico-cultural que se dá, geralmente, em contextos jurídicos (delegacias, prisões, tribunais, escritórios de advocacia, entrevistas migratórias etc.) e em contextos médicos (hospitais, clínicas médicas, emergências etc.), além dos contextos educacionais. A área de interpretação de linguagem de sinais, muitas vezes também é considerada como Interpretação Comunitária. A importância do estudo da área se dá pelas novas ondas migratórias que chegam ao Brasil e pela necessidade de o Estado fornecer serviços linguísticos adequados para os que não falam português, os recém-chegados ou mesmo os povos nativos que não falam português, a fim de que possam acessar os serviços públicos, e assim se comunicar com os prestadores de serviços. A pesquisa demonstrou que a maioria dos serviços de mediação linguística são fornecidos por ONGs e instituições religiosas, porém, na maioria das vezes, tais serviços são realizados por pessoas que não receberam treinamento adequado ou qualquer tipo de treinamento, são os intérpretes não-profissionais ou ad hoc. A partir de algumas experiências práticas no ensino de Interpretação Comunitária, pudemos propor o que abordar e como treinar alunos para a atuação profissional na área. Também propomos que devem existir políticas públicas adequadas para os grupos migrantes que visem a inclusão em uma perspectiva linguística de acesso a serviços e direitos.
Título em inglês
Community Interpreting and Migration in Brazil
Palavras-chave em inglês
Community Interpreting
Immigrant
Interpreter
Interpreting
Migrant
Migration
Public Policies
Public Services
Refugee
Translation
Resumo em inglês
In the intersection of Migration and Interpreting Studies, this research had the objective of bringing to light an emerging field of interpreting: Community Interpreting, also known as Public Service Interpreting or Intercultural Mediation, among other names. The doctoral thesis used some theories in the area, unprecedented in Brazil, about ethical issues and work coordination, interpreter´s role, furthermore, issues on Community Interpreting training. Community Interpreting is a type of cultural-linguistic mediation that usually occurs in legal contexts (police stations, courts, lawyer´s office, migration offices, etc.) and in medical contexts (hospitals, doctor´s office, emergency rooms, etc.), also in educational contexts. The field of Signed Language Interpreting many times is also considered as being part of Community Interpreting. The importance of studying this area is justified by the new migration waves coming to Brazil, and the need for the State to provide adequate linguistic services to those who do not speak Portuguese, the recent migrants or even native people who do not speak Portuguese, so that they can use public services and communicate with service providers. The research showed that most of the linguistic services are actually provided by NGOs and religious institutions, however, most of the times, these services are provided by people who have not received appropriate training or no training at all; they are known as non-professional interpreters or ad hoc. From practical training experiences in the field of Community Interpreting, we propose what to approach and how to train students for professional performance in the area. We also strongly suggest that there should be adequate public policies to migrants which aim the inclusion in a linguistic perspective of access to services and rights.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2021-05-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2023. Todos os direitos reservados.