• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2009.tde-05022010-135056
Documento
Autor
Nome completo
Julián Miguel Barbero Fuks
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Olmos, Ana Cecilia Arias (Presidente)
Andrade, Fabio Rigatto de Souza
Gárate, Miriam Viviana
Título em português
Juan José Saer e o paradoxo necessário ou uma poética da (i)mobilidade em Nadie nada nunca
Palavras-chave em português
Crise do romance
Literatura argentina
Narrativa contemporânea
Ninguém nada nunca
Saer
Resumo em português
Esta dissertação promove uma leitura da obra Nadie nada nunca (1980), do escritor argentino Juan José Saer, em função das hipóteses sobre a morte do romance e a impossibilidade de narrar. Tomando o paradoxo como elemento fundamental de qualquer romance contemporâneo, identifica o paradoxo específico dessa obra na alternância entre impossibilidade de movimento e revolução contínua da matéria. Cada um desses preceitos assumidos pelo livro resulta em uma poética própria poética da imobilidade e poética da mobilidade ambas aliando-se para converter a obra em uma seqüência de enigmas e interrogações, prenhe de auto-referências e ambigüidades. Um universo próprio que se basta em sua infinidade complexa e obscura, e que desse modo ganha status de objeto autônomo do mundo, propondo uma possível resposta ao impasse em que se encontram a narrativa e a representação
Título em inglês
Juan Jose Saer and the necessary paradox or A poetic of imobility in Nadie nada nunca
Palavras-chave em inglês
Argentine literature
Contemporary narrative
Crisis of the novel
Nobody nothing never
Saer
Resumo em inglês
This dissertation suggests an interpretation of the novel Nadie nada nunca (1980), written by the Argentine Juan José Saer, according to the multiple hypotheses about the death of the novel and the impossibility of narrative. Taking paradox as an essential element of any contemporary novel, the dissertation identifies the specific paradox of this work in the alternation between the impossibility of movement and the continuous revolution of matter. Each of these precepts assumed by the book results in a poetics a poetics of immobility and a poetics of mobility both of which combine in order to convert the novel into a sequence of enigmas and inquisitions, filled with selfreferences and ambiguities. A universe of its own that is self-sufficient in its complex and obscure infinity, and therefore achieves a status of an autonomous object of the world, offering a possible answer to the impasse confronted by narrative and representation
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-02-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.