• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2019.tde-25022019-121511
Documento
Autor
Nome completo
Marina Chaves de Macedo Rego
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Guimaraes, Antonio Sergio Alfredo (Presidente)
Piscitelli, Adriana Gracia
Silva, Marcia Regina de Lima
Truzzi, Oswaldo Mario Serra
Título em português
Paulistanidade e racialização - o caso nordestino
Palavras-chave em português
Paulistanidade
Preconceito contra nordestinos
Racialização
Regionalismo
Separatismo
Resumo em português
Apresento nesta dissertação a pesquisa que realizei sobre as relações entre a paulistanidade e o preconceito contra nordestinos. Exponho como o ideal de superioridade paulista foi historicamente acompanhado por uma narrativa racial, econômica e política que aponta a racionalidade, a branquidade e o mérito como virtudes diferenciais desta população. Apresento, da mesma maneira, a estigmatização dos nordestinos como um fenômeno social de grande alcance, associado à ideia de inaptidão econômica, política e racial imputada a este grupo regional, que aparece com frequência como contraponto da moralidade paulista. Analiso como noções de progresso e civilização, restritivas e racializadas, se adequam e se relacionam de formas distintas a identidades regionais variadas. Trato os regionalismos brasileiros de modo que seja possível investigar a ascensão da questão regional como um processo de racialização e demarcação econômica das populações brasileiras, notadamente simbolizadas por uma gama de marcadores sociais da diferença. Interessa-me entender tanto o caráter homogeneizador das narrativas regionalistas quanto as mobilizações em torno de raça e classe que estas possam abarcar. Focando no caso paulista, apresento o histórico da paulistanidade em torno de uma superioridade que frequentemente se apresentou como questão racial. Da mesma maneira, empreendo uma análise comprometida em averiguar as continuidades e descontinuidades deste regionalismo. A ascensão do discurso da democracia racial com seu consequente padrão de preconceito e discriminação que se estabelece de forma velada é, portanto, um marco importante para esta análise. Para destrinchar estas questões, focalizo a corrente crise política brasileira e os grupos separatistas paulistas que surgiram nesta década (2010). A tese que orienta esta pesquisa é de que a paulistanidade não somente recrudesce em momentos de disputa política, como aparece enquanto perpetradora de uma hierarquia nacional marcada por assimetrias raciais, regionais e de classe. Defendo, deste modo, que a contraposição histórica entre paulistas e nordestinos pode se apresentar como uma narrativa eficaz do conservadorismo nacional. Esta narrativa seria capaz de extrapolar o plano discursivo, possuindo materialidade política notável. Torna-se importante salientar que o regionalismo paulista é pensado de forma relacional aos outros regionalismos brasileiros.
Título em inglês
Paulistanity and racialization: the case of Brazil Northeast
Palavras-chave em inglês
Paulistanity
Prejudice against northeastern brazilians
Racialization
Regionalism
Separatism
Resumo em inglês
Here, I present a research on the relationship between the paulistanity (ideology which states the existence of a superiority of the people from the Brazilian State of São Paulo i.e. Paulistas) and the discrimination against people from the Northeast region of Brazil. I show that the idea of a Paulista superiority was historically accompanied by a racial, economic, and political narrative that points the rationality, the whiteness, and merit as sources of this alleged superiority. In the same way, I present the Northeastern stigma as a pervasive social phenomenon, constantly associated with the imposed idea of an economic, political, and racial incapacity of this regional population which is often shown as an opposite to the Paulista morality. I analyze how narrow and racial-based notions of progress and civilization differently conform and relate to a variety of geographic regional identities. I analyze the Brazilian regionalisms in a way that allows me to investigate the rise of the regional matter as a process characterized by a wide racialization and an economic delimitation of Brazilian populations, notably characterized by a range of social markers of difference. I try to understand the racial and class aspects of regionalist narratives and I try to understand how regionalist narratives homogenize human groups. Regarding Paulistas case, I present the history of the paulistanity and the associated sense of superiority that has been frequently presented as a racial matter. In the same way, I analyze the permanence and the discontinuity of this regionalism. Accordingly, an important issue for this analysis is the rise of the mythical racial democracy, accompanied by its pattern of prejudice and discrimination, which are stablished in a veiled way. In order to disentangle these questions, I incorporate to my analyses perspectives on the current Brazilian political crisis and perspectives on the Paulista separatists groups that were founded in the 2010s. This research is based on the thesis that the expression of paulistanity would not only enhance during instances of political dispute, but it would also promote a national hierarchy characterized by racial, regional, and class asymmetries. Therefore, I propose that the historical contrast between Paulistas and Northeastern Brazilians can be presented as an efficient narrative of national conservatism. This conservative narrative is not restricted to a speech level, but can also reach notable political materiality. Additionally, it is important to highlight that, in this study, I relate Paulista regionalism to other forms of regionalism found in Brazil.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-02-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.