• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2016.tde-10112016-135000
Documento
Autor
Nome completo
Ronaldo Goulart Duarte
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Castellar, Sonia Maria Vanzella (Presidente)
Oliveira, Cesar Alvarez Campos de
Richter, Denis
Roberto, Lúcia Helena Sasseron
Simielli, Maria Elena Ramos
Título em português
Educação geográfica, cartografia escolar e pensamento espacial no segundo segmento do Ensino Fundamental
Palavras-chave em português
Cartografia escolar
Educação geográfica
Livros didáticos
Pensamento espacial
Resumo em português
O autor deste trabalho parte pressupõe que a articulação entre a Educação Geográfica e a Cartografia Escolar possui grande relevância para o desenvolvimento do pensamento espacial dos estudantes da escola básica. Essa dimensão da inteligência é essencial para a cidadania consciente e para o exercício das mais diversas atividades profissionais e cotidianas. Considerando esse cenário, o objetivo central desta pesquisa é avaliar qual é o nível de contribuição da Educação Geográfica e da Cartografia Escolar no segmento do 6º ao 9º anos do ensino fundamental para que os alunos sejam capazes de ampliar sua capacidade de pensar espacialmente em situações que envolvem representações espaciais, sobretudo as cartográficas, aplicadas a contextos geográficos. Para isso, recorremos ao campo de pesquisas do pensamento espacial (spatial thinking), desenvolvido principalmente nos Estados Unidos no decorrer das últimas décadas. Dessa forma, adotamos como definição do pensamento espacial a que foi apresentada no relatório do National Research Council (2006) e que tornou-se a referência nessa seara de investigação: Pensamento espacial um tipo de pensamento é baseado na amálgama de três elementos: conceitos espaciais, instrumentos de representação e processos de raciocínio (NRC, 2006, ix). Nossa metodologia envolveu dois caminhos distintos, mas articulados. Realizamos a análise das três coleções de livros didáticos de Geografia mais adotadas no segmento de 6º ao 9º anos do ensino fundamental brasileiro, com a finalidade de avaliar em que medida os exercícios e atividades presentes nessas obras contribuem para o desenvolvimento do pensamento espacial discente. A título de parâmetro comparativo, fizemos o mesmo com uma coleção de didáticos franceses destinados à mesma faixa de escolaridade. Para realizar essa avaliação das atividades utilizamos a Taxonomia do Pensamento Espacial de Jo e Bednarz (2009), criada exatamente para essa finalidade e replicada por Scholz et al. (2014). O levantamento identificou não apenas a proporção de questões demandantes do pensamento espacial, mas o nível dos processos de raciocínio envolvidos e o tipo de representação espacial utilizado. O segundo caminho metodológico foi a aplicação do Teste de Aptidão do Pensamento Espacial (STAT, em inglês), desenvolvido por Lee e Bednarz (2012), a 268 alunos brasileiros do 9º ano do ensino fundamental, em seis escolas diferentes. Após a tabulação dos dados realizamos uma análise comparativa entre os resultados dos alunos brasileiros e os números resultantes das aplicações do mesmo teste em dois contextos internacionais: uma escola estadunidense (LEE e BEDNARZ, 2012) e os de três escolas em Ruanda (TOMASZEWSKI et al., 2014). A análise incluiu tanto os resultados globais do teste quanto os resultados dos alunos de cada instituição em cada um dos oito grupos de modalidades do pensamento espacial considerados pelos elaboradores do STAT. Nossas conclusões finais resultaram do cotejo das informações obtidas a partir dessas duas linhas metodológicas.
Título em inglês
Geography education, school cartography and spatial thinking in Brazilian Junior High School
Palavras-chave em inglês
Geography education
School cartography
Spatial thinking
Textbooks
Resumo em inglês
The author of this thesis believes that Geography Education and School Cartography have both great importance for the development of spatial thinking among students in K-12. This dimension of intelligence is crucial for citizenship and for the practice of many professional and daily activities. Considering such a framework, the main goal of this research is to assess the contribution of Geography Education and School Cartography in Brazilian middle school to enhance students capacity to think spatially in situations that encompass spatial representations, specially cartographic ones, in geographical contexts. To answer this question we decided to betake the field research known as spatial thinking, developed mostly in the U.S. during the last two decades. As a consequence we adopted the definition of spatial thinking that was presented in the report of the National Research Council (2006), which has become the main reference in the field: Spatial thinkingone form of thinking is based on a constructive amalgam of three elements: concepts of space, tools of representation, and processes of reasoning (NRC, 2006, ix). Our methodology was based on two interconnected paths. We analyzed the three most adopted Geography textbooks collections for the four years of Brazilian middle school (6th to 9th grades) with the purpose of assessing in which extent the exercises in those books are capable of fostering students spatial thinking. In order to stablish a comparison with Brazilian textbooks we also assessed a French textbook collection destined to the same grade levels. To perform such an assessment, we used the Taxonomy of Spatial Thinking (Jo and Bednarz, 2009) designed for this particular purpose and replied by Scholz et al. (2014). The study identified not only the ratio of questions demanding spatial thinking but also the processes of reasoning involved. The second methodological path was based on the use of the Spatial Thinking Ability Test (STAT), designed by Lee and Bednarz (2012). We have administered the STAT to 268 students of six different Brazilian schools, all of them in the end of the 9th grade. After organizing all the data, we compared the Brazilian results with those of two international studies where the same test was administered: one school in the United States (LEE and BEDNARZ, 2012) and three schools in Ruanda (TOMASZEWSKI et al., 2014). Our analysis included both the global results of students overall performance in the test and their accomplishments regarding the eight modes of thinking spatially defined by the authors of the STAT. Our final conclusions were the results of the comparison between the outcomes obtained from our two methodological paths.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-11-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.