• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.7.2013.tde-13032013-123730
Documento
Autor
Nome completo
Marcelo Chanes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Leite, Maria Madalena Januario (Presidente)
Herdman, Tracy Heather
Peres, Heloisa Helena Ciqueto
Pieruccini, Ivete
Prado, Claudia
Título em português
Conhecimento assimilado e percepção da mediação pedagógica em ambientes de aprendizagem
Palavras-chave em português
Educação
Educação a Distancia
Ensino Superior
Teoria da Informação e Comunicação
Resumo em português
Introdução. Nossa sociedade vive num momento chamado de condição Tecno-humana. Este momento tem como principal característica a habilidade de mudança de processos, posições e estratégias. O ambiente educacional tem a possibilidade de ressignificar a si mesmo e o uso de inovações tecnológicas nas aulas. Alunos, educadores, diretores escolares, pais e pesquisadores estão discutindo o processo educacional nesta nova sociedade. O uso das TICs é um interesse atual dos pesquisadores na busca de das melhores práticas para o cenário educacional. Aulas presencias não são mais o único ambiente de aprendizagem, então, é importante considerar como os ambientes de aprendizagem presencial e online podem auxiliar os alunos a assimilar conhecimento. Métodos. Esta pesquisa é um estudo exploratório-descritivo com uma abordagem quantitativa. O objetivo foi analisar o conhecimento assimilado e o comportamento das presenças educacional, social e cognitiva em ambientes presencial e virtual de aprendizagem. O método foi desenvolvido para analisar uma disciplina realizada em dois ambientes de aprendizagem: presencial e virtual. Dois sub-delineamentos foram realizados. Uma coleta de dados longitudinal foi realizada para mensurar o grau de conhecimento antes e depois da exposição dos alunos à disciplina (independente do ambiente). Um segundo sub-delineamento, a coleta transversal de dados foi realizada para identificar as presenças educacional, social e cognitiva por meio da percepção dos alunos, após o término da disciplina. O estudo foi realizado em uma instituição de ensino superior na região do Alto Tietê São Paulo. A população de estudo foi composta por alunos de graduação de um curso oferecido em ambos os ambientes, matriculados na disciplina de estudo no primeiro semestre de 2012 e aceitaram participar da pesquisa. A disciplina teve o mesmo professor, estrutura, conteúdo, objetivos e conteúdos. Foram utilizados dois instrumentos de coleta de dados: o primeiro foi um formulário contendo dez questões fechadas e de múltipla escolha sobre os conteúdos da disciplina, contendo somente uma resposta correta; o segundo foi um instrumento que, por meio da escala de Lickert, permitiu mensurar as presenças educacional, social e cognitiva, por meio da percepção doa aluno. Tal instrumento foi traduzido e teve sua confiabilidade avaliada pelo teste Alpha de Cronbarch. Resultados. Trinta e três alunos participaram da pesquisa, sendo 52% no ambiente de aprendizagem presencial e 48% no ambiente virtual. Os alunos foram caracterizados como mulheres, com renda menor que 2 salários mínimos, com casa própria e computador e internet no domicílio. A proporção de respostas corretas no pós teste foi maior que no pré teste (presencial: aumento de 46% para 69%; virtual: aumento de 46% para 625). O teste Qui-Quadrado/Exato de Fisher demonstrou que as proporções de respostas corretas no pós teste (em ambos os ambientes) foram estatisticamente significativas. Entretanto, nenhuma diferença significativa foi identificada entre as proporções de respostas corretas entre os ambientes. Assim, é claro que os grupos deste estudo obtiveram o mesmo grau de aprendizado depois da exposição à disciplina. Mas, um olhar na literatura sobre o desempenho de alunos em ambientes virtuais de aprendizagem demonstra que o tema é uma preocupação antiga dos pesquisadores e que não há consenso na literatura, uma vez que os achados divergem: de um melhor desempenho no ambiente virtual ao desempenho sem diferenças significativas entre os ambientes virtual e presencial. No entanto, o teste Qui-Quadrado/ Exato de Fisher demonstrou que a presença educacional foi melhor percebida no ambiente virtual, e a presença social melhor percebida no ambiente presencial. Em ambos os ambientes, a presença cognitiva foi a melhor percebida. A literatura apresenta que sem a percepção de estar se relacionado com outrem, o aluno possivelmente não aprenda. Neste estudo, em ambos os ambientes o aluno percebeu-se numa relação com outrem, com o professor (no ambiente virtual) e com os pares (no ambiente presencial). Ainda, a literatura aborda a necessidade do aluno ser responsável pelo seu conhecimento e aprendizado, demonstrando que, entre a mediação pedagógica (proporção na qual as presenças educacional, social e cognitiva são percebidas) e o aprendizado, há a autonomia do aluno conectando um aspecto ao outro. Ressalta-se que, nenhuma das variáveis independentes de estudo (sexo, idade, renda, moradia, computador e internet em casa) estiveram associadas significativamente ao grau de assimilação do conhecimento ou às presenças educacional, social e cognitiva. Conclusão. Este estudo alcançou seu objetivos ao encontrar que ambos os ambientes proporcionaram o aprendizado, sem diferenças significativas, desde que a disciplina (e seus objetivos e conteúdos) e o professor foram os mesmos. Ainda, possibilitou compreender que a necessidade do aluno perceber-se presente no ambiente de aprendizagem por meio da relação com outrem é importante para seu aprendizado. Entretanto, o estudo teve um número limitado de alunos participantes. Então, é importante replicar este estudo em outras realidades e para grupos maiores. E, ainda, é importante analisar o impacto de cada presença dentro do ambiente de aprendizagem, consolidando os conhecimentos existentes acerca da mediação pedagógica aplicada a cada tipo de ambiente de aprendizagem
Título em inglês
Knowledge built and pedagogical mediation inside learning environments
Palavras-chave em inglês
distance education
education
higher education
Information theory and communication
Resumo em inglês
Introduction. Our society lives in a moment called Techno-human Condition. This moment has as principal characteristic the ability to change processes, positions, and strategies. It gives for educational environment a possibility to re-analyse itself and use technological innovations into classes. Students, educators, school directors, parents and researchers are trying to discuss educational process into this new society. Use of ICTs is a current interest of researches in order to find the best practices in educational scenario. Face-to-face is not the only learning environment so it is important to consider how face-to-face and online learning environments can help students to develop knowledge. Methods. This research is an exploratory and descriptive study and had a quantitative approach. The objective was to analyse knowledge built and the behaviour of educational, social and cognitive presence inside face-to-face and online learning environments. Method was built to analyse a discipline held in two different learning environments: face-to-face and online. Two sub-designs were developed. A longitudinal data collection was made to measure level of knowledge before and after student exposure to the discipline (regardless of his environment). A second data collection was done as a transversal design to identify educational, social and cognitive presence through students perceptions after discipline exposure. It was conducted in a Private Institution of Higher Education in the State of São Paulo (Brazil). Study population was composed of students from an undergraduate course offered in both environments who were enrolled at it in the first half of 2012 and agreed to participate. Discipline had the same teacher, workload, objectives and contents in both learning environments. Two data collection forms were used: at first was a form containing ten closed questions of multiple choice with one correct answer about discipline contents; second form was a Lickert scale instrument to measure educational, social and cognitive presence through students perceptions. This second form was translated and had its reliability tested by Alpha of Cronbarch. Data collection instrument for knowledge measurement constituted in a form done with closed questions with multiple-choice answers about the disciplines main subjects, containing only one correct answer. Ten questions were formulated. Instrument was applied in both environments before and after the discipline. Results. Thirty-three students participated in the survey, 52% of them in the face-to-face learning environment, and 48% in the online learning environment. Students were characterized as women with income less than a US$ 600,00 monthly salary, with proper house, computer and broadband Internet. The proportion of correct answers in the post-test of both groups was higher than pre-test (face-to-face: increase 46% to 69%; online: increase 46% to 62%). Chi-square statistical test/ Fishers Exact demonstrated that the proportions of correct answers in post-test (in both environments) were statistically significant. However, no significant difference was identified between the proportions of correct answers in the post-test between environments. Thus, it is clear that groups in this study had the same degree of learning, regardless of the environment, after discipline exposure. But a look beneath the literature about the performance of students in online learning environments realizes that the topic is an old interesting subject for researchers and there is no consensus, since the findings diverge: to better performance in online learning environment, for performance without significant differences between online and face-to-face environments. However, Chi-square test/ Fishers Exact demonstrated that educational presence was better perceived inside online learning environment, and social presence inside face-to-face environment. Cognitive presence was the most perceived in both environments. Literature presents that probably without any perception of interaction with other students could not learn. In this study, in both environments, students perceived a relationship with other, with teacher (inside online learning environment) and peers (inside online learning environment) Literature also reinforce the need of student be responsible by his knowledge and learning demonstrating that between pedagogical mediation (proportion in which educational, social and cognitive presence are perceived) and learning, there is students autonomy connecting those aspects. None of independent variable of study (sex, age, income, proper house, computer and broadband internet) were significantly related to knowledge and educational, social and cognitive presence. Conclusion. This study achieved its goal, finding the fact that both environments enabled learning without significant differences, since the discipline (and its objectives and contents) and the teacher are the same. Though, study allowed comprehension of students need of perceiving him present inside learning environment through relationship with other is important for learning. However, this study has a limited number of students participating on it. So, it is important to replicate it in other realities and for higher groups. And, it is also important to analyse the impact of each presence inside learning environment consolidating existent knowledge about pedagogical mediation inside each type or learning environment
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-04-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.