• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.6.2017.tde-03112017-103504
Documento
Autor
Nome completo
Maria Helena Matiko Akao Larsson
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1979
Orientador
Banca examinadora
Laurenti, Ruy (Presidente)
Birgel, Eduardo Harry
Juarez, Edmundo
Paim, Gil Vianna
Qualifik, Paul
Título em português
Estudo epidemiológico da brucelose canina
Palavras-chave em português
Brucelose Canina
Epidemiologia
Resumo em português
O presente trabalho foi realizado visando o estudo da prevalência da infecção por Brucella canis em cães, através da pesquisa de anticorpos específicos, em dois grupos distintos de animais (de canil e errantes). Para tanto, foram utilizadas as provas ·de soroaglutinação rápida (SAR) e soroaglutinação lenta (SAL). Nos animais soropositivos procurou-se, através de hemocultura, isolar o agente etiológico. Com o intuito de estudar a imunoresposta humoral e o período de bacteremia determinados por esse agente infeccioso, oito cães foram inoculados, por via oral, com uma amostra autóctone de Brucella canis (ES 11/78). Finalmente, para avaliar o risco da infecção humana por Brucella canis, examinaram-se trezentos e trinta soros humanos através da prova de SAL. A prevalência da infecção nos animais de canil, segundo a prova de SAR, foi de 9,1%, enquanto que se obteve 2,4% reagentes pela prova de SAL. Em relação aos animais errantes, observou-se 7,5% de reagentes pela prova de SAR e 7,0% pela prova de SAL. De seis animais reagentes examinados foram isoladas três amostras de Brucella canis: a amostra ES 11/78, de um animal de canil, e as amostras 215/79 e Pr/79, de cães errantes.·As referidas amostras foram identificadas através das características morfológicas, tintoriais e bioquímicas e, sorologicamente, utilizando antígenos produzidos com as mesmas. Os animais inoculados experimentalmente, apresentaram aglutininas. anti Brucella canis detectáveis, pela primeira vez, entre o 159 e 359 dias após a inoculação, segundo a prova de SAL, enquanto que a hemocultura foi positiva, pela primeira vez, 21 a 49 dias após a exposição dos cães ao agente infectante. A prevalência da infecção humana por Brucella canis foi de 1,21%.
Título em inglês
Epidemiological study of canine brucellosis
Palavras-chave em inglês
Canine Brucellosis
Epidemiology
Resumo em inglês
The prevalency of canine brucellosis was determined in two distinct groups of animais, one from kennel dogs and the other one from stray dogs, through the detection of specific serum antibodies based on the results of tube agglutination test (TAT) and plate agglutination test (PAT). Attempts were made for the isolation of the infectious agent by means of blood culture of the seropositive animais. In order to study the humoral immune response and the period of bacteremia elicited by agent, eight dogs were experimentally infected, by oral route, with an autochthon strain of Brucella canis (ES 11/78), isolated from one. kennel dog. The evaluation of human infection with Brucella canis was performed testing 330 serum samples. The prevalence of the infection in the kennel dogs was 9.1% by plate PAT test and 2.4% by tube TAT test, while, in the stray dogs group, it was observed 7.5% of reagents by TAT and 7.0% .of reagents by PAT. Three samples of Brucella canis were isolated the seropositive dogs: the strain ES 11/78, from a kennel and strains 215/79 and Pr/79 from stray dogs. The samples from dog, were identified through the morphological, staining and biochemical caractheristics of the agent as well as serologically, using gens prepared with the isolated samples. The experimentally infected dogs showed serum agglutinins against Brucella canis, by· the firt time, between the15th and 35th days after inoculation, while the blood culture was positive, firstly, 21 to 49 days after the exposition of the dogs to the infectious agent. The prevalence of human infection with Brucella canis was 1.21%.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-12-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.