• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Master's Dissertation
DOI
Document
Author
Full name
Tarcisio Antonio Dias
E-mail
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
São Paulo, 2019
Supervisor
Committee
Storto, Luciana Raccanello (President)
Lopes, Ruth Elisabeth Vasconcellos
Sandalo, Maria Filomena Spatti
Scher, Ana Paula
Title in Portuguese
As construções de cópula da língua Karitiana
Keywords in Portuguese
Caso
Concordância
Cópula
Elipse
Karitiana
Predicação
Rotulação
Abstract in Portuguese
Em vista do sistema de Caso/concordância de Chomsky (2000; 2001) baseado em Agree, bem como na proposta minimalista para a ergatividade de Aldridge (2004; 2008; 2012), apresentamos no capítulo 1 uma análise para as relações de Caso e concordância em Karitiana à luz do seu padrão de concordância ergativo-absolutivo e das ordens de constituinte que a língua exibe. Propomos que T valora Caso absolutivo no objeto e no sujeito intransitivo em orações matriz, ao passo em que o núcleo n valora genitivo nestes argumentos em orações subordinadas. O núcleo v, por sua vez, atribui Caso ergativo inerente ao sujeito transitivo. Propomos, também, que o v transitivo possua um traço EPP responsável por alçar o objeto para uma posição de especificador extra de vP acima do sujeito, o que explicaria a ordenação atestada em sentenças assertivas VOS e subordinadas OSV. A disposição SVO em declarativas, em que o sujeito sobe mesmo estando abaixo do objeto em Spec,vP, é explicada em termos de uma restrição imposta sobre o objeto pela Condição de Atividade (CHOMSKY, 2001). No capítulo 2 discutimos de que maneira as relações predicativas são sintaticamente capturadas nas construções de cópula do Karitiana. Adotamos a teoria da Sintaxe da Predicação de den Dikken (2006), em que sujeito e predicado estabelecem uma relação de predicação no domínio da projeção de um núcleo relator em uma configuração assimétrica e não direcional. Também lançamos mão da proposta em Hale & Keyser (2002) de que a projeção de um especificador depende de um núcleo verbal selecionar um elemento predicador como um complemento. Apresentamos, assim, uma análise para as construções de cópula de predicação verbal e adjetival (i.e. [NP cóp i-Pred-t/ø]). Em nossa proposta o pronome i- prefixado ao adjetivo e verbo corresponde a um pro-predicate (MORO, 1997), um place holder do predicado lexical. Tal pro-predicate é o verdadeiro predicador da construção de cópula em que ele aparece, de modo que o adjetivo e o verbo entram como um adjunto na estrutura. Apresentamos, também, uma derivação para as construções de inversão de predicado, nas quais o i- está ausente. O morfema -t/ø sufixado ao predicado corresponde a um bloqueador de projeção, sendo uma maneira que a língua possui de contornar o problema de rotulação que emerge em certas estruturas de adjunção. Por fim, explicamos o comportamento distinto das construções de predicação nominal (i.e. [ NP cóp NP-t/ø]) argumentando que elas não se submetem às restrições da sintaxe da predicação. Finalmente, no capítulo 3 argumentamos que o apagamento da cópula em Karitiana nas sentenças declarativas de tempo não futuro é um caso de elipse do tipo sluicing (MERCHANT, 2001) que não precisa satisfazer condições de identidade para ser licenciada, propondo que o efeito copula drop decorre de uma restrição baseada em fases (CHOMSKY, 2001; BOKOVI, 2014).
Title in English
Copular constructions in Karitiana
Keywords in English
Agreement
Case
Copula
Ellipsis
Karitiana
Labeling
Predication
Abstract in English
In light of the chomskyan Case/agreement system (2000; 2001), and also Aldridges (2004; 2008; 2012) minimalist approach to ergativity, in chapter 1 we present an account for Case and agreement relations in Karitiana in view of its ergative-absolutive agreement pattern and the constituent order the language exhibits. We propose T values absolutive Case on both the object and the intransitive subject within matrix clauses, and n head values genitive on these arguments within subordinate clauses. We also propose v assigns ergative as an inherent Case to the transitive subject. In addition, transitive v bears an EPP feature responsible for dragging the object to an outer Spec,vP position above the subject, which accounts for the VOS assertives and OSV subordinates word order. SVO declaratives, in which the subject is raised even though the object is arguably higher up in the tree, is derived due to a restriction the Activity Condition (CHOMSKY, 2001) imposes on the object. In chapter 2 we discuss how predication relations are syntactically captured in Karitiana copular constructions. We adopt den Dikkens (2006) Predication theory, in which the subject and the predicate establish a relation in the minimal domain of the projection headed by a relator in a asymmetrical and non directional configuration. We also adopt Hale & Keysers (2002) proposal in which the specifier position is projected only when a verbal head selects for a predicate element as its complement. Then, we present an analysis for verbal and adjectival predication in Karitiana copular constructions (i.e. [NP cop i-A/V-t/ø]). In our approach the pronoun i- prefixed to the adjective and the verb is a pro-predicate (MORO, 1997), a place holder for the lexical predicate. Such element is the real predicate in the copula constructions it appears, and the adjective and the verb are adjoined to the structure. We present, as well, a derivation for predicate inversion constructions, which lack i-. The morpheme -t/ø suffixed to the predicate corresponds to a projection blocker, and it is a way the language alleviates a projection problem caused by certain adjunction structures. To conclude, we explain the distinctive behaviour of nominal predicate constructions (i.e. [ NP cop NP-t/ø]) arguing they are not submitted to restrictions of the Syntax of Predication. Finally, in chapter 3 we propose a phase-based (CHOMSKY, 2001; BOKOVI, 2014) account of the copula drop phenomenon in Karitiana declarative sentences (non future tense), arguing it to be an instance of sluicing (MERCHANT, 2001), a type of ellipsis, and that it does not need to satisfy identity conditions to be licensed.
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
Publishing Date
2019-06-26
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
CeTI-SC/STI
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2022. All rights reserved.