• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2013.tde-05062013-152520
Documento
Autor
Nome completo
Cintia Luiza Oliva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Kimura, Amélia Fumiko (Presidente)
Bueno, Mariana
Soares, Cassia Baldini
Título em português
O agrupamento de cuidados no manejo do recém-nascido pré-termo: uma revisão sistemática
Palavras-chave em português
Agrupamento de cuidados
Enfermagem neonatal
Recém-nascido pré-termo
Revisão Sistemática
Resumo em português
Introdução: O agrupamento de cuidados é uma estratégia que visa evitar a manipulação intermitente dos neonatos pré-termos, proporcionando um período maior de repouso, fundamental para seu adequado crescimento e desenvolvimento. Esta prática é amplamente utilizada nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN). Objetivo: Estabelecer evidências acerca da efetividade do agrupamento de cuidados na organização do ciclo sono-vigília, na estabilidade das respostas fisiológicas e mímica facial em pré-termos com idade gestacional até 32 semanas. Método: Revisão sistemática que identificou estudos publicados e indexados nas bases eletrônicas Cochrane, LILACS, EMBASE, CINAHL, PubMed, Web of Science. Foram utilizados os descritores/termos livres clustered care, neonatal individualized developmental care program OR NIDCAP, kangaroo mother care OR KMC e skin to skin para identificação dos estudos. Além destas bases, foram realizadas buscas por estudos não publicados em revistas indexadas como anais de eventos científicos, teses e dissertações indexadas nas bases eletrônicas de bancos de teses disponibilizados em páginas eletrônicas de universidades e pela ferramenta Google scholar. A análise e seleção das publicações foram realizadas por dois revisores independentes, as publicações com análises discrepantes para inclusão ou não na revisão foram submetidas à avaliação de um terceiro revisor. As publicações que atenderam os critérios de inclusão foram selecionadas para a leitura e análise na íntegra. Após esta avaliação, as que preencheram os critérios de inclusão, foram incluídas na revisão sistemática. Resultados: Foram identificadas 1255 publicações nas bases de dados, das quais 18 foram selecionadas como prováveis inclusão e analisadas na íntegra. Destas, cinco ensaios clínicos randomizados do tipo cross-over foram incluídos na presente revisão. Os sujeitos que compuseram a amostra dos ensaios clínicos analisados foram os neonatos pré-termos com idade gestacional igual ou inferior a 32 semanas. O agrupamento de cuidados foi comparado com um procedimento doloroso. Os resultados mostraram que os RNs apresentam alterações na mímica facial (olhos espremidos), alterações comporamentais (extenção de braços, língua protusa, mãos abertas com adução dos dedos, bocejo) e diminuição na saturação de oxigênio mais significativamente no grupo submetido ao procedimento doloroso comparado ao grupo de cuidados agrupados (p<0,004). No entanto, valores semelhantes nas alterações faciais e fisiológicas ocorreram no grupo submetido ao agrupamento de cuidados e os sinais de estresse avaliados após o agrupamento de cuidados, persisitiu por maior tempo, comparado com a fase de recuperação do neonato no grupo do procedimento doloroso. Quanto à frequência cardíaca, os neonatos com idade gestacional inferior a 30 semanas apresentaram elevados índices quando o procedimento doloroso foi precedido pelo agrupamento de cuidados (p<0,0001). Conclusões: As evidências encontradas sugerem que o agrupamento de cuidados causa alterações na resposta comportamental (ciclos sono-vigília), instabilidade nos parâmetros fisiológicos (frequência cardíaca e saturação de oxigênio) e sinais de estresse demonstrado através da mímica facial (sobrancelhas salientes e sulco nasolabial) em recém-nascidos com idade gestacional menor ou igual a 32 semanas. A adoção da prática de agrupamento de cuidados não garante que os neonatos pré-termos submetidos a este tipo de cuidado apresentem respostas fisiológicas e comportamentais mais estáveis.
Título em inglês
The clustered care for handling the preterm infants in the neonatal intensive care unit: a systematic review
Palavras-chave em inglês
Clustered care
Neonatal nursing
Preterm infant
Systematic review
Resumo em inglês
Introduction: The clustered care is a strategy to avoid the intermittent preterm infants handling, providing them a longer rest period, essential to their health growth and development. This procedure is widely used in the context of Neonatal Intensive Care Units (NICU). Objective: To establish evidence concerning the effectiveness of the clustered care in organizing the sleep-wake cycle in the physiological responses and facial expressions in gestational age up to 32 weeks preterm infants. Methods: A systematic review that identified the studies published in the Cochrane, LILACS, EMBASE, CINAHL, PubMed and Web of Science electronic databases. The descriptors used to identify the studies were: "clustered care, neonatal individualized developmental care program OR NIDCAP, kangaroo mother care OR KMC e skin to skin. Also these database, it was identified the studies not published in indexed journals including studies presented in scientific events and thesis and dissertations available in the electronic databases hosted in the universities homepages and publications identified by the Google scholar gate. The selection of publications and analysis of them were performed by two independent reviewers. The publications with conflicting evaluation between the two reviewers were submitted to evaluation by a third reviewer. The publications that met the inclusion criteria were selected for analysis of the full text. After this analysis, those studies that met the inclusion criteria were included in the systematic review. Results: We identified 1255 publications in databases, 18 of them were selected as probable inclusion and were analyzed in its entirety. From these 18 studies, five cross-over randomized clinical trials were included in this systematic review. The subjects who comprised the samples of analyzed trials were premature infants up to 32 week gestational age. The clustered care group was compared with a painful procedure. The results showed that newborns exhibited alterations in the facial expressions (eyes squeezed), behavior changes (arms extension, protruding tongue, open hands with fingers adduction, yawn) and oxygen saturation decreasing more significant in the group undergoing painful procedure compared with the clustered care group (p <0.004). However, similar values in facial and physiological changes occurred in the clustered care group and stress signals evaluated after grouping care, persisted for a longer time compared to the recovery phase in the newborn of painful procedure group. As for heart rate, neonates with gestational age below 30 weeks showed high levels when the painful procedure was preceded by clustered care (p <0.0001). Conclusions: The evidence suggests that the clustered care causes changes in the behavioral responses (sleep-wake cycles), instability in physiological parameters (heart rate and oxygen saturation) and stress signals demonstrated through facial expressions (protruding eyebrows and nasolabial folds) in the premature infants up to 32 weeks gestational age. he grouping of care does not guarantee that the preterm group undergoing care exhibit more stability in physiological and behavioral responses. The adoption of the clustered care practice does not guarantee that the preterm infant underwent to it exhibit more stability in the physiological and behavioral responses.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-06-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.