• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.6.2020.tde-25092020-161955
Documento
Autor
Nome completo
Débora Ferro Cavalcante
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2020
Orientador
Banca examinadora
Sato, Ana Paula Sayuri (Presidente)
Chiaravalloti Neto, Francisco
Farias, Norma Suely de Oliveira
Souto, Francisco José Dutra
Título em português
Mortalidade por carcinoma hepatocelular associado às hepatites virais B e C no estado de São Paulo
Palavras-chave em português
Análise Espacial
Carcinoma Hepatocelular
Hepatite B
Hepatite C
Mortalidade
Série Temporal
Resumo em português
Introdução: A mortalidade por carcinoma hepatocelular associado às hepatites virais B e C representa um grave problema de saúde pública. O carcinoma hepatocelular constitui a terceira maior causa de morte de etiologia neoplásica e o quinto tumor maligno mais frequente no mundo. A infecção crônica pelo vírus da hepatite B e pelo vírus da hepatite C são as principais causas de doença hepática crônica e carcinoma hepatocelular (CHC). Objetivos: descrever os óbitos por CHC associados às hepatites virais B e C no Estado de São Paulo e analisar a distribuição espacial e temporal desses óbitos. Métodos: Estudo descritivo ecológico com análise temporal e distribuição espacial dos óbitos por CHC associados às hepatites virais B e C no Estado de São Paulo, no período de 2009 a 2017, com dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM). Foram calculadas as taxas de mortalidade por CHC associado às hepatites virais B e C. A tendência temporal foi analisada por regressão de Prais-Winsten. Os óbitos foram descritos segundo as características sociodemográficas e comparados pelo teste de qui-quadrado de Pearson ou teste exato de Fisher. Os óbitos foram espacialmente distribuídos segundo departamento regional de saúde. Foram calculadas as taxas brutas de mortalidade e as taxas suavizadas pelo método Bayesiano Empírico Local. Resultados: No período de 2009 a 2017, 26,3% dos óbitos por CHC no estado de São Paulo foram associados ao HBV ou ao HCV. Observou-se uma maior proporção de óbitos por CHC associado ao HCV (22,2%) quando comparado ao HBV (3,9%). A taxa de mortalidade por CHC associado às hepatites B ou C apresentou tendência de queda e decréscimo de 0,41 (2009) para 0,33 (2017) óbitos por 100.000 habitantes/ano, com diminuição anual de 3,0%. A taxa de mortalidade por CHC associado à hepatite B também apresentou tendência de queda, variando de 0,07 (2009) para 0,04 (2017) óbitos por 100.000 habitantes/ano, com diminuição anual de 9,1%. No entanto, a taxa de mortalidade por CHC associado à hepatite C apresentou tendência estacionária, de 0,34 (2009) para 0,29 (2017) óbitos por 100.000 habitantes/ano. Os óbitos predominaram no sexo masculino e em indivíduos de raça branca. A faixa etária que apresentou maior número de óbitos foi de 50 a 59 anos de idade. A maioria dos óbitos tinham de 8 a 11 anos de estudo. A distribuição espacial revelou uma distribuição heterogênea dos óbitos no estado de São Paulo. Conclusões: A tendência de queda nas taxas de mortalidade por CHC associado à hepatite B evidência um importante avanço no controle do agravo devido as ações de imunização com a vacina Hepatite B. No entanto, a taxa de mortalidade por CHC associado à hepatite C vem se mantendo estável ao longo do período estudado, indicando a necessidade de ações para a redução dessas taxas. A distribuição espacial dos óbitos auxiliará os gestores e profissionais dos DRS, que poderão olhar para esses dados e levantar hipóteses para conhecimento mais aprofundado das suas regiões, a partir desses resultados.
Título em inglês
Hepatocellular carcinoma mortality associated with viral hepatitis B and C in the State of São Paulo
Palavras-chave em inglês
Carcinoma Hepatocellular
Hepatitis B
Hepatitis C
Mortality
Spatial Analysis
Time Series
Resumo em inglês
Introduction: Mortality from hepatocellular carcinoma associated with viral hepatitis B and C represents a serious public health problem. Hepatocellular carcinoma is the third leading cause of death of neoplastic etiology and the fifth most common malignant tumor in the world. Chronic infection with hepatitis B virus and hepatitis C virus are the main causes of chronic liver disease and hepatocellular carcinoma (HCC). Objectives: describe the deaths due to HCC associated with viral hepatitis B and C in the State of São Paulo and analyze the spatial and temporal distribution of these deaths. Methods: Descriptive ecological study with temporal analysis and spatial distribution of deaths from HCC associated with viral hepatitis B and C in the State of São Paulo, from 2009 to 2017, with data from the Mortality Information System (SIM). Mortality rates for HCC associated with viral hepatitis B and C were calculated. The temporal trend was analyzed by Prais-Winsten regression. Deaths were described according to sociodemographic characteristics and compared using Pearson's chi-square test or Fisher's exact test. The deaths were spatially distributed according to the regional health department. Crude mortality rates and smoothed rates were calculated using the Local Empirical Bayesian method. Results: In the period from 2009 to 2017, 26.3% of deaths from HCC in the state of São Paulo were associated to HBV or HCV. There was a higher proportion of deaths from HCC associated to HCV (22.2%) when compared to HBV (3.9%). The mortality rate due to HCC associated with hepatitis B or C showed a downward trend and a decrease from 0.41 (2009) to 0.33 (2017) deaths per 100,000 inhabitants / year, with an annual decrease of 3.0%. The mortality rate due to HCC associated with hepatitis B also showed a downward trend, ranging from 0.07 (2009) to 0.04 (2017) deaths per 100,000 inhabitants / year, with an annual decrease of 9.1%. However, the HCC mortality rate associated with hepatitis C showed a stationary trend, from 0.34 (2009) to 0.29 (2017) deaths per 100,000 inhabitants / year. Deaths predominated in males and in white individuals. The age group with the highest number of deaths was 50 to 59 years old. Most deaths had 8 to 11 years of study. The spatial distribution revealed a heterogeneous distribution of deaths in the state of São Paulo. Conclusions: The downward trend in mortality rates due to HCC associated with hepatitis B shows an important advance in the control of the disease due to the immunization actions with the Hepatitis B vaccine. However, the mortality rate due to HCC associated with hepatitis C has been keeping stable over the study period, indicating the need for actions and measures to reduce these rates. The spatial distribution of deaths will assist the managers and professionals of the DRS, who will be able to look at this data and raise hypotheses for a deeper knowledge of their regions, based on these results.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2020-09-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.