• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.8.2019.tde-11122019-172835
Documento
Autor
Nome completo
Iamara de Almeida Nepomuceno
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Wissenbach, Maria Cristina Cortez (Presidente)
Magalhães, Juliana de Paiva
Muscalu, Ivana Pansera de Oliveira
Santos, Gabriela Aparecida dos
Título em português
Guerra de Massangano: Luísa de Goengue e o Bonga - interações sociais e poder feminino no vale do Zambeze (1867-1889)
Palavras-chave em português
Donas da Zambézia
História da África
História das mulheres africanas
Moçambique
Relatos de viagem
Resumo em português
Na segunda metade do século XIX, a família Cruz, de origem afroportuguesa, com acesso a vastos territórios de terra, denominados prazos, foi um dos grandes empecilhos para a efetivação colonial portuguesa na região de Moçambique (atual). Neste sentido, para nossa análise histórica, estabelecemos como recorte espaço-temporal o início da guerra ao Bonga, senhor do prazo de Massangano e, por fim, o período da prisão, em 1889, de sua irmã Dona Luísa do prazo do Goengue, acusada de traição pelo governador geral de Moçambique, o Augusto de Castilho. Para estabelecer a discussão sobre o Bonga, Luísa e a guerra, utilizamos como fonte os relatórios de guerra, ofícios, cartas, notícias de jornais e ainda, os relatos produzidos por viajantes que participaram da expedição luso-francesa comandada pelo oficial militar português Joaquim Carlos Paiva de Andrada durante sua viagem ao vale do Zambeze. Esta expedição mineralógica percorreu os territórios dos prazos partindo de Quelimane indo ao caminho de Tete até o Zumbo, entre os anos de 1881 e 1882 e, passando alguns nos prazos de Massangano e Goengue. Acompanharam esta expedição 12 especialistas com o objetivo de fazer a prospecção do solo e encontrar depósito de minerais, especialmente, jazidas de carvão, ouro e prata. Por intermédio de concepções e métodos advindos de uma produção recente da História Social, da História das mulheres e do movimento feminista africano, abordamos as relações de poder manifestadas pela família Cruz, e demonstramos que vários de seus membros reivindicaram a soberania política dentro de seus prazos, outros se declararam antiportugueses opondo-se a qualquer tipo de ingerência lusitana. Diante disto, nos interessou observar as múltiplas formas de fazer política, hierarquias sociais, relações de parentesco e a atuação de Dona Luísa do Goengue. Além disso, ao refletirmos sobre o papel social exercido por esta mulher, discutimos os estereótipos e mitos construídos como representativos de sua personalidade, procuramos ir além das ambiguidades atribuídas a ela e, problematizar seu lugar social no quadro sociopolítico da Zambézia.
Título em inglês
Massangano War: Luísa do Goengue and the Bonga - social interactions and female power in the Zambeze Valley (1867-1889)
Palavras-chave em inglês
African history
History of african women
Mozambique
Travel stories
Zambezi maids
Resumo em inglês
In the second half of the nineteenth century, the Cruz family, of Afro-Portuguese origin, with access to vast territories of land, named as lockings, was one of the major obstacles to the Portuguese colonial settlement in the (present) region of Mozambique. In this regard, for our historical analysis, we established as a spatiotemporal session the beginning of the war with Bonga, lord of the Massangano locking and, finally, the imprisonment in 1889 of his sister Dona Luísa of the Goengue locking, accused of treachery by the governor-general of Mozambique, Augusto de Castilho. In order to establish the discussion about Bonga, Luisa and the war, we have used as a source of information the reports of war, crafts, letters, news of newspapers and even, the reports produced by travelers who participated in the Portuguese-French expedition led by the Portuguese military officer Joaquim Carlos Paiva de Andrada during his trip to the Zambezi Valley. This mineralogical expedition toured the territories of the lockings from Quelimane on the way from Tete to the Zumbo, between the years 1881 and 1882 as well as through the Massangano and Goengue lockings. Accompanied this expedition 12 specialists so as to prospect the soil and find deposits of minerals, especially coal, gold and silver seams. Through conceptions and methods derived from a recent production of Social History, Women's History, and the African feminist movement, we approach the power relations manifested by the Cruz family, and demonstrate that several of its members have claimed political sovereignty within their lockings, others declared themselves anti-Portuguese opposed to any kind of Lusitanian interference. Given, we were interested in observing the multiple ways of doing politics, social hierarchies, kinship relations and the performance of Dona Luísa do Goengue. Moreover, by reflecting on the social role played by this woman, we discuss the stereotypes and myths constructed as representative of her personality, we seek to go beyond the ambiguities attributed to her and to problematize her social position in the socio-political framework of Zambezia.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-12-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.