• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.6.2013.tde-08042013-101924
Documento
Autor
Nome completo
Maria Tereza Borges Araujo Frota
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Szarfarc, Sophia Cornbluth (Presidente)
Benicio, Maria Helena D Aquino
Bertoli, Ciro João
Braga, Josefina Aparecida Pellegrini
Leone, Claudio
Título em português
Prevalência e fatores associados à anemia em crianças e mulheres atendidas pela estratégia de Saúde da Família no Maranhão
Palavras-chave em português
Crianças Menores de Cinco Anos
Fatores de Risco
Mulheres em Idade Reprodutiva
Prevalência de Anemia
Resumo em português
Introdução - A anemia é considerada um dos maiores problemas de saúde pública da atualidade, afetando as populações de quase todos os países, sobretudo aqueles onde predominam padrões dietéticos deficientes e fatores ambientais adversos. Objetivo - Investigar a prevalência e os fatores associados à anemia em crianças menores de cinco anos e mulheres em idade reprodutiva entre a população atendida pela Estratégia da Saúde da Família (ESF), no estado do Maranhão. Métodos Foi realizado um estudo de corte transversal de base populacional. A amostra se constitui de 978 crianças de seis a 59 meses e 978 mulheres de 15 a 49 anos de idade cadastradas na ESF em 21 municípios escolhidos por sorteio sistemático probabilístico entre as quatro macrorregiões e capital do Estado. A coleta de dados foi realizada em entrevistas domiciliares por meio de questionário aplicado junto às mães ou responsáveis pelas crianças, contendo informações sobre a situação socioeconômica e demográfica e de segurança alimentar da família, e das condições de saúde das mulheres e das crianças. Foram medidos peso e altura, para avaliação do estado nutricional e feita a dosagem da concentração de hemoglobina do sangue capilar com leitura imediata pelo hemoglobinômetro portátil Agabe®. A associação entre a anemia e as variáveis foi verificada primeiramente por análise bivariada e posteriormente por regressão de Poisson, segundo modelo hierarquizado. Resultados A prevalência média de anemia entre as mulheres foi de 36, por cento para o estado do Maranhão e 55,1 por cento para a capital, São Luís. Entre as crianças, a prevalência também foi mais elevada na capital (68,7 por cento ) em relação ao estado como um todo (51,6 por cento ). Tanto as mulheres como as crianças apresentaram prevalências mais elevadas na área urbana. O grupo de 6-23 meses de idade foi mais afetado pelo problema (65 por cento ) do que o de 24-59 meses (42 por cento ), assim como aquele cujas mães também apresentavam anemia (63,6 por cento ). A análise de regressão identificou como fatores de risco para a anemia em crianças ter idade inferior a dois anos, presença de anemia materna, coabitação de três ou mais crianças menores de cinco anos no domicílio e residir na capital do estado. Para as mulheres os fatores de risco associados à anemia foram morar na capital e estar acima do peso. Conclusões As elevadas prevalências de anemia encontradas em crianças e mulheres no Maranhão a configuram como um problema de saúde pública entre a população atendida pela ESF. É necessária a busca de intervenções factíveis de serem aplicadas uma vez que, tanto o Programa Nacional de Suplementação do Ferro, para lactentes, como o de fortificação das farinhas de trigo e de milho vigentes no Brasil não conseguiram fazer com que a prevalência avaliada através dos grupos crianças e mulheres em idade fértil esteja no limite aceitável. Igualmente há que considerar que dos fatores de risco detectados poucos são susceptíveis a modificação e estão relacionados ao consumo de alimentos e seus fatores determinantes
Título em inglês
Prevalence and factors associated with anaemia in women children served by the Family Health Strategy in Maranhão
Palavras-chave em inglês
Anemia
Children Under Five
Prevalence
Risk Factors
Women of Childbearing Age
Resumo em inglês
Introduction - Anemia is considered one of the greatest public health problems today, affecting populations of almost all countries, especially those where lacking dietary patterns and adverse environmental factors predominate. Objective - To investigate the prevalence and factors associated with anemia in children under five and women of childbearing age in the state of Maranhão. Methods - A cross-sectional study was carried out. The sample was comprised of 978 children aged six to 59 months and 978 women aged 15 to 49 years old enrolled in Family Health Strategy (FHS) in 21 counties selected by systematic random probability among the four geographical regions of the state and the capital. Data collection was performed on household interviews through questionnaire applied to mothers or childrens caretakers, containing information on demographic and socioeconomic status and household food security, and women and childrens health conditions. Weight and height were measured to assess nutritional status and followed by hemoglobin concentration of the blood capillary with immediate reading by Agabe ® portable hemoglobin. The association between anemia and the variables was checked first by bivariate analysis, followed by Poisson regression with a hierarchical model. Results - The prevalence of anemia among women was 36.0 per cent for the state of Maranhão and 55.1 per cent for capital, São Luís. Among children, the prevalence was also higher in the capital (68.7 per cent ) compared to the state as a whole (51.6 per cent ). Both women and children had a higher prevalence in urban areas. The group of 6-23 months of age was most affected by the problem (65 per cent ) than that of 24-59 months (42 per cent ), as one whose mothers also had anemia (63.6 per cent ). The regression analysis identified as risk factors for anemia in children age less than two years, the presence of maternal anemia, cohabitation of three or more children under five at home and reside in the capital. For women the risk factors associated with anemia were living in the capital and being overweight. Conclusions - The high prevalence of anemia in children and women found in Maranhão configure anemia as a public health among the population served by the FHS. It requires the implementation of feasible intervention measures for the control and prevention of this disease once, both, the National Iron Supplementation for infants, such as the fortification of wheat and corn flour current in Brazil failed to make the prevalence evaluated through children and childbearing age groups is on the acceptable limits. Its also necessary to consider that among the risk factors identified few are susceptible to modification and are related to food consumption and its determinants
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
TerezaFrota.pdf (1.19 Mbytes)
Data de Publicação
2013-06-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.