• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Master's Dissertation
DOI
https://doi.org/10.11606/D.59.2022.tde-12072022-152141
Document
Author
Full name
Bruna Lima Ferreira
E-mail
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
Ribeirão Preto, 2022
Supervisor
Committee
Monticelli, Patricia Ferreira (President)
Beisiegel, Beatriz de Mello
Paolino, Roberta Montanheiro
Title in Portuguese
A dimensão humana na conservação ambiental: uma análise multidimensional da relação entre parques estaduais e comunidades próximas
Keywords in Portuguese
Conservação biológica
Gestão ambiental
Governança
Percepção ambiental
Unidade de conservação
Abstract in Portuguese
A criação de áreas protegidas é uma estratégia para conservação ambiental utilizada no mundo todo. Porém, desde sua concepção foi marcada por conflitos e injustiças sociais derivados de uma visão de conservação segregada das dimensões humanas. No Brasil, os parques são um exemplo de área protegida no qual essa segregação é evidente. Por um lado, não é permitido o uso direto de recursos naturais, por outro, são permitidos o uso público e a educação ambiental. Essa dinâmica de proibições e possibilidades deve ser considerada, pois as experiências atreladas a estas áreas podem representar a forma como vemos e nos relacionamos com a natureza. Nesse cenário, investiguei as relações entre a gestão de áreas protegidas e as comunidades em seu entorno utilizando referenciais teóricos vinculados à psicologia e à governança. Para isso, utilizei metodologias de coleta de dados baseadas em entrevistas semiestruturadas com 26 gestores de parques estaduais, questionários (direcionados aos gestores e a uma comunidade próxima ao Parque Aguapeí) e análises documentais de legislações e portarias. Analisei a composição dos conselhos e a percepção dos gestores sobre estes espaços de participação social, destacando seus principais desafios (como falta de capacitação e motivação de conselheiros) e vantagens (como apoio à gestão). Ainda, a relação entre a gestão do parque e as comunidades foi analisada sob a perspectiva dos gestores. Para a maioria deles (84,62%), a relação, no geral, é positiva, mas há desafios relacionados à comunicação com o entorno, ocupação irregular, turismo e uso público desordenado, a caça e a extração vegetal. A irregularidade fundiária também foi mencionada e foi fator recorrentemente citado neste trabalho como um empecilho à boa relação com as comunidades. Benefícios da relação parque-comunidades também foram citados, como parcerias e os serviços ecossistêmicos. A comunidade próxima ao Parque Aguapeí possui atitudes positivas em relação ao parque, porém não há envolvimento dos comunitários na gestão do parque. Ademais, foram identificados elementos importantes para a relação parque-comunidades, como: a diversidade e quantidade de comunidades na região; o histórico, localização e características físicas do parque; a existência e atualização do plano de manejo; existência, composição e funcionamento do conselho consultivo; o tamanho da equipe para gestão do parque; a disponibilidade de recursos; expectativas da gestão para participação das comunidades em atividades e gestão; características das comunidades na região (perfil socioeconômico, cultura, dependência da comunidade com o parque, organização comunitária, conhecimento e a percepção das pessoas sobre o parque e o sentimento de pertencimento das pessoas da comunidade com o parque e região); além de elementos relacionados a comunicação entre as partes e aos benefícios e problemas percebidos (tanto pela equipe gestora, quanto pelo entorno). Ao longo de toda dissertação pontuei discussões pertinentes e recomendações baseadas nos resultados obtidos, dentre eles: a necessidade de pautar as práticas da gestão nos princípios de boa governança e a necessidade, não só de reduzir barreiras a boa relação, mas também de ressaltar os benefícios advindos da relação e da existência do parque.
Title in English
Human dimensions in environmental conservation: a multidimensional analysis to park and local communities relationship
Keywords in English
Environmental conservation
Environmental management
Environmental perception
Governance
Protected areas
Abstract in English
Protected Areas' establishment is an environmental conservation strategy used worldwide. However, there are conflicts and social injustices linked to their creation, generally linked to a conservation perspective dissociated from human dimensions. Parks in Brazil are protected areas in which this dissociation is evident. Direct natural resources' use by neighboring communities is not permitted. However, educational programs, tourism and recreational use are allowed. The dynamics between park's restrictions, benefits and communities should be considered since protected areas can represent how people perceive nature. Thus, we aim to investigate the relationship between parks management and local communities using an interdisciplinary perspective. We conducted interviews with the 26 park managers, surveys (with a local community near Aguapei Park and with the parks' manager) and legal documents analysis to collect data. We analyzed park councils and their managers' perceptions about them as a place for social participation, highlighting their main challenges (such as counselors' lack of motivation and empowerment) and advantages (like the support to park management). The relationship between parks and communities was analyzed from the managers' perspective. Most of them (84,62%) rated the relationship as positive. However, challenges were mentioned, such as communication with local actors, irregular occupation, disordered tourism and public use, hunting and plant extraction. Land tenure irregularity was a recurrent challenge to a good relationship between locals and the park. The main benefits cited were establishing partnership and ecosystem service (also recognized by the local communities near Aguapei Park). The survey with Aguapei Park's community indicated that residents have positive attitudes towards the park. However, they are not involved in its management. We also identified essential elements to people parks relationship, including local communities' diversity; park's history, location and physical characteristics; the existence of a management plan; management council's function and composition; management team; resources availability; management and communities' expectations and characteristics; elements related to communication between the different actors and their perceived benefits and problems. This thesis highlighted main discussions and recommendations based on our results, such as the need for practical governance principles as guidance for parks-people relationships actions. The focus of interventions is not only on problems mitigation but also on highlighting the benefits of the park's existence.
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
Release Date
2024-06-21
Publishing Date
2022-08-03
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
CeTI-SC/STI
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2022. All rights reserved.