• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Marco Antonio Marinelli Filho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Beividas, Waldir (Presidente)
Blikstein, Izidoro
Guerra Filho, Willis Santiago
Lopes, Ivã Carlos
Título em português
Por uma fenomenologia da língua e do signo linguístico
Palavras-chave em português
Fenomenologia
Língua
Signo linguístico
Resumo em português
A intenção que motivou a idealização e a realização desta dissertação de mestrado foi a de demonstrar a possibilidade de uma fenomenologia da língua e do signo linguístico. A fenomenologia em questão é a definida por Martin Heidegger como um deixar e fazer ver por si mesmo aquilo que se mostra, tal como se mostra a partir de si mesmo (2015, p.74); é, em outros termos, o interpretar que, ao analisar e explicar algo, revela-o ao enunciá-lo. E o que a fenomenologia deixa e faz ver é o ser que é sempre ser de um ente. Uma fenomenologia da língua e do signo linguístico seria, portanto, o deixar e fazer ver por si mesmo o ser da língua e o ser do signo, assumidos como entes. A forma imaginada para demonstrar a possibilidade dessa fenomenologia foi: encontrar interpretações de natureza fenomenológica em meio a interpretações fornecidas por autores que buscaram analisar a língua e o signo linguístico através da aplicação de uma metodologia essencialmente não-fenomenológica. Os autores selecionados foram Ferdinand de Saussure, Louis Hjelmslev, Roland Barthes, Umberto Eco e Izidoro Blikstein e a metodologia em questão é o estruturalismo linguístico. Em suma, o que qualifica o estruturalismo linguístico como metodologia é a intenção de compreender e explicar seus objetos através da projeção de um modelo de estrutura (ou modelo estrutural) sobre esses objetos; isto é, é a intenção de compreendê-los e explicá-los como se fossem estruturas correspondentes ao modelo de estrutura pré-estabelecido. Com isso, por partir de algo externo ao objeto (o modelo de estrutura) para analisá-lo e explicá-lo, o estruturalismo linguístico não o questiona e nem busca questioná-lo em seu próprio modo de ser. Logo, identificar argumentos de caráter fenomenológico, inconscientemente presentes, no interior de analises baseadas na metodologia do estruturalismo linguístico, é demonstrar a possibilidade de realização consciente de uma fenomenologia da língua e do signo linguístico. Para esses propósitos, a dissertação foi dividida em três partes. A primeira dedicada à introdução. A segunda dedicada à demonstração da viabilidade de uma fenomenologia da língua e do signo linguístico através da análise das obras dos cinco autores acima mencionados. E a terceira dedicada às considerações finais.
Título em inglês
For a phenomenology of language and linguistic sign
Palavras-chave em inglês
Language
Linguistic sign
Phenomenology
Resumo em inglês
The intention that motivated the idealization and the realization of this master thesis was to demonstrate the possibility of a phenomenology of the language and the linguistic sign. The phenomenology in question is that defined by Martin Heidegger as letting and seeing for oneself what one shows, as one shows oneself (2015, p.74); it is, in other words, the interpretation that, when analyzing and explaining something, reveals it by stating it. And what phenomenology leaves and reveals is "being" - which is always being of a "being". A phenomenology of language and of the linguistic sign would therefore be to let itself be seen by the being of the language and the being of the sign, assumed as beings. The imagined way to demonstrate the possibility of this phenomenology was to find interpretations of a phenomenological nature amid interpretations provided by authors who sought to analyze language and the linguistic sign through the application of an essentially non-phenomenological methodology. The selected authors were Ferdinand de Saussure, Louis Hjelmslev, Roland Barthes, Umberto Eco and Izidoro Blikstein and the methodology in question is linguistic structuralism. In short, what qualifies linguistic structuralism as a methodology is the intention to understand and explain its objects by projecting a structural model (or structural model) onto these objects; that is, it is the intention to understand and explain them as if they were structures corresponding to the pre-established structure model. Thus, by starting from something external to the object (the structure model) to analyze and explain it, linguistic structuralism neither questions nor seeks to question it in its own way of being. Therefore, to identify unconsciously present phenomenological arguments within analyzes based on the methodology of linguistic structuralism is to demonstrate the possibility of conscious realization of a phenomenology of language and linguistic sign. For these purposes, the dissertation was divided into three parts. The first dedicated to the introduction. The second is dedicated to demonstrating the viability of a phenomenology of language and linguistic sign through the analysis of the works of the five authors mentioned above. And the third dedicated to the final considerations.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-10-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.