• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.8.2020.tde-20022020-144634
Documento
Autor
Nome completo
Veronica Wesolowski de Aguiar e Santos
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2000
Orientador
Banca examinadora
Neves, Walter Alves (Presidente)
Oliveira, Maria Dulce Barcellos Gaspar de
Sarian, Haiganuch
Título em português
A Prática da Horticultura entre os Construtores de Sambaquis e Acampamentos Litorâneos da Região da Baía de São Francisco, Santa Catarina: Uma Abordagem Bio-Antropológica
Palavras-chave em português
Acampamentos Litorâneos
Sambaquis
Santa Catarina
Resumo em português
A prática da horticultura entre grupos da pré-história brasileira é uma questão importante cuja investigação esbarra na ausência, quase total, de restos vegetais satisfatoriamente preservados. Por este motivo, na maioria dos casos o uso de cultivares costuma ser inferido por evidências indiretas e analogia etnográfica, principalmente para o contexto ambiental litorâneo. Alguns pesquisadores têm procurado alternativas na Antropologia Biológica tentando, assim, agregar informações biológicas e culturais, buscando construir uma matriz de informações mais complexa sobre a questão. É nesta abordagem bio-antropológica que o presente trabalho se insere, na medida em que propõe anexar aos dados arqueológicos, outros originados da pesquisa de marcadores osteológicos relacionados a mudança de subsistência e ao consumo de carboidratos. A pesquisa partiu da hipótese, construída pela arqueologia, de que os grupos responsáveis por assentamentos com cerêmica Itararé (acampamentos litorâneos) na região da Baía de São Francisco, em Santa Catarina, teriam uma subsistência baseada em produtos cultivados, enquanto que os grupos responsáveis pelos sambaquis sem cerâmica da mesma região seriam coletores-pescadores. Foram analisados os comportamentos apresentados por cárie, desgaste oclusal, perda dentária, abscessos peri-apicais, hipoplasia linear de esmalte e cribra orbitália, em 10 séries esqueletais oriundas de sítios sem cerâmica e 3 séries escavadas em sítios (ou camadas deposicionais) com cerâmica. Os vários padrões encontrados foram discutidos sob a luz das evidências arqueológicas e a partir de uma postura crítica em relação a capacidade dos marcadores osteológicos utilizados em responder questões sobre subsistência. Os resultados obtidos apontaram para a necessidade de uma revisão das hipóteses estabelecidas, quanto ao consumo de vegetais, sobre as estratégias de subsistência implementadas pelos grupos pré-históricos responsáveis por sambaquis e acampamentos litorâneos na região enfocada.
Título em inglês
The practice of horticulture among the builders of Sambaquis and Coastal Camps in the São Francisco Bay Region, Santa Catarina: a bio-anthropological approach
Palavras-chave em inglês
Coastal camps
Sambaqui
Santa Catarina
Resumo em inglês
The horticulture practice among Brazilian pre-historic groups is an important issue which investigation faces the absence, almost complete, of vegetables remains satisfactorily preserved. As a result, in most cases, the usage of cultigens uses to be inferred from indirect evidences and ethnographic analogy, mainly concerning the seaside environment context. Some researchers have tried alternatives in the Biological Anthropology, aiming, this way, to add biological and cultural information, intending to build a more complex information matrix about the question. It is within this bioanthropological approach that the present work is inserted, as long as it proposes to incorporate to the archeological data other data generated from the osteological markers related to the subsistence and to the carbohydrate consumption. The research begun from the hypothesis, constructed by the Archeology, that the groups accountable for the Itararé ceramics settlements (coastal camps) in the São Francisco bay area, in the Santa Catarina state, would have a agricultural subsistence system, while the sambaqui groups without ceramics in the same region would be gatherers-fishers. The behaviour related to caries, oclusal wear, antemortem tooth loss, periapical abscess, linear enamel hypoplasia and criba orbitalia were analyzed in 10 skeletal series originated from the sites without ceramics and in 3 series excavated in sites (or depositional layers) with ceramics. The several patterns found were discussed under the light of the archeological evidences and from a critical postura regarding the osteological markers capability to answer questions about subsistence. The results pointed to the need of a revision in the established hypotheses, about the vegetable consumption, concerning the subsistence strategies implemented by the pre-historic sambaqui groups and coastal camps in the focused region.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2020-02-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.