• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.61.2002.tde-29022008-145842
Documento
Autor
Nome completo
Sílvia Helena Alvarez Piazentin-Penna
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2002
Orientador
Banca examinadora
Freitas, Jose Alberto de Souza (Presidente)
Carvallo, Renata Mota Mamede de
Costa Filho, Orozimbo Alves
Feniman, Mariza Ribeiro
Hubig, Dina Olivetti de Carvalho
Título em português
Identificação auditiva em crianças de 3 a 12 meses de idade com fissura labiopalatina.
Palavras-chave em português
Audição
avaliação audiológica
criança
EOAT
fissura labiopalatina
Resumo em português
Objetivos: Verificar a ocorrência de emissões otoacústicas evocadas por estímulo transiente (EOAT) em crianças com fissura labiopalatina (FLP) e associar esses resultados com os da entrevista audiológica (EA), medidas de imitância acústica (IMIT), audiometria de observação comportamental (AOC) e audiometria de reforço visual (VRA). Local: Setor de Fonoaudiologia e de Genética Clínica - HRAC - USP. Participantes: 82 crianças com FLP não operada, de ambos os gêneros, idade entre 3 e 12 meses. Intervenções: EA, meatoscopia, AOC, VRA, IMIT, EOAT. Resultados: Os achados mostraram: presença de indicadores de risco, além da FLP, em 77% das crianças do grupo 1 (fissura transforame e pós-forame incisivo, N=48), 52% do grupo 2 (fissura pré-forame incisivo, N=29) e 40% do grupo 3 (fissura de palato submucosa, N=5); maior ocorrência de alteração na IMIT nas crianças com fissura transforame e pós-forame incisivo e a partir dos 6 meses de idade; AOC alterada em 50% das crianças do grupo 1 e 14% do grupo 2; maior ocorrência de alteração na VRA nas crianças do grupo 1, seguidas pelo grupo 2; ocorrência de EOAT em 1% das crianças do grupo 1, 55% do grupo 2 e 70% do grupo 3. Conclusões: verificamos maior ocorrência de EOAT nas crianças com fissura de palato submucosa e pré-forame incisivo; a associação entre os resultados da EOAT com os dos outros procedimentos, mostrou diferença estatisticamente significante na associação das EOAT com as IMIT das crianças de 3 a 6 meses de idade dos grupos 2 e 3 ; o uso das EOAT não mostrou ser um método adequado para a avaliação da audição de bebês com fissura de palato não operada.
Título em inglês
Hearing identification in 3- to 12-month-old children with cleft lip and palate.
Palavras-chave em inglês
Audiologic evaluation
cleft lip-palate
hearing
infants
TEOA.
Resumo em inglês
Objectives: To determine the occurrence of transient evoked otoacoustic emissions evoked (TEOA) in infants with cleft lip (CL)and palate (P) and to correlate these results with those of the audiologic interview (AI), acoustic imitance (IMIT) measurements, behavioral observation audiometry (BOA), and visual reinforcement audiometry (VRA). Place: Sector of Speech Pathology and Audilogy and Clinical Genetics - HRAC - USP. Participants: 82 infants of both sexes with non-operated CLP aged 3 to 12 months. Interventions: AI, meatoscopy, BOA, VRA, IMIT, TEOA. Results: The findings showed the presence of risk indicators in addition to CLP in 77% of group 1 infants (CLP, N=48), 52% of infants of group 2 (CL, N=29 ) and 40% of children in group 3 (submucous cleft, N=5 ); a more frequent occurrence of altered IMIT in children with CLP and CP and starting at 6 months of age; altered BOA in 50% of group 1 children and 14% of group 2 children; a more frequent occurrence of altered VRA in group 1 children, followed by group 2; occurrence of EOAT in 1% of group 1 children, in 55% of group 2 children, and in 70% of group 3 children. Conclusions: we detected a more frequent occurrence of EOAT in children with submucous and CL. TEOA was significantly correlated with IMIT in children aged 3 to 6 months of groups 2 and 3; the use of TEOA did not prove to be an adequate method to assess the hearing of babies with non-operated CP.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
TeseSilviaPenna.pdf (1.13 Mbytes)
Data de Publicação
2008-03-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.