• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2013.tde-15012014-100107
Documento
Autor
Nome completo
Ana Carolina Sa Teles
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Guimarães, Hélio de Seixas (Presidente)
Monteiro, Pedro Meira
Passos, Cleusa Rios Pinheiro
Título em português
Questão moral e constituição do sujeito em contos de Machado de Assis
Palavras-chave em português
Constituição do sujeito
Conto
Machado de Assis
Questão moral
Resumo em português
Esta dissertação aborda a questão moral e questões relativas à constituição do sujeito em contos de Machado de Assis. Os contos analisados pertencem às décadas de 1870 e 1880. Os títulos são: Ponto de vista (Quem desdenha...), de Histórias da meia-noite; O sainete; D. Benedita (Um retrato), de Papéis avulsos; Galeria Póstuma, Uma senhora, de Histórias sem data; e O enfermeiro, de Várias Histórias. Em vários dos contos, os protagonistas são confrontados por impasses de identidade, impasses de subjetivação ou ainda por dilemas morais, que acarretam em diferença subjetiva. Em adição, o narrador propõe dilemas estéticos e éticos que indagam o leitor, no gesto de leitura e interpretação. Desde Ressurreição, romance de 1872, Machado de Assis operara um deslocamento do foco da narração de costumes para o enfoque do contraste entre dois caracteres. Também em artigo de 1878 sobre O Primo Basílio Machado havia levantado uma grande polêmica, que fez parte do que Roberto Schwarz nomeou, por exemplo, como militância anti-realista do autor. No artigo a O Primo Basílio, Machado declarou a preferência pelos caracteres, pelas paixões e pela verdade moral na composição do drama. Já no século 20, uma corrente crítica inaugurada na década de 1930, em especial, por Augusto Meyer e Lúcia Miguel Pereira, interpretou Machado de Assis pelo viés do subterrâneo. Eles abriram caminho para uma crítica machadiana que considerasse, por exemplo, a psicanálise como interface na recepção literária. Lembremos, contudo, que Augusto Meyer era também tributário de Alcides Maya e responsável pelo esclarecimento de vínculos entre a ficção machadiana e a tradição de escritores moralistas. Nesse sentido, no século 20, não apenas a crítica machadiana psicológica ganhou espaço, como também a crítica que enfocou a questão moral. Entre os críticos machadianos que investigaram a questão moral, encontramos, por exemplo, o próprio Augusto Meyer, Alfredo Bosi, Ivan Teixeira, José Luiz Passos e Pedro Meira Monteiro.
Título em inglês
Morality and subject constitution in Machado de Assis's short stories
Palavras-chave em inglês
Machado de Assis
Morality
Short story
Subject constitution
Resumo em inglês
This dissertation approaches morality and subject constitution in Machado de Assiss short stories. The analyzed short stories go back to the period of the 1870s and 1880s. The titles are the following: Ponto de vista (Quem desdenha...) in Histórias da meia-noite; O sainete; D. Benedita (Um retrato) in Papéis avulsos; Galeria Póstuma and Uma senhora in Histórias sem data; and O enfermeiro in Várias histórias. In these short stories, the main characters are usually confronted with impasses concerning either identity, subjectivity or moral dilemmas that imply in subjective difference. In addition, the narrators propose esthetic and ethic dilemmas that question the reader in the act of reading and interpreting. In Ressurreição, novel of 1872, Machado had already dislocated the focus on narrating customs and had given priority to a plot centered on the contrast between two characters. In the article of 1878 on O primo Basílio, Machado started a huge controversy as well. This text takes part in what Roberto Schwarz names as Machados anti-Realism militancy. In the article about O primo Basílio Machado states the preference for the art of the characters, passions and morality as main components in the drama. In the 20th century, a new area of Machados criticism emerged by approaching his works according to an underground tone (the word refers to Dostoevskys book). This type of criticism was founded by Augusto Meyer and Lucia Miguel Pereira. They have opened the way for a criticism of Machados works that can take into account a psychoanalytic interface in literature reception. Still, we should remember that Augusto Meyer referred to Alcides Maya and was responsible for pointing out the connections between Machado de Assis and the moralist writers. Thus, there has been an overture not only to psychological criticism but also to the criticism concerned with morality in Machados works. Among exponent critics who have investigated morality in Machado, we can mention Augusto Meyer, Alfredo Bosi, Ivan Teixeira, José Luiz Passos and Pedro Meira Monteiro.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-01-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.