• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.8.2019.tde-24022021-165803
Documento
Autor
Nome completo
Marcelo Hideki Yamane
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Furlan, Sueli Angelo (Presidente)
Kawakubo, Fernando Shinji
Lima, Eduardo Rodrigues Viana de
Shimabukuro, Yosio Edemir
Título em português
Áreas Protegidas habitadas por populações tradicionais e povos indígenas como barreira ao desmatamento na Amazônia Legal
Palavras-chave em português
Amazônia
Áreas Protegidas
Comunidades Tradicionais
Desmatamento
Povos indígenas
Resumo em português
As taxas de desmatamento na Amazônia Legal têm crescido nos últimos anos, resultado de questões econômicas, políticas e sociais. O problema ganha destaque por conta da diversidade biológica e cultural da floresta amazônica e pela sua importância no contexto das mudanças climáticas. O problema é enfrentado por diversas frentes, o que inclui a criação e fortalecimento de Áreas Protegidas. Dentre as diversas modalidades, há aqueles que são críticos às modalidades que permitem a moradia de humanos. No entanto, povos indígenas e populações tradicionais são conhecidos pela relação específica que têm com o território, o que pode significar que esses grupos contribuem para a conservação da floresta. O objetivo do trabalho foi verificar se os territórios habitados por comunidades tradicionais (Reservas deDesenvolvimento Sustentável e Reservas Extrativistas) e povos indígenas (TerrasIndígenas) poderiam ser considerados ainda hoje como barreira ao desmatamento na Amazônia Legal. Para isso, nos focamos na relação espaço-temporal dessas áreas e entorno, a fim de verificar se as principais alterações ocorriam fora ou dentro dessas Áreas Protegidas. Utilizamos técnicas de sensoriamento remoto baseadas em estatística de pixel para imagens MODIS, em uma série histórica que vai de de 2000 a 2018, totalizando 427 imagens. Calculamos a média, desvio padrão e desvio médio absoluto dos pixels e, depois, realizamos a subtração das médias, a fim de identificar as áreas que perderam vegetação no período analisado. Também aplicamos um modelo linear de mistura espectral em imagens Landsat, a fim de verificar a precisão de nossa análise. Nossos resultados sugerem de forma didática e clara que essas áreas ainda funcionam como barreira ao desmatamento para a escala analisada.
Título em inglês
Protected Areas inhabited by traditional populations and indigenous peoples as a barrier to deforestation in the Legal Amazon
Palavras-chave em inglês
Amazon
Deforestation
Indigenous Peoples
Protected Areas
Traditional Communities
Resumo em inglês
Deforestation rates in Legal Amazon have increased in recent years as a result of economic, political and social issues. The problem is highlighted because of the Amazon rainforest biological and cultural diversity and its importance in the context of climate change. The problem is faced on many fronts, including the creation and strengthening of Protected Areas. Among the many possibilities, there are those that are critical to the modalities of Protected Areas that allow humans to live. However, indigenous peoples and traditional populations are known for their specific relationship with their territory, which may mean these groups contribute to forest conservation. The objective of this work was to verify if the territories inhabited by traditional communities (Sustainable Development Reserves and Extractive Reserves) and indigenous peoples (Indigenous Lands) could still be considered today as a barrier to deforestation in Legal Amazon. For this, we focus on the spatiotemporal patterns of these areas and surroundings, in order to verify if the main changes occurred outside or within these Protected Areas. We used remote sensing statistical pixel-based techniques for MODIS images in a historical series from 2000 to 2018, totaling 427 images. We calculated pixels mean, standard deviation and absolute mean deviation and then subtracted the means in order to identify if the areas lost vegetation in the analyzed period. We also applied a linear spectral mixture model to Landsat images to verify the accuracy of our analysis. Our results suggest that these areas still function as a barrier to deforestation for the analyzed scale in a didactic and clear way.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2021-02-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.