• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.8.2021.tde-15062022-191912
Documento
Autor
Nome completo
Carolina Gabriel de Paula Pupo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2022
Orientador
Banca examinadora
Contel, Fabio Betioli (Presidente)
Arroyo, Maria Mónica
Júnior, Jeová Torres Silva
Silveira, Maria Laura
Título em português
Finanças solidárias no Brasil: bancos comunitários, moedas locais e a força dos lugares
Palavras-chave em português
Bancos comunitários
Contra-racionalidades
Finanças solidárias
Lugar
Moedas locais
Resumo em português
A partir da década de 1970, duas novas variáveis passam a ter um papel preponderante na composição do espaço geográfico: a informação e as finanças. Neste contexto, a difusão do meio técnico-científico-informacional (SANTOS, [1996] 2008) se impõe de distintas maneiras nos lugares, diferenciando-os, empoderando alguns deles, onde a fluidez do dinheiro global encontra condições apropriadas para sua reprodução. Dialeticamente, esta mesma racionalidade hegemônica produz seus próprios limites, pois a própria escassez gerada por ela torna-se a base criadora para novas racionalidades, mais afeitas aos lugares e dotadas de lógicas não-instrumentais; nosso argumento visa mostrar que os bancos comunitários e suas moedas locais são formas concretas destas lógicas mais solidárias, denominadas de finanças solidárias. Nossa pesquisa procura identificar os agentes - públicos e privados - envolvidos no surgimento dos bancos comunitários no Brasil. Daremos destaque para os graus de organização, níveis de técnicas utilizadas e tipos de serviços financeiros e não-financeiros prestados pelos bancos comunitários. Por suas características intrínsecas, os bancos comunitários são bastante dependentes dos lugares em que atuam, acolhendo as demandas de suas comunidades, e que se refletirão em uma política própria de criação e uso de instrumentos monetários alternativos, ligados as finanças solidárias. Foi de fundamental importância ao nosso estudo estabelecer uma regionalização da distribuição destes bancos no território brasileiro, tendo como critério a relação deles com a existência prévia do meio-técnico-científico informacional. Foi possível ainda analisá-los sob o prisma da teoria dos dois circuitos da economia urbana, já que eles são identificados como agentes do circuito inferior da economia urbana. Neste contexto, as moedas locais de papel - assim como a Plataforma E-dinheiro - mobilizadas por estes bancos, são entendidas nesta tese como "fatos sociais totais", e que possibilitam a construção de horizontalidades e contra-racionalidades nos lugares.
Título em inglês
Solidarity finance in Brazil: community banks, local currencies and the power of places
Palavras-chave em inglês
Community banks
Counter-rationalities
Local currency
Place
Solidarity finance
Resumo em inglês
As from the 1970s, two new variables began to play a preeminent role in the composition of geographic space: information and finance. Within this context, the diffusion of the technical-scientific-informational milieu (SANTOS, [1996] 2008) has imposed itself in different ways in places, differentiating them, empowering some of them, where the fluidity of global money has encountered the appropriate conditions for its reproduction. Dialectically, this same hegemonic rationality has produced its own limits, since the scarcity that is has generated has become the creative basis for new rationalities, more suited to places and endowed with non-instrumental logics. Our argument therefore aims to demonstrate that community banks and their local currencies are concrete forms of these more solidary logics, termed solidarity finance. This study has sought to identify the agents - both public and private - involved in the emergence of community banks in Brazil. It sets out to highlight the degrees of organization, the levels of techniques used, and the types of financial and non-financial services provided by community banks. Due to their intrinsic characteristics, community banks are highly dependent on the places in which they operate, accommodating the demands of their communities, which are reflected in their own particular policy of creating and using alternative monetary instruments, linked to solidarity finance. It was of fundamental importance to this study to establish a regionalization of the distribution of these banks across the Brazilian territory, for which their relationship with the previous existence of the informational scientific-technical environment was a criterion. It was also possible to analyze them under the prism of the theory of the two circuits of urban economy, since they are identified as agents of the lower circuit of urban economy. Within this context, local paper currencies, as well as the eMoney Platform, mobilized by these banks, are understood in this thesis as "total social facts", and which enable the construction of horizontalities and counter-rationalities in places.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2022-06-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.