• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
10.11606/D.59.2017.tde-21062017-131647
Documento
Autor
Nombre completo
Helena Castello Romero
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
Ribeirão Preto, 2017
Director
Tribunal
Tfouni, Leda Verdiani (Presidente)
Chiaretti, Paula
Godoy, Daniela Bueno de Oliveira Americo de
Martha, Diana Junkes Bueno
Título en portugués
Amor e paradoxo: um percurso pelos indícios de Lacan
Palabras clave en portugués
Amor
Análise do discurso
Paradoxo
Psicanálise lacaniana
Resumen en portugués
Não há garantias para o sujeito que ama; o relacionamento com o outro é uma tentativa de busca da felicidade, mas também é ao amar que o sujeito se torna mais suscetível ao sofrimento. A psicanálise aponta para esse paradoxo desde Freud e Lacan lança mão do paradoxo como figura de linguagem possível para falar de amor. O principal aforisma lacaniano sobre o tema é amar é dar o que não se tem, mas, para chegar até esse ponto de seu ensino, Lacan se debruçou sobre inúmeras questões ao longo de seus seminários. Desse modo, o objetivo deste trabalho foi investigar o uso que Jacques Lacan fez do paradoxo para falar sobre o amor. A Análise do Discurso Pêcheutiana (AD) contribuiu para elucidar a interpelação do indivíduo em sujeito e a identificação com formações discursivas dominantes sobre o amor, sendo essa identificação fundadora de uma unidade imaginária. Visto que algumas obras de arte foram utilizadas para ilustrar a relação entre amor e paradoxo, foi a partir da AD que tais obras foram analisadas e incorporadas aos resultados. Além disso, essa metodologia indiciária auxiliou na interpretação do percurso empreendido por Lacan, principalmente no seminário VIII no qual ele se utiliza do texto O Banquete, de Platão, para relacionar, por exemplo, o conceito de falta com o tema do amor, análise esta cuja compreensão foi fundamental para o cumprimento do objetivo proposto neste trabalho. Foi possível então apontar, como um dos principais resultados dessa análise, que o objeto que o sujeito busca no desejo, em suas mais variadas formas, nunca é aquilo que ele encontra. Essa falta é central na relação de objeto, do ponto de vista psicanalítico, uma vez que a frustração inerente a essa busca faz do dom algo mais importante do que a presença ou ausência do objeto em si, pois o que está realmente em questão é o amor daquele que pode fazer do objeto um dom. Dessa forma, existe algo para além da relação amorosa, que falta a ela e só pode ser oferecido enquanto falta. É só quando algo falta ao amor, tornando-o imperfeito e diferente de uma fusão, que ele pode acontecer entre dois sujeitos que nunca, já que são sujeitos, poderiam passar a ser um só ou a desejarem a mesma coisa. Conclui-se, portanto, que em uma sociedade capitalista que valoriza investimentos lucrativos e seguros, amar significa mergulhar em vulnerabilidade e encarar a falta constitutiva que esburaca qualquer tentativa de controle e escancara impossibilidades. Iluminar o caráter paradoxal do amor é uma alternativa para defendê-lo dos discursos securitários que acabam matando as chances que a experiência amorosa tem de trazer algum sentido à vida
Título en inglés
Love and paradox: a journey through Lacan´s trail
Palabras clave en inglés
Discourse analysis
Lacanian psychoanalysis
Love
Paradox
Resumen en inglés
There is no guarantee for the subject that loves; The relationship with the other is an attempt to seek happiness, but it is also in loving that the subject becomes more susceptible to suffering. Psychoanalysis points to this paradox since Freud and Lacan uses the paradox as a possible figure of speech to talk about love. The main Lacanian aphorism on the subject is "to love is to give what you do not have," but to get to that point of his teaching, Lacan dwells on countless questions throughout his seminars. Thus, the purpose of this work was to investigate Jacques Lacan's use of the paradox to talk about love. The Pêcheutian Discourse Analysis (AD) contributed to elucidate the subject's interpellation into subject and the identification with dominant discursive formations on love, being this identification founder of an imaginary unit. Since some works of art were used to illustrate the relation between love and paradox, it was from AD that such works were analyzed and incorporated into the results. In addition, this indexing methodology helped to interpret Lacan's course, especially in Seminary VIII in which he uses Plato's text "The Banquet" to relate, for example, the concept of lack with the theme of love, An analysis whose understanding is fundamental for the accomplishment of the objective proposed in this work. It was then possible to point out, as one of the main results of this analysis, that the object that the subject seeks in desire, in its most varied forms, is never what he finds. This lack is central to the object relationship from the psychoanalytic point of view, since the frustration inherent in this search makes the gift something more important than the presence or absence of the object itself, because what is really in question is the love of one who can make the object a gift. In this way, there is something beyond the love relationship, which is lacking in it and can only be offered while lacking. It is only when something is lacking in love, making it imperfect and different from a fusion, that it can happen between two subjects who never, since they are subjects, could become one or desire the same thing. In conclusion, therefore, in a capitalist society that values lucrative and secure investments, to love means to plunge into vulnerability and to face the constitutive lack that bursts any attempt of control and opens impossibilities. To illuminate the paradoxical character of love is an alternative to defend it from security speeches that end up killing the chances that the love experience has to bring some meaning to life
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Helena_Castello.pdf (1.23 Mbytes)
Fecha de Publicación
2017-09-18
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2022. Todos los derechos reservados.