• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Felipe Maia da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Moura, Alex de Campos (Presidente)
Brandão, Eduardo
Duarte, Irene Filomena Borges
Moutinho, Luiz Damon Santos
Título em português
A elaboração da existência em Ser e Tempo e a questão (onto)lógica de sua articulação
Palavras-chave em português
Fenomenologia
Heidegger
Hermenêutica
Linguagem
Ontologia
Resumo em português
Este trabalho consiste num esforço de compreensão da interpretação heideggeriana da articulação (Artikulation) existencial a partir da fenomenologia estabelecida na primeira parte de Ser e Tempo enquanto ontologia do Dasein. O estudo se inicia com a apresentação da necessidade de uma reflexão acerca do sentido do ser e parte, em seguida, para a reconstituição comentada da gênese das principais estruturas existenciais do Dasein sob a perspectiva de sua co-originariedade (Gleichursprünglichkeit). Destacando o pano de fundo ontológico, acompanhamos a crítica heideggeriana à metafísica da presença e sua alternativa colocação da existência como possibilidade (Möglichkeit). Por fim, expomos como o conceito hermenêutico de fala (Rede) é capaz de explicar a transcendência do ser-no-mundo (In-der-Welt-sein), uma vez que, como consideramos, garante as condições do movimento do existir como jogo entre ente e nada. Nesse sentido, interpretamos a estrutura articuladora da fala tanto a partir da crítica heideggeriana à lógica, como a partir de um possível programa fenomenológico de ampliação existencial do lógos grego.
Título em inglês
The elaboration of the existence in Being and Time and the (onto)logical question of its articulation
Palavras-chave em inglês
Heidegger
Hermeneutics
Language
Ontology
Phenomenology
Resumo em inglês
This work is an effort to understand the Heideggerian interpretation of the existential articulation (Artikulation), based on the phenomenology established on the first half of Being and Time as Dasein's ontology. The research begins with the presentation of the relevance of a reflection on the meaning of Being, and then it reconstitutes the genesis of the fundamental existential structures of Dasein under the perspective of its co-originality (Gleichursprünglichkeit). By emphasizing the ontological background, we follow Heideggers critique of metaphysics of presence and his alternative proposition of the existence as possibility (Möglichkeit). Finally, we try to show how the hermeneutical concept of discourse (Rede) is able to explain the transcendence of the Being-in-the-world (In-der-Welt-sein), since, as we maintain, it guarantees the conditions of the existential mobility as a play between beings and nothing. In this sense, we interpret the articulative structure of the discourse both from Heideggers critique on logics and from a possible phenomenological program of an existential enlargement of the Greek lógos.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-09-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.